A imprensa escrita como afirmação do discurso docente: práticas para o ensino de História

Regina Beatriz Guimarães Neto, Jonathas Duarte Oliveira de Souza

Resumo


Este trabalho discute a utilidade de jornais impressos para o ensino da história sobre a Ditadura Militar (1964-1985). Sem procurar se constituir um manual delimitado de técnicas, faz uma breve apreciação da prática docente para o ensino de História e debate o atual modelo, considerado relativamente pobre de atributos que caracterizam o regime de 1964 como uma ditadura. Reflete a dimensão de fontes históricas para o ensino de história, atrelada à interpretação dos textos em perspectiva multidisciplinar, utilizando neste o Jornal do Brasil (RJ). Assim, inspirando-nos em Foucault (1996), procuramos analisar algumas matérias da imprensa que podem ser utilizadas na escola, a fim de desnaturalizar discursos que se multiplicam a partir de lugares institucionais que se dizem neutros.


Palavras-chave


Ensino de História; Imprensa escrita; Análise do discurso; Ditadura Militar.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRIADA, Eduardo; VALLE, Hardalla; CLARO, Lisiane. A utilização de fontes no ensino de história: a imprensa na construção do conhecimento. Revista Momento, Rio Grande, v. 20, p. 59-72, 2011.

BANDEIRA de Melo defende aculturação do índio para integrá-lo à comunidade. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 8, 31 out. 1970.

BENJAMIN, Walter. Teses sobre o conceito de História. In: BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas: magia e técnica, arte e política. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985. v. 1, cap. 15, p. 222-234.

BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Hemeroteca digital. 2018. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/. Acesso em: 20 mai. 2018.

BITTENCOURT, Circe. Livros didáticos entre textos e imagens: o saber histórico na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2009.

BLOCH, Marc. Apologia da história ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2001.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais de História. Brasília: MEC: Secretaria da Educação, 1998

BUTLER, Judith. Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

CAPELATO, Maria Helena Rolim. Imprensa e história do Brasil. São Paulo: Contexto, 1988. 78 p. (Coleção Repensando a História) CERTEAU, Michel de. A Escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

DELFIM Netto defende a integração. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 1, 17 jul. 1970.

FAMÍLIAS pernambucanas instalam-se na Amazônia. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 15, 7 maio 1971.

FARGE, Arlette. Lugares para a história. São Paulo: Autêntica, 2011. 135 p.

FARIA, Maria Alice. Como usar o jornal na sala de aula. 10. ed. São Paulo: Contexto, 2009. 162 p.

FARIA, Maria Alice. O jornal na sala de aula. 13. ed. São Paulo: Contexto, 2004. 128 p.

FARIA, Maria Alice; ZANCHETTA JÚNIOR, Juvenal. Para ler e fazer o jornal na sala de aula. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2005. 178 p.

FONSECA, Selva Guimarães. Didática e prática de ensino de história. Campinas, SP: Papirus, 2003.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2008.

GENERAL vê Amazônia sob ameaça. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 4, 14 ago. 1971.

GOMES, Ângela de Castro; GUIMARÃES NETO, Regina Beatriz. Trabalho escravo contemporâneo: tempo presente e usos do passado. Rio de Janeiro: FGV, 2018.

GUIMARÃES NETO, Regina Beatriz. A lenda do ouro verde: política de colonização no Brasil contemporâneo. Cuiabá: Ed. Unicem, 2002. (Apoio Unesco).

HABERMAS, Jügen. O discurso filosófico da modernidade. São Paulo: Martins Fontes, 2000. 540 p.

HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. São Paulo: Autêntica, 2013. 267 p.

IANNI, Octavio. Colonização e contrarreforma agrária na Amazônia. Petrópolis, RJ: Vozes, 1979

INCRA faz um ano e quer resolver problemas. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 10 jul. 1971.

LUCA, Tania Regina de. Fontes impressas: história dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla Bassanezi (org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2005. p.111- 153.

MARTINS, José de Souza. A militarização da questão agrária no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 1984.

MENESES, Sônia. A Operação Midiográfica: da escritura do evento na cena pública à Inscrição do acontecimento no tempo - a mídia, a memória e a história. In: ALMEIDA, Lucila; FERREIRA, Marieta. História do tempo presente. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2014. p. 231-257.

MISSÃO Histórica. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 1, 31 out. 1974.

MONTENEGRO, Antônio Torres. História, metodologia e memória. São Paulo: Ed. Contexto, 2010.

NIETZSCHE, Friedrich. Segunda consideração intempestiva: a utilidade e o inconveniente da história para a vida. São Paulo: Escala, 2008. 125 p.

PALHARES, Isabela; DIÓGENES, Juliana. Três em cada 10 brasileiros são analfabetos funcionais no País. O Estado de São Paulo, São Paulo, 6 ago. 2018. Disponível em: https://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,tresem-cada-10-sao-analfabetos-funcionais-no-pais,70002432924. Acesso em: 29 nov. 2018

PORFÍRIO, Pablo F. de A. Medo, comunismo e revolução: Pernambuco (1959-1964). Recife: Ed. UFPE, 2009.

REIS, José Carlos. História e teoria: historicismo, modernidade, temporalidade e verdade. 3. ed. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2006. 246 p.

REVEL, Judith. Foucault: conceitos essenciais. São Carlos: Claraluz, 2005. 93 p.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2007.

SELEÇÃO se exibirá em homenagem à Revolução. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 26, 26 fev. 1970.

SOUZA, Jonathas Duarte Oliveira. Tecnologias de poder e controle da questão agrária brasileira: o INCRA e a SUDAM. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 30., 2019, Recife. Anais [...]. Recife: ANPUH, 2019.

TRÊS em cada 10 brasileiros são analfabetos funcionais. Educação, São Paulo, 8 ago. 2018a. Disponível em: https://revistaeducacao.com.br/2018/08/08/tres-em-cada-10-brasileirossao-analfabetos-funcionais-1/. Acesso em: 29 nov. 2018

TRÊS em cada dez são analfabetos funcionais no país, mostra estudo. Veja, São Paulo, 6 ago. 2018b. Disponível em: https://veja.abril.com.br/educacao/tres-em-cada-dez-sao-analfabetosfuncionais-no-pais-mostra-estudo/. Acesso em: 29 nov. 2018

VIOLÊNCIA mata 300 garimpeiros. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 32, 9 dez. 1979.

ZART, Laudemir Luiz. Desencanto na nova terra: assentamento no município de Lucas do Rio Verde MT na década de 80. 1998. 189p.

Dissertação (Mestrado em Sociologia Política) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2019v25n2p13

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br