A "História Nova do Brasil" enquanto lugar de memória e Livro Didático e Político

Tiago Conte

Resumo


Lançada às vésperas do golpe de 1964, a História Nova do Brasil foi uma coleção de livros didáticos destinada aos professores secundários de história. Elaborada no Instituto Superior de Estudos Brasileiros (ISEB) por encomenda do Ministério da Educação e Cultura (MEC), a coleção foi um dos primeiros alvos da repressão que se seguiu com o golpe, tendo seus volumes apreendidos e seus autores presos. Contudo, embora suas edições e vínculos institucionais tenham sido indicados em outros trabalhos, a História Nova do Brasil ainda está por ser analisada por outros aspectos. Este artigo pretende avaliar a coleção enquanto lugar de memória, segundo o conceito de Pierre Nora, e em suas dimensões políticas e cognitivas, conforme as teorias de Jörn Rüsen sobre cultura história e consciência histórica.

Palavras-chave


História Nova do Brasil; Lugares de memória; Dimensões políticas e cognitivas da história

Texto completo:

PDF

Referências


BERTOLINI, João Luis da Silva. Passeata contra o livro de História único: Curitiba, 24 de março de 1964. In: ABUD, Kátia; SCHMIDT, Maria Auxiliadora (org.). 50 anos da Ditadura Militar: capítulos sobre o ensino de História no Brasil. Curitiba: W&A Editores, 2014. p. 83-105.

CARDOSO, Oldimar. Para uma definição de didática da História. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 28, n. 55, p. 153-170, 2008.

CARDOSO, Vanessa Clemente. A polêmica História Nova do Brasil: um projeto de vanguarda derrotado politicamente. História & Ensino, Londrina, v. 22, n. 1, p. 127-154, jan./jun. 2016.

CODATO, Adriano Nervo; OLIVEIRA, Marcus Roberto de. A marcha, o terço e o livro: catolicismo conservador e ação política na conjuntura do golpe de 1964. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 24, n. 47, p. 271-302, 2004.

CZAJKA, Rodrigo. Praticando delitos, formando opinião: intelectuais, comunismo e repressão (1958-1968). 2009. 388 f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

FERREIRA, Marieta de Moraes. A história como ofício: a constituição de um campo disciplinar. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013.

GUIMARÃES, Lucia Maria Paschoal; LEONZO, Nanci. A reforma de base no ensino da história pátria: o projeto da História Nova do Brasil. Revista de História, São Paulo, n. 149, p. 235-251, 2003.

LACOMBE, Américo Jacobina et al. História Nova (Parecer). Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, v. 263, p. 283- 302, abr./jun. 1964.

LOURENÇO, Elaine. História Nova do Brasil: revisitando uma obra polêmica. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 28, n. 56, p. 385-406, 2008.

MENDONÇA, Sueli Guadelupe de Lima. A experiência da História Nova: uma tentativa de revisão crítica do ensino de História no Brasil nos anos 60. 1990. 69 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 1990.

MENDONÇA, Sueli Guadelupe de Lima. Werneck Sodré, História Nova: contribuição pioneira ao ensino de História no Brasil. In: CUNHA, Paulo; CABRAL, Fátima (org.). Nelson Werneck Sodré: entre o sabre e a pena. São Paulo: Editora Unesp, 2006. p. 327-342.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História, São Paulo, v. 10, p. 7-29, dez. 1993.

PEREIRA, Daniel Mesquita. Boletim de História: uma experiência de vanguarda na Faculdade Nacional de Filosofia - 1958/1963. 1998. 114 f. Dissertação (Mestrado em História) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1998.

PINTO, João Alberto da Costa. A origem e o sentido político do projeto História Nova do Brasil (1963-1965). In: CUNHA, Paulo; CABRAL, Fátima (org.). Nelson Werneck Sodré: entre o sabre e a pena. São Paulo: Editora Unesp, 2006. p. 343-357.

RÜSEN, Jörn; JAEGGER, Friedrich. A cultura da memoração na história da República Federal da Alemanha. In: RÜSEN, Jörn (org.). Cultura faz sentido: orientações entre o ontem e o amanhã. Petrópolis: Vozes, 2014. p. 89-146.

SANTOS, Joel Rufino dos et al. História Nova do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1965. v. 1.

SANTOS, Joel Rufino dos et al. História Nova do Brasil: 1963-1993. São Paulo: Loyola: Giordano, 1993.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da História Nova. Petrópolis: Vozes, 1987. TOLEDO, Caio Navarro de. ISEB: fábrica de ideologias. São Paulo: Ática, 1977.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2018v24n2p381

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br