Livros Didáticos, História Pública e o conhecimento histórico produzido sobre o Judeu no Brasil: diálogos e perspectivas

Helena Ragusa

Resumo


Neste artigo buscamos analisar as representações existentes acerca do judeu no Brasil em duas coleções didáticas referentes ao ano de 2018 voltadas para o Ensino Médio, de modo a dialogar com os demais meios de divulgação do conhecimento histórico, não necessariamente institucionais, mas que colaboram para que essa identidade esteja consolidada no imaginário social, como por exemplo, aqueles que circulam na cibercultura. Presentes em nosso território desde o período que compreende a colonização portuguesa, num processo imigratório contínuo, os judeus ocuparam diferentes espaços formando amplas redes de sociabilidade ou sociais entre gerações, formando laços e misturando-se a elas tornando-se algumas vezes invisíveis. Essa invisibilidade conforme constatada em um trabalho anterior parece ter sido amenizada na produção didática e em alguns aspectos, embora bastante timidamente, no universo virtual. Interessa-nos perscrutar como essas narrativas corroboram na formação da consciência histórica dos estudantes em constante conexão com o ciberespaço e também enquanto público leitor das obras didáticas que circundam o espaço escolar.

Palavras-chave


Livro Didático; História Pública; Judeus

Texto completo:

PDF

Referências


ASHERI, M. O judaísmo vivo: as tradições e as leis dos judeus praticantes. Rio de Janeiro: Imago, 1995.

AZEVEDO, Gislaine; SERIACOPI, Reinaldo. História: passado e presente. São Paulo: Ática, 2016.

BARBOSA, L. A. Resistência cultural dos judeus no Brasil. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) – Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2006.

BARTEL, Carlos Eduardo. O movimento sionista e a formação da comunidade brasileira (1901-1956). 2012. 320 f. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

BERGMANN, Klaus. A História na reflexão didática. Revista Brasileira de História. V.9, n.19, set.89/fev.90, p. 29-42.

BOULOS JÚNIOR, Alfredo. História, Sociedade & Cidadania: 1º ano. São Paulo: FTD, 2016. BRASIL. Ministério da Educação. Guia de livros didáticos: PNLD 2018 - História. Brasília: Secretaria de Educação Básica, 2018. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/pnld-2018/. Acesso em: 16 ago. 2018.

CAIMI, Flavia Eloisa. O livro didático de história e suas imperfeições: repercussões do PNLD após 20 anos. In: ROCHA, Helenice; REZNIK, Luis; MAGALHÃES, Marcelo 0de Souza (org.). Livros didáticos de história: entre políticas e narrativas. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2017. p. 33-54.

CARVALHO, Bruno Leal Pastor de. O negacionismo do Holocausto na internet: o caso da “Metapédia - a enciclopédia al-ternativa”. Faces da história. Assis, p. 5-23, 2016. Disponível em: https://www.academia.edu/26614572/O_negacionismo_do_Holocausto_na_ internet_o_caso_da_Metape_dia_a_enciclope_dia_alternativa_. Acesso em: 21 set. 2018.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignación y esperanza: los movimientos sociales en la era de internet. Madrid: Alianza Editorial, 2012.

CAVALCANTE, Ania. O universo concentracionario nazista de 1933 a 1945 e a implementacao da "Solucao Final da Questao Judaica", 1941-1945. In: BORELLI Andrea; ZAGNI Rodrigo Medina. (org.). Conflitos armados, massacres e genocídios. São Paulo: Editora Fino Traço, 2012. p. 76-96.

GONÇALVES, Alexandre. Bahia pode ter artefato judeu do séc. 17. Estadão, São Paulo, 2012. Disponível em: https://www.estadao.com.br/noticias/geral,bahia-pode-ter-artefato-judeudo-sec-17-imp-,837848. Acesso em: 18 ago. 2018.

FONSECA, T. N. L. E. Mídias e divulgação do conhecimento histórico. In: Aedos. Revista do Corpo Discente do Programa de Pós-Graduação em História da UFRGS (Online), v. 4, p. 129-140, 2012.

FORTUNA, Cláudia Prado; GALZERANI, Maria Carolina Bovério. Práticas de memória, tempo e ensino de História. In: ZAMBONI, Ernesta; GALZERANI, Maria Carolina Bovério; PACIEVITCH, Caroline. Memória, Sensibilidades e Saberes, Campinas: Alínea, 2015. p. 42-51.

MENDES, Helen. Brasileiros contestam embaixada da Alemanha sobre o nazismo. Gazeta do Povo, Curitiba, 2018. Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/ideias/brasileiros-contestam-embaixadada-alemanha-sobre-o-nazismo-973iq3sifpf8eauyyk5gf7ybq/. Acesso em: 19 set. 2018.

