Reflexões sobre o processo formativo de docentes em contextos mediados pela língua escrita

Maria Aparecida Lima dos Santos

Resumo


O presente trabalho se propõe a relatar e analisar uma experiência de formação continuada, no formato de curso de extensão, voltada a professores da rede municipal de Campos dos Goytacazes/RJ, e ocorrida no âmbito do projeto de pesquisa “Experiências da modernidade na arte e na política”. A experiência foi realizada em 2014/2015, atendendo a 30 assistentes. No projeto, considerou-se que os saberes docentes são temporais, variados e heterogêneos, situados e personalizados, concepção que torna possível vislumbrar esses saberes como elemento central dos processos formativos. Além disso, pressupõe-se que os professores não se limitam a executar currículos, mas também os elaboram, definem e reinterpretam a partir do que pensam, do que acreditam e valorizam, destacandose, nesse contexto, o papel do registro escrito enquanto instrumento cultural de aprendizagem. No texto, coloca-se em relação produções visuais e textuais de um dos docentes do curso, destacando-se a relação de diálogo do sujeito com seus saberes de maneira consciente e mediada pela escrita no contexto de produção de várias versões de um plano de aula. As conclusões apontam o potencial formativo da escrita quando compreendida a natureza dialógica, responsiva e autoconstitutiva da linguagem no desenvolvimento das reflexões dos docentes sobre a natureza do conhecimento histórico escolar.

Palavras-chave


Ensino de História. Formação de professores. Língua escrita

Texto completo:

PDF

Referências


AISENBERG, Beatriz. Usos de la escritura en la enseñanza de la Historia. Revista Opsis, Catalão, GO, v. 13, n. 1, p. 45-52, jan. /jun. 2013.

ALARCÃO, Isabel. Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto: Ed. Porto, 1996.

ANHORN, Carmen Teresa Gabriel. Um objeto de ensino chamado História: a disciplina de História nas tramas da didatização. Rio de Janeiro: Departamento de Educação, Pontifícia Universidade Católica, 2003.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas: magia, arte, técnica e política. São Paulo: Brasiliense, 1985. v. 1. CAIMI, Flávia E. Aprendendo a ser professor de história. Passo Fundo: Ed. UPF, 2008.

CHARLOT, Bernard. Relação com o saber, formação de professores e globalização: questões para a educação hoje. Porto Alegre: Artmed, 2005

FREITAS, Maria Teresa de. Letramento digital e formação de professores. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 26, n. 3, p. 335-352, dez. 2010.

GARCÍA-PÉREZ, Francisco F.; IGLESIAS, Francisco Javier Merchán; Una metodología basada en la idea de investigación para la enseñanza de la historia. In: ALDEROQUI, Silvia; AISENBERG, Beatriz, (Coord.). Didáctica de las Ciencias Sociales: aportes y reflexiones. Buenos Aires: Paidós, 1994. p. 183-204.

GEJÃO, Natália G. A fotografia como mediador cultural na construção do conhecimento histórico escolar. Antíteses, Londrina, v. 2, n. 3, p. 257-267, jan. / jun. 2009.

KNAUSS, Paulo. O desafio de fazer História com imagens: arte e culutra visual. ArtCultura, Uberlândia, v. 8, p. 97-115, jan. /jun. 2006. LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 19, p. 20-28, jan. /abr. 2002.

LAVILLE, Claude. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

LEITE, Miriam Moreira. Retratos de família. São Paulo: Edusp/Fapesp, 1993. LERNER, Delia. Situações de “dupla conceitualização”. In: CARDOSO, Beatriz et. al. Ensinar: tarefa para profissionais. Rio de Janeiro: Record, 2007.

LIMA, Solange Ferraz; CARVALHO, Vânia Carneiro de. Fotografia: usos sociais e historiográficos. In: PINSK, Carla B.; LUCA, Tania de. O historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto, 2009. p. 29-60.

MARSON, Adalberto. Reflexões sobre o procedimento histórico. In: SILVA, Marcos A. Repensando o ensino de História. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1986. p. 37-67.

MENEZES, Ulpiano B. de. Fontes visuais, cultura visual, História visual: balanço provisório, proposta cautelares. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 23, n. 45, p. 11-36, 2007.

MOLINA, Ana Heloisa. Ensino de História e imagens: possibilidades de pesquisa. Domínios da Imagem, Londrina, ano 1, n. 1, p. 15-29, nov. 2007.

MONTEIRO, Ana Maria F.C. A história ensinada: algumas configurações do saber escolar. Revista História & Ensino, Londrina, v. 9, p. 9-35. out. 2003

NÓVOA, Antonio. As palavras das imagens: retratos de professores (século XIX-XX). Atlântida: Revista de Cultura, v. 46, p. 101-122, 2000. Disponível em: Acesso em: 1 abr. 2018.

PIGNATELLI, Frank. Que posso fazer? Foucault e a questão da liberdade e da agência docente. In: Silva, Tomaz Tadeu (Org.). O sujeito da educação estudos foucaultianos. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

PIMENTA, Selma Garrido. Professor reflexivo: construindo uma crítica. In: PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Evandro (Org.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

POUPART, Jean et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2010. POZO, Juan I. Solução de problemas: aprender e resolver, resolver para aprender. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

PRATS, Joaquín. Ensinar História no contexto das Ciências Sociais: princípios básicos. Revista Educar, Curitiba, n. esp., p. 191-218, 2006.

PRATS, Joaquín. Geografia e História: investigación, innovación y buenas prácticas. Barcelona: Graó, 2011.

PROST, Antoine. Doze lições sobre a História. Campinas: Autêntica, 2008. RORTY, Richard M. The linguistic turn: essays in philosophical method. Chicago: University of Chicago Press, 1992.

SAUTCHUK, Inez. A produção dialógica do texto escrito: um diálogo entre o escritor e o leitor interno. São Paulo: M. Fontes, 2003.

TARDIF, Maurice. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários: elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação [online], Rio de Janeiro, n. 13, p. 5-24, 2000.

TARDIF, Maurice; RAYMOND, Danielle. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação & Sociedade, São Paulo, ano 21, n. 73, p. 209-244, dez. 2000.

TORRUELLA, Maria