A invisibilidade da cultura negra brasileira através do discurso da “mestiçagem"

Bruno Marcelo de Souza Costa, Paulo Jorge Martins Nunes, Piedade Lino Videira, Elivaldo Serrão Custódio

Resumo


Este artigo tem como principal objetivo problematizar como a ideia de mestiçagem está muitas vezes ancorada de forma velada na tentativa de inviabilização da cultura negra no Brasil. O texto ora apresentado tenta problematizar o quanto o ideal de democracia racial emerge a partir do discurso velado de país mestiço-harmonioso e apresenta os mais expressivos intelectuais brasileiros, dentre eles Cavalleiro (2001) e Silva (2014), que discutem sobre o processo de branqueamento da sociedade brasileira. Todavia, é à luz de Kabengele Munanga que tentamos descortinar esse discurso ilusório e superficial da mestiçagem. As reflexões metodológicas que guiaram a escrita do artigo emergiram a partir de leituras sistemáticas e de discussões na disciplina Educação, Culturas e Diversidades, ministrada no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amapá. Para nós, mestiçagem existe sim, mas foi usada como discurso ideológico e falacioso ao longo da história com o intuito de manter o poder da elite dominante e branca.  


Palavras-chave


Mestiçagem; Brasil; Discurso; Racismo.

Texto completo:

PDF

Referências


BONFIM, Manuel. O Brasil na América: caracterização da formação brasileira. 2.ed. Prefácio de Maria Thétis Nunes. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa nacional por amostra de domicílios: síntese de indicadores. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br. Acesso em: 10 jan. 2020.

CAVALLEIRO, Eliane (org.). Racismo e anti-racismo na educação: repensando nossa escola. São Paulo: Selo Negro, 2001.

DA MATTA, Roberto. O que faz brasil, Brasil?. Rio de Janeiro: Rocco, 1986.

FANON, Frantz. Peles negras, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

HARRIS, Marvin. Padrões raciais nas Américas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1967.

MUNANGA, Kabengele. Negritude: usos e sentidos. São Paulo: Editora Ática, 1986.

MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

MUNANGA, Kabengele; GOMES, Nilma (org.). O negro no Brasil de hoje. São Paulo: Global, 2006.

NASCIMENTO, Abdias do. Processo de um racismo mascarado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

ROQUETTE-PINTO, Edgar. Ensaios de Antropologia Brasiliana. Rio de Janeiro: Editora Nacional, 1978.

RODRIGUES, Nina (1894). As raças humanas e a responsabilidade penal no Brasil. 3. ed. São Paulo: Cia Editora Nacional, 1938.

SILVA, Tomaz Tadeu (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

TORRES, Alberto. A organização nacional Brasília. DF: EdUnB, 1982.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2020v26n1p226

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br