GEIGER, Pedro Pinchas. O povo judeu e o espaço. Revista Laboratório de Gestão do Território, Rio de Janeiro, p. 85-104, 1998.

HUTZ, A. Os cristãos novos portugueses no tráfico de escravos para a América Espanhola (1580-1640). 2008. 113 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Econômico) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

JULIA, D. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas, n. 1, p. 9-43, 2001.

KOGAN, Andréa. Judeus: povo do livro, da informação e da internet. Revista Último Andar, São Paulo, p. 115-126, 2016. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/ultimoandar/article/view/31315/21812. Acesso em: 12 jul. 2018.

LOURENÇO NETO, Sydenham. Imigrantes judeus no Brasil, marcos políticos de identidade. Locus: revista de história, Juiz de Fora, p. 223-237, 2008.

MALERBA, Jurandir. Os historiadores e seus públicos: desafios ao conhecimento histórico na era digital. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 37, n. 74, p. 135-154, 2017.

MOLINA, Ana Heloisa. Usos e funções do fotojornalismo na produção do saber histórico: a Segunda Guerra Mundial em imagens nos livros didáticos de História (1985-1995). In: GAWRYSZEW, Alberto (org.). Imagem: artefato cultural. Londrina: EDUEL, 2017.

MORAES, Alexandre Santos de. História pública e literatura: reflexões sobre o discurso. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura. Campinas, p. 31- 36, 2014.

NOVINSKY, Anita W. Cristãos-novos na Bahia: a Inquisição. São Paulo: Perspectiva, 1972.

NOVINSKY, Anita W. O papel dos judeus no grandes descobrimentos. Revista Brasileira de História, São Paulo, v.11, n. 21, p. 65-76, 1991.

PAGÈS, Joan. Saberes Históricos Construídos - Saberes Históricos Apropriados: uma reflexión desde la didáctica de la historia. In: ZAMBONI, Ernesta; GALZERANI, Maria Carolina Bovério; PACIEVITCH, Caroline. Memória, Sensibilidades e Saberes. Campinas: Editora Alínea, 2015. p. 304- 325.

PEREIRA, Nilton Mullet. A invenção do medievo: narrativas sobre a Idade Média nos livros didáticos de história.

ROCHA, Helenice; REZNIK, Luis; MAGALHÃES, Marcelo de Souza (org.). Livros didáticos de história: entre políticas e narrativas. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2017. p. 169 - 202.

PIRKE AVOT : Ética dos Pais – São Paulo, B’nai B’rith, 1976, 1a ed., tradução e notas explicativas de Eliezer Levin.

RAGUSA, Helena. A História dos Cristãos-Novos no Brasil Colonial e a Escrita nos Livros Didáticos: Um Estudo Comparativo. Dissertação ((Mestrado em História) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2012.

ROCHA, Helenice. Livros didáticos de história em análise: a força da tradição e transformações possíveis. In: ROCHA, Helenice; REZNIK, Luis; MAGALHÃES, Marcelo de Souza (org.). Livros didáticos de história: entre políticas e narrativas. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2017. p. 11-30.

RÜSEN, Jörn. História Viva: Teoria da História III: formas e funções do conhecimento histórico. Tradução de Estevão de Rezende Martins. Brasília: EDUNB, 2007.

RÜSEN, Jörn. Razão histórica: teoria da História - os fundamentos da ciência histórica. Brasília: EDUNB, 2001. SANTHIAGO, Ricardo. Duas palavras, muitos significados: alguns comentários sobre a história pública no Brasil. In: MAUAD, Ana Maria; ALMEIDA, Juniele; SANTHIAGO, Ricardo (org.). História pública no Brasil: sentidos e itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016. p.23-35.

SARLO, Beatriz. Tempo passado: cultura da memória e guinada subjetiva. Tradução de Rosa Freire d’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras; Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2007.

SENA, André Luis Prudêncio. Da sinagoga ao parlamento: do santuário à nação. A historiografia judaica moderna em questão. In LEWIN, Helena (coord.). Judaísmo e modernidade: suas múltiplas inter-relações. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2009. p. 720-730. Disponível em: http://books.scielo.org/id/ztpr5/pdf/lewin-9788579820168- 58.pdf. Acesso em: 30 jul. 2018.

TOPEL, Marta Francisca. Terra prometida, exílio e diáspora: apontamentos e reflexões sobre o caso judeu. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, p. 331-352, 2015.

VAINFAS, Ronaldo; ASSIS, Angelo F. de. A esnoga da Bahia: cristãos-novos e criptojudaísmo no Brasil quinhentista. In: GRINBERG, K. (org.). Os judeus no Brasil: inquisição, imigração e identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005. p. 43-63.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2018v24n2p337

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br