O conceito “Escravidão” nos Manuais Didáticos de História: diálogos, itinerários e narrativas em Brasil e Portugal

Ana Paula Squinelo, Glória Solé, Isabel Barca

Resumo


Os resultados parciais apresentados nesta reflexão referem-se à parte das atividades realizadas no Estágio Pós-Doutoral no Instituto de Educação da Universidade do Minho (Braga/Portugal), através do Departamento de Estudos Integrados de Literacia, Didática e Supervisão na especialidade em Educação em História e Ciências Sociais. O citado estágio de pós-doutoramento foi realizado entre os meses de setembro de 2016 e agosto de 2017. Nessa reflexão investigamos a partir de um estudo comparativo como o conteúdo escravidão é apresentado nos manuais didáticos de história do Brasil e de Portugal, sendo que para o Brasil foram analisados quatro manuais referentes ao 7° Ano do Ensino Fundamental II pertinentes ao Plano Nacional do Livro Didático (PNLD/2017) e Portugal quatro manuais concernentes ao 8° Ano do 3° Ciclo adotados em escolas públicas do país. Os referenciais teóricos para análise dos manuais didáticos ancoraram-se nos estudos, sobretudo de Alain Choppin (2004), Jörn Rüsen (2010) e Circe Bittencourt (2011) e a pesquisa como um todo se ancorou nos postulados da Educação Histórica, principalmente nos estudos de Isabel Barca (2000) e Peter Lee (2003). Para subsidiar as discussões acerca da questão do conceito de escravidão levando em consideração a trajetória historiográfica que permeia o tema, privilegiamos a obra de Gilberto Freyre (1933) e de Robert W. Slenes (2011). Ao final apontamos as conclusões parciais no que se relacionam as narrativas didáticas sobre o conteúdo escravidão nos Manuais Didáticos brasileiros e portugueses que compôs a amostra desta investigação.


Palavras-chave


Manuais Didáticos; Escravidão; Narrativas; Brasil; Portugal

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, Isabel. O papel do manual de História no desenvolvimento de competências: um estudo com professores e alunos do ensino secundário. 2013. 342 f. Tese (Doutorado em Ciências da Educação) - Universidade do Minho, Portugal, 2013.

AFONSO, Isabel; BARCA, Isabel. O manual escolar como recurso em educação histórica: estudo com professores portugueses do ensino secundário. Revista de Educação Histórica, Curitiba, n. 3, p. 93-103, maio/ago. 2013.

AMARAL, Cláudia; JESUS, Elisabete; ALVES, Eliseu. Missão: História. Portugal: Porto Editora, [s./d.]. (Revisão Científica e Pedagógica Isabel Barca).

AZEVEDO, Gislane; SERIACOPI, Reinaldo. Projeto Teláris. São Paulo: Ática, 2016.

BARREIRA, Aníbal; MOREIRA, Mendes. Rumos da História. Lisboa: Edições ASA, 2003.

BARRUCHO, Luis. Ensino de História em Portugal perpetua o mito do “bom colonizador” e banaliza escravidão, diz pesquisadora. Jornal BBC Brasil, São Paulo, 31 jul. 2017. Disponível em: http://www.bbc.com/portuguese/internacional-40735234. Acesso em: 11 jan. 2018.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Produção didática de História: trajetórias de pesquisas. Revista de História, São Paulo, n. 164, p. 87-516, jan./jun. 2011.

BRASIL. Guia de Livros Didáticos: PNLD 2017. História: ensino fundamental: anos finais. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica, 2016.

BRASIL. Lei n° 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, e dá outras providências, Brasília, 2003.

BRASIL. Lei n° 11.645, de 10 de março de 2008. Altera a Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei n° 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”, e dá outras providências, Brasília, 2008.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. História: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria de Educação Básica, 1998.

CARRASCO, Cosme Jesús Gómez; PUCHE, Sebastián Molina. Narrativas nacionales y pensamiento histórico en los libros de texto de Educación Secundaria de España y Francia. Análisis a partir del tratamiento de los contenidos de la Edad Moderna. Vínculos de Historia. Revista del Departamento de Historia de la Universidad de Castilla-La Mancha, 6, 2017, 206-229.

CHOPPIN, Alain. História dos livros e das edições didáticas: sobre o estado da arte. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.30, n.3, p. 549-566, set./dez. 2004.

