Sob o falso prestígio do maravilhoso: o ensino de história nos pareceres da Instrução Pública de 1883

Ane Luise Silva Mecenas Santos, Cristiano Ferronato

Resumo


O escopo deste artigo é a análise da proposta de história ensinada a partir do parecer do projeto da reforma da instrução pública primária de 1882. O documento é um importante testemunho acerca dos embates sobre a renovação da instrução pública brasileira no último decênio do Império do Brasil, bem como de uma cultura política educacional de perspectiva liberal. Pautado no referido documento, ambiciona-se problematizar a concepção de história defendida pelos intelectuais que elaboraram o documento e o entendimento atinente ao lugar da disciplina história no âmbito da formação do cidadão brasileiro.


Palavras-chave


ensino de História; Rui Barbosa; instrução pública; história da Educação

Texto completo:

PDF

Referências


RÉMOND, René. Uma história presente. In: RÉMOND, René. Por uma história política. Tradução de Dora Rocha. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV, 1998. p. 13-26.

BARBOSA, Ruy; ESPÍNDOLA, Thomaz do Bomfim; VIANNA, Ulysses Machado Pereira. Reforma do ensino primario e varias instituições complementares da instrucção publica : parecer e projecto da Commissão de Instrucção Publica composta dos deputados Ruy Barbosa, Thomaz do Bonfim Espinola e Ulysses Machado Pereira Vianna. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1883.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Pátria, civilização e trabalho: o ensino de história nas escolas paulistas (1917-1939). São Paulo: Loyola, 1990.

BOTO, Carlota. A escola primária como tema do debate político às vésperas da República. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 19, n. 38, p. 253- 281, 1999.

ESPÍNDOLA, Thomaz do Bomfim. Geografia alagoana, ou descrição física, política e histórica da Província das Alagoas. Maceió: O Liberal, 1871.

GOMES, Ângela de Castro. Cultura política e cultura histórica no Estado Novo. In: SOIHET, Rachel; GONTIJO, Rebeca; GOMES, Ângela de Castro. Cultura política e leituras do passado: historiografia e ensino de história. Rio de Janeiro: Faperj; Civilização Brasileira, 2007. p. 30-47.

GOMES, Ângela de Castro; HANSEN, Patrícia Santos. Apresentação: intelectuais, mediação cultural e projetos políticos: uma introdução para delimitação do objeto de estudo. In: GOMES, Ângela de Castro; HANSEN, Patrícia Santos. Intelectuais mediadores: práticas culturais e ação política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016. p. 5-11.

GUIMARÃES, Manuel Luís Salgado. Nação e civilização nos trópicos: o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e o projeto de uma história nacional. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n. 1, p. 5-27, 1988.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2006. MORMUL, Najla Mehanna; MACHADO, Maria Cristina Gomes. Rui Barbosa e a educação brasileira: os pareceres de 1882. Cadernos de história da educação, Uberlândia, v. 12, n. 1, p. 277-295, 2013.

SANTOS, Magno Francisco de Jesus. A casa das Alagoas e as “cousas do passado”. Revista do IHGSE, Aracaju, n. 46, p. 95-116, 2013. SIRINELLI, Jean-François. Os intelectuais. In: RÉMOND, René. Por uma história política. Rio de Janeiro: FGV, 2007. p. 231-270.

VENÂNCIO FILHO, Alberto. O liberalismo nos pareceres de educação de Rui Barbosa. Estudos Avançados, São Paulo, v. 21, n. 61, p. 267-277, 2007.

VIANNA, Ulysses Pereira Machado. Relatorio apresentado á Assembléa Legislativa Provincial da provincia da Parahyba do Norte pelo presidente, exm. sr. doutor Ulysses Machado Pereira Vianna, em 1.o de janeiro de 1879. Parahyba do Norte: Typ. Liberal Parahy




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2019v25n2p115

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br