Fotografia, tempo e ensino de História: articulações para uma aprendizagem significativa

Katani Monteiro Ruffato, Lara Moncay Reginato

Resumo


O artigo apresenta o desenvolvimento de uma metodologia que utiliza a fotografia em sala aula como forma de gerar aprendizagens significativas sobre o tempo histórico. Esta metodologia foi desenvolvida a partir de um projeto de pesquisa no âmbito do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade de Caxias do Sul - Mestrado Profissional - aplicada na Escola Estadual Técnica Caxias do Sul, para estudantes do 3º ano do Ensino Médio. Parte da percepção de que a fotografia é uma fonte histórica por ser uma produção humana no tempo e, como tal, pode ser observada como um documento/monumento, conforme Le Goff (1996). Ao mesmo tempo, por ser capaz de produzir significado e sentido naquele que a observa, a fotografia adquire status de linguagem, uma linguagem não verbal, semiótica. Analisamos a fotografia nesses dois sentidos – como fonte histórica e como linguagem – e, em conjunto, utilizamos os pressupostos de Kossoy (2007) acerca da desconstrução dessa fonte imagética, por meio da análise de seus aspectos iconográficos e iconológicos. Na prática, os alunos analisaram fotografias de seus acervos familiares relativas ao passado em contraponto com fotografias produzidas por eles no tempo presente. A partir disso, construíram legendas em forma de narrativa histórica que privilegiam o tempo histórico em suas múltiplas dimensões de rupturas, permanências, transformações e continuidades.

Palavras-chave


fotografia; Tempo histórico; Aprendizagem significativa; Ensino de História.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE JUNIOR, Durval Muniz. Fazer defeitos nas memórias: para que servem o ensino e a escrita da história. In: MONTEIRO, Ana Maria; ROCHA, Elenice Aparecida Bastos; RESNIK, Luis; GONÇALVES, Márcia de Almeida (org.). Qual o valor da história hoje? Rio de Janeiro: Editora FGV, 2012. p. 21 - 39.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70: LDA, 2009.

BARBOSA, Ana Clarisse Alencar. Educação da criança na revitalização da identidade indígena:o contexto xokleng/laklãnõ. 2011. Dissertação (Mestrado em educação) - Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, 2011.

BARROS, José D’Assunção. O tempo dos historiadores. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2013.

BLOCH, Marc. Apologia da História. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

CAIMI, Flávia Eloisa. Qual é o lugar do ensino médio na escolarização e em que consiste a especificidade da História no ensino médio? In: ZAMBONI, Ernesta; GALZERANI, Maria Carolina B.; PACIEVITCH, Caroline (org.). Memória, sensibilidades e saberes. Campinas, SP: Editora Alínea, 2015. p. 409 - 422.

GEVAERD, Rosi Terezinha Ferrarini. A narrativa histórica como uma maneira de ensinar e aprender história: o caso da história do Paraná. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 25., 2009, Fortaleza. Anais [...]. Fortaleza: ANPUH, 2009. p. 1 - 10.

HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2014.

KOSSOY, Boris. Os tempos da fotografia: o efêmero e o perpétuo. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2007.

LE GOFF, Jacques. História e memória. 4 Ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1996.

MAUAD, Ana Maria. Usos e funções da fotografia pública no conhecimento histórico escolar. História da educação, Pelotas, v. 19, n. 47, p. 81 – 108, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2236-34592015000300081&script=sci_abstract&tlng=pt . Acesso em: 6 dez. 2017.

MENESES, Ulpiano Bezerra de. Fontes visuais, cultura visual, história visual. Balanço provisório, propostas cautelares. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 23, n. 45, p. 11 - 36, 2003.

MOREIRA, Marco Antônio. Aprendizagem significativa. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1999.

RAMOS, Matheus Mazini. A fotografia e o tempo. Jundiaí, SP: Paco Editorial, 2012.

REGINATO, Lara Moncay. A fotografia como fonte para uma aprendizagem significativa sobre o tempo histórico. 2018. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, 2018.

RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa. Campinas: Papirus, 1994. t. 1.

SANTAELLA, Lúcia. O que é semiótica. 9 ed. São Paulo, SP: Editora Brasiliense, 1990.

SEFFNER, Fernando. Aprender e ensinar história: como jogar com isso? In: GIACOMONI, Marcelo Paniz; PEREIRA, Nilton Mullet. Jogos e ensino de história. Porto Alegre, RS: Editora Evangraf, 2013a. p. 25 - 46.

SEFFNER, Fernando. Aprendizagens significativas em História: critérios de construção para atividades em sala de aula. In: GIACOMONI, Marcelo Paniz; PEREIRA, Nilton Mullet. Jogos e ensino de história. Porto Alegre, RS: Editora Evangraf, 2013b. p. 47-62.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2019v25n1p279

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br