CIRNE, Joana. HENRIQUES, Marília. Viagem na História. Portugal: Areal Editores, [s./d.].

DIAS, Adriana Machado; GRINBERG Keila; PELLEGRINI, Marco Cesar. Coleção Vontade de Saber. São Paulo: FTD, 2016. FERNÁNDEZ, Raimundo Cuesta. Los textos visibles fundadores del código disciplinar: los libros de texto. In: FERNÁNDEZ, Raimundo Cuesta. Sociogénesis de una disciplina escolar: la Historia. Barcelona: PomaresCorredor, 2009. p. 85-98. (versão eletrônica)

FREYRE, Gilberto. Casa grande & senzala. Formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. São Paulo: Círculo do Livro, 1978 [1933] [1980].

GEVAERD, Rosi Terezinha Ferrarini. A ideia de escravidão presente na narrativa de manuais didáticos de história. História Revista, Goiânia, v. 17, n. 1, p. 105-120, jan./jun. 2012.

GORENDER, Jacob. O escravismo colonial. 5. ed. rev. e amp. São Paulo: Ática, 1988 [1978].

MAIA, Cristina; BRANDÃO, Isabel Paulos. Viva a história! Portugal: Porto Editora, [s/d].

OBRA COLETIVA. Projeto Araribá: história. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2007, p. 224.

PILETTI, Nelson; PILETTI, Claudino; TREMONTE, Thiago. História e vida integrada. 4. ed. São Paulo: Ática, 2009. POMBO, Rocha. Nossa Pátria. Narração dos factos da Historia do Brasil, através da sua evolução com muitas gravuras explicativas. 60.ed. São Paulo: Companhia Melhoramentos de São Paulo,[s/d].

PORTUGAL. Metas Curriculares de História: 3° Ciclo do Ensino Básico. Lisboa: Ministério da Educação e Ciência, 2013/2014.

PORTUGAL. ME-DGE. Aprendizagens Essenciais (AE). 2018. Disponível em: «http://www.dge.mec.pt/aprendizagens-essenciais-ensino-basico». Acessado em 09 de setembro de 2018.

PROENÇA, Wander de Lara. Escravidão no Brasil: debates historiográficos contemporâneos. In: Semana de História, 24.: pensando o Brasil no centenário de Caio Prado Júnior. 2007, Assis. Anais eletrônicos... Assis:

UNESP, 2007. QUEIRÓZ, Sueli Robles Reis de. Escravidão negra em debate. In: FREITAS, Marcos Cezar (org.). Historiografia brasileira em perspectiva. São Paulo: Contexto, 1998. p. 103-17.

RODRIGUES, Nina. Os africanos no Brasil. 6. ed. São Paulo: Nacional, 1982. RÜSEN, Jörn. O livro didático ideal. In: SCHMIDT, Maria Auxiliadora; BARCA, Isabel; MARTINS, Estevão de Rezende (org.). Jörn Rüsen e o ensino de história. Curitiba: UFPR, 2010, p. 109-27.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora Moreira dos Santos. Manuais de didática da história destinados à formação de professores e a constituição do código disciplinar da história no Brasil: 1935-1952. História [online], 2011, vol. 30, n. 2, pp. 126-143.

SLENES, Robert W. Na senzala, uma flor: esperanças e recordações na formação da família escrava. 2.ed. Campinas: UNICAMP, 2011 [1999].

SOLÉ, Glória. A história nos manuais escolares do ensino primário em Portugal: representações sociais e a construção de identidade(s). Historia y Memoria de la Educación, 6: 89-127, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5944/hme.6.2017.17128. Acesso em: 11 jan. 2018.

SOLÉ, Glória. O manual escolar no ensino primário em Portugal: perspectiva histórica e análise do ensino da História através deste recurso didático, ENSAYO: Revista de la Facultad de Educación de Albacete, Castela-Mancha, n. 29-1, 2014. Disponível em: http://www.revista.uclm.es/index.php/ensayos. Acesso em: 11 jan. 2018.

SQUINELO, Ana Paula. Revisões historiográficas: a Guerra do Paraguai nos livros didáticos brasileiros (PNLD 2011). Diálogos, Maringá, v. 15, n. 1, p. 19-39, 2011.

VIANA, Oliveira. Evolução do Povo Brasileiro. 4. ed. Ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1956.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2018v24n2p55

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br