Filmes, compreensão e empatia histórica: contribuições de um estudo empírico

Éder Cristiano de Souza

Resumo


O uso de filmes em aulas de História é temática amplamente debatida e difundida nos estudos sobre Ensino de História. Contudo, é raro encontrar estudos derivados de investigações empíricas para observar os limites e potencialidades da aprendizagem histórica mobilizada em tais atividades. Essa é a proposta do presente artigo, que apresenta parte dos resultados de uma pesquisa sobre a aprendizagem histórica de jovens a partir de filmes em aulas de História, direcionados a partir do conceito de “cognição histórica situada”. Propõem-se, então, caminhos para se pensar os filmes no ensino, principalmente a partir dos conceitos de “compreensão histórica” e “empatia histórica”, que permitem superar uma visão segundo a qual esta aprendizagem seria resultado exclusivo dos estímulos provocados pela linguagem fílmica.

Palavras-chave


Cognição Histórica Situada; Empatia Histórica; Linguagem Fílmica

Texto completo:

PDF

Referências


A QUEDA! As últimas horas de Hitler. Direção: Oliver Hirschibiegel; Roteiro: Joachim Fest, Traudle Junge e Melissa Muller. Gênero: Drama. Alemanha, 2004. (2h36m).

DAYAN, Daniel. Os mistérios da recepção. In: NÓVOA, Jorge; FRESSATO, Soleni B.; FEIGELSON, Kristian (Org.). Cinematógrafo: um olhar sobre a história. Salvador: Edufbaf; São Paulo: Unesp, 2009. p. 61-83.

FRONZA, Marcelo. A intersubjetividade e a verdade na aprendizagem histórica de jovens estudantes a partir das histórias em quadrinhos. 2012. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2012.

LEE, Peter. Em direção a um conceito de literacia histórica. Educar em Revista, Curitiba, ed. esp., p. 131-150, 2006.

LEE, Peter. Nós fabricamos carros e eles tinham que andar a pé": compreensão das pessoas do passado. In; BARCA, Isabel (Org.). JORNADAS INTERNACIONAIS DE EDUCAÇÃO HISTÓRICA: Educação histórica e museus. 2., 2003, Braga. Actas... Braga: Universidade do Minho, 2003.

O PIANISTA. Direção e Roteiro: Roman Polanski; Gênero: Drama. EUA, 2002. (2h30m). RÜSEN, Jörn. Esboço de uma teoria da aprendizagem histórica. In: RÜSEN, Jörn. Aprendizagem histórica: fundamentos e paradigmas. Curitiba: W. A. Editores, 2012.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora; BARCA, Isabel. Aprender história: perspectivas da educação histórica. Ijuí: Unijuí, 2009.

SOUZA, Éder C. Cinema e educação histórica: jovens e sua relação com a história em filmes. 2014. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014a.

SOUZA, Éder C. Cinema, cultura histórica e didática da história: repensar a relação entre filmes e conhecimento histórico. Revista de Teoria da História, Goiânia, ano 6, n. 12, dez. 2014b.

SOUZA, Éder C. O uso do cinema no ensino de história: propostas recorrentes, dimensões teóricas e perspectivas da Educação Histórica. Escritas, Tocantins, v. 4, p. 70-93, 2012.

TRIUNFO da vontade. Direção: Leni Riefenstahl. Roteiro: Leni Riefenstahl, Walter Ruttmann, Eberhard Taubert. Gênero: Documentário. Alemanha, 1935. (1h54m)




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2018v24n1p135

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br