Notas exploratórias sobre a mídia cinemática no ensino de história na cidade do Rio Grande/ RS

Luiz Paulo da Silva Soares

Resumo


O presente trabalho, visa apresentar algumas notas exploratórias sobre a dissertação de Mestrado titulada: [...] A mesma teve como problemática, compreender quais as concepções sobre mídias cinemáticas e o seu papel no ensino, são percebidas nos trabalhos realizados por professores no ensino de História na cidade do Rio Grande/RS, Brasil. O material empírico foi pautado em questionários semiestruturados respondidos por vinte e seis professores da rede básica de ensino e, também, por narrativas orais. A fundamentação teórica está ancorada em autores como Ferro (2010), Carmo (2012) e Fonseca (2012) para o qual a utilização destes “produtos culturais” na sala de aula podem levar o estudante a se envolver mais com as aprendizagens, mediante processos investigativos e “mais vivos”. Desta forma, constatamos que o cinema como mobilizador de aprendizagens, favorece um espaço propício para discussão e construção de novos conhecimentos, mediante a reflexão, a curiosidade e a criticidade dos estudantes. 


Palavras-chave


Mídia cinemática; Professores de história; Ensino de história; Escolas públicas

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERA, François. Eisenstein e o construtivismo russo. São Paulo: Cosac e Naify, 2002.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2012.

BARROS, José D’Assunção. Cinema e história: entre expressões e representações. In: NÓVOA, Jorge; BARROS, José D’Assunção (org.) Cinema-história: teoria e representações sociais no cinema. Rio de Janeiro: Apicure, 2012. p. 9-52.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 165-196. (Obras escolhidas, v. 1).

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: história. Brasília: MEC: SEF, 1998.

CARMO, Leonardo Cesar do. O cinema do feitiço contra o feiticeiro: cinema de massa e crítica da sociedade. Goiânia: Ed. da PUC Goiás, 2012.

CARVALHO, Carlos Delgado de. Introdução metodológica aos estudos sociais. Rio de Janeiro: Agir, 1957.

COUSIN, Marcelo. Janela para o mundo: o cinema como ponte entre lugares reais e imaginários. In: PORTUGAL, Jussara Fraga; CHAIGAR, Vânia Alves Martins (org.). Cartografia, cinema, literatura e outras linguagens no ensino de geografia. Curitiba: Editora CRV, 2012. p. 65-77.

DUARTE, Rosália. Cinema e educação. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

FERRO, Marc. Cinema e história. Tradução Flávia Nascimento. São Paulo: Paz & Terra, 2010.

FERRO, Marc. O filme: uma contra-análise da sociedade? In: LE GOFF, Jaques; NORA, Pierre. História: novos objetos. 2. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1974, p. 199-215.

FONSECA, Selva Guimarães. Didática e prática de ensino de história. Campinas: Papirus, 2012.

LEE, Peter. Em direção a um conceito de literacia histórica. Revista Educar, Curitiba, p. 131–150, 2006. Disponível em: http://revistas.ufpr.br/educar/article/view/5543/4057. Acesso em: 3 jan. 2021.

LEUTRAT, Jean Louis. Uma relação de diversos andares: cinema & história. Imagens: Cinema 100 anos, Campinas, n. 5, p. 28-33, 1995.

LERVOLINO, Solange Abrocesi; PELICIONI, Maria Cecilia Focesi. A utilização do grupo focal como metodologia qualitativa na promoção dasaúde. Revista da Escola de Enfermagem USP, v. 35, n. 2, p. 115-121, jun, 2001.

MAIAKOVSKI, Vladimir. O manifesto do cinema. Revista Kino-fot, Moscou, n. 5, out. 1922.

MORETTIN, Eduardo Victorio. O cinema como fonte histórica na obra de Marc Ferro. História: questões & debates, Curitiba, v. 38, n. 1, jun. 2003. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/historia/article/view/2713/2250. Acesso em: 3 jan. 2021.

OLIVEIRA Regina Soares de; ALMEIDA, Vanusia Lopes de; FONSECA, Vitória Azevedo da. História e cinema. In: CANO, Márcio Rogério de Oliveira (coord.). Coleção: a reflexão e a prática de ensino - história. São Paulo: Edigraf, 2012. v. 6, p. 31-45.

SERRANO, Jonathas. Metodologia da história na aula primária. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1917.

SZYMANSKI, Heloisa. Entrevista reflexiva: um olhar psicológico sobre a entrevista em pesquisa. In: SZYMANSKI, Heloisa (org.). A entrevista na pesquisa em educação: a prática reflexiva. Brasília: Plano Editora, 2002. p. 193-215.

THOMPSON, John Brookshire. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

THOMPSON, Jonh Brookshire. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. 11ª edição. Petrópolis, RJ, Vozes, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2021v27n1p241

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br