Estágio obrigatório não presencial no Ensino de História: Inquietações de estudantes antes e durante a pandemia do novo coronavírus (UFMS/CPTL, 2017-2020)

Cintia Lima Crescêncio

Resumo


Este artigo tem como objetivo realizar uma reflexãosobre as preocupações de estudantes estagiários(as) do Curso de Licenciatura em História da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campus de Três Lagoas (CPTL), antes e durante a pandemia do novo coronavírus. Para isso são utilizados como fontes relatórios de estágios dos anos de 2017, 2018 e 2019, e documentos produzidos pela Comissão de Estágio (COE) durante o período de suspensão dos estágios e de retomada de forma não presencial, no ano de 2020. Estes documentos revelam uma crescente compreensão do ofício docente como exercício de prática, entendimento que foi acelerado pelo contexto de suspensão de atividades presenciais.

Palavras-chave


Estagiários(as); Ensino remoto; Saberes docentes

Texto completo:

PDF

Referências


BEZERRA, H. G. Ensino de História: conteúdos e conceitos básicos. In: KARNAL, L. (Org.). História na sala de aula: conceitos, práticas e propostas. São Paulo: Contexto, 2018. p. 37-48.

BITTENCOURT, C. Ensino de História: Fundamentos e Métodos. São Paulo: Cortez, 2008.

BRASIL. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Portaria N. 405, de 16 de março de 2020. Disponível em: https://boletimoficial.ufms.br/bse/publicacao?id=389814. Acesso em: 15 jan. 2021.

CAIMI, F. E. O que precisa saber um professor de História? História & Ensino, Londrina, v. 21, n. 2, p. 125-150, jul./dez. 2015. DOI: 10.5433/2238-3018.2015v21n2p105. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/histensino/article/viewFile/23853/17741. Acesso em: 15 jan. 2021.

CAINELLI, M. R. Os saberes docentes de futuros professores de história: a especificidade do conceito de tempo. Currículo sem fronteiras, v. 8, n. 2, p. 134-147, jul./dez. 2008. Disponível em: https://www.curriculosemfronteiras.org/vol8iss2articles/cainelli.pdf Acesso em: 15 jan. 2021.

CARVALHO, B. L. P. de. Faça aqui o seu login: os historiadores, os computadores e as redes sociais online. Revista História Hoje, v. 3, n. 5, p. 165-188, 2014. DOI: 10.20949/rhhj.v3i5.126. Disponível em: https://rhhj.anpuh.org/RHHJ/article/view/126/100. Acesso em: 15 jan. 2021.

CEREZER, O. M.; FONSECA, S. G. Professores de História iniciantes: entre saberes e prática. História & Ensino, Londrina, v. 21, n. 2, p. 125-150, jul./dez. 2015. DOI: 10.5433/2238-3018.2015v21n2p125. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/histensino/article/view/23855. Acesso em: 15 jan. 2021.

HOOKS, B. Ensinando a transgredir: educação como prática da liberdade. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2013.

NASCIMENTO, Á. P. Mil horas para quê? A prática como componente curricular na licenciatura em história. Antíteses, v. 6, n. 12, p. 35-52, jul./dez. 2013. DOI: 10.5433/1984-3356.2013v6n12p35. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/17179. Acesso em: 15 jan. 2021.

RIBEIRO, R. R. Entre textos e práticas: Ensino de história, instituição escolar e formação docente. História & Ensino, Londrina, v. 21, n. 2, p. 151-179, jul./dez. 2015. DOI: 10.5433/2238-3018.2015v21n2p151. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/histensino/article/view/23856/17743. Acesso em: 15 jan. 2021.

RÜSEN, J. Jörn Rüsen e o ensino de História. Curitiba: Ed. UFPR, 2011.

SADDI, R. O Estado de Suspensão na aprendizagem histórica: a força estética do conhecimento histórico na instauração de um momento sublime de consciência histórica. Revista História Hoje, v. 5, n. 9, p. 113-130, 2016. DOI: 10.20949/rhhj.v5i9.247. Disponível em: https://rhhj.anpuh.org/RHHJ/article/view/247. Acesso em: 15 jan. 2021.

SCHMIDT, M. A. Jovens brasileiros, consciência histórica e vida prática. Revista História Hoje, v. 5, n. 9, p. 31-48, 2016. DOI: 10.20949/rhhj.v5i9.232. Disponível em: https://rhhj.anpuh.org/RHHJ/article/view/232. Acesso em: 15 jan. 2021.

SEFFNER, F. De fontes e mananciais para o ensino de história. In: RODRIGUES, R. R. (Org.). Possibilidades de Pesquisa em História. São Paulo: Contexto, 2017. p. 243-264.

SOARES, O. P. Os currículos para o ensino de história: entre a formação, o prescrito e o praticado. Antíteses, v. 5, n. 10, p. 613-634, jul./dez. 2012. DOI: 10.5433/1984-3356.2012v5n10p613. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/13319. Acesso em: 15 jan. 2021.

TARDIF, M. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, n. 13, pp. 5-24, jan/fev/mar/abr. 2000. Disponível em: http://anped.tempsite.ws/novo_portal/rbe/rbedigital/RBDE13/RBDE13_05_MAURICE_TARDIF.pdf. Acesso em: 15 jan. 2021.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2021v27n1p8

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br