A arte como fonte histórica e História como contextualização da arte: Possibilidades de interdisciplinaridade no ensino médio

Edinaldo Gonçalves Coêlho

Resumo


Este trabalho apresenta uma proposta de interdisciplinaridade no ensino de História e Arte no Ensino Médio e explora a década de 1930, a partir de fontes primárias e secundárias. Como fontes primárias, temos as obras pictóricas Operários e Segunda Classe, de Tarsila do Amaral bem como Morro e Café, de Candido Portinari. Já como fontes secundárias, embasamos em diversas pesquisas sobre o objeto de estudo. Em relação à metodologia, destaca-se a revisão bibliográfica para as fontes secundárias, explorando o período da década de 1930, partindo de diferentes perspectivas e a metodologia de leitura de imagens para analisar as fontes primárias. Nessa perspectiva, os resultados apontaram que a interdisciplinaridade surge como proposta que possibilita o desenvolvimento do protagonismo dos estudantes do Ensino Médio, na aprendizagem dos conhecimentos históricos, e isso acontece porque tanto na leitura quanto na produção de obras de arte há uma contextualização do objeto histórico estudado, assim como os conhecimentos históricos auxiliam na compreensão dessas obras artísticas. 

Palavras-chave


Ensino de História; Arte; Fontes históricas; Interdisciplinaridade

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, Aracy. Tarsila, sua obra e seu tempo. Vol I. São Paulo, Perspectiva, EDUSP, 1975.

BARBOSA, Ana Mae. A imagem no ensino da arte. 6.ed. São Paulo: Perspectiva, 2007.

BECHELANY, Camila. “Retratos Populares, algumas considerações”. In: Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (org.). Portinari popular. São Paulo: MASP, 2016, p. 122-133.

BORGES, Vavy Pacheco. Anos trinta e política: história e historiografia. In: Freitas, M. C. (org.), Historiografia brasileira em perspectiva. São Paulo: Contexto, 1998.

BRASIL, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Brasília, DF, 2017. Disponível em Acesso em jul. 2019.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Ministério da Educação. Brasília, 1999.

CAFÉ. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: . Acesso em: out. 2019.

CANDIDO Portinari. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: . Acesso em out. 2019.

DEAN, Warren. A industrialização de São Paulo: 1880-1945. Tradução de Octavio Mendes Cajado. Difusão Europeia do Livro, São Paulo, 1971.

FABRIS, Annateresa. Portinari, Pintor Social. São Paulo: Perspectiva, 1990.

FAUSTO, Boris. A revolução de 1930: historiografia e história. São Paulo: Brasiliense, 1995.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Práticas interdisciplinares na escola: Interdisciplinaridade: definição, projeto, pesquisa. Ivani Catarina Arantes Fazenda (coord.) 12. Ed: São Paulo: Cortez, 2011.

FONSECA, João José Saraiva. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A interdisciplinaridade como necessidade e como problema nas ciências sociais. In: BIANCHETTI. L., JANTSCH. A. Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. Petrópolis: Vozes. 1995.

GARCIA, Nélson Jahr. Estado Novo, ideologia e propaganda política. eBooksBrasil.com, 1999.

GAZIER, Bernard. A Crise de 1929. Porto Alegre: L&PM Editores, 2009. Disponível em: Acesso em out. 2019.

GOTLIB, Nádia Battella. Tarsila do Amaral: a musa radiante. São Paulo: Brasiliense, 1983.

MIRANDA, Maria Geralda de; AVELAR, Katia Eliane Santos. Café, o que reluz pode ser ouro: uma análise semiótica da tela Café, do pintor Cândido Portinari. Semioses, Rio de Janeiro, v. 7, n.1, p. 40 - 49, 2013.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita. Repensar a reforma repensar o pensamento. 6 ed., Rio de janeiro: Bertrand Brasil ltda, 2002.

MORIN, Edgar. Os Sete Saberes necessários à Educação do Futuro. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

OLIVEIRA, Marina Colli de. Os Retirantes de Portinari: crítica comentada sobre as obras da série pertencente ao MASP. Dissertação de Mestrado. Uberlândia: UFU, 2018.

PANDOLFI, Dulce (org.). Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio, 1999.

PEDROSA, Mario. Dos murais de Portinari aos espaços de Brasília. São Paulo: Perspectiva, 1981.

POMBO, Olga. Interdisciplinaridade: conceito, problemas e perspectivas. 1993. Disponível em: . Acesso em jul. 2019.

PROJETO PORTINARI. Disponível em: acesso em out. 2019.

SANTOS, Rodrigo Otávio dos. Fundamentos da pesquisa histórica. Curitiba: InterSaberes, 2016.

SÃO PAULO. Tarsila. Site oficial. 2018. Disponível em: Acesso em: ago. 2019.

VASCONCELOS, José Antonio. Metodologia do ensino de história. Curitiba: InterSaberes, 2012.

WOODFORD, Susan. A arte de ver a arte. São Paulo: Círculo do Livro, 1983.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2021v27n1p261

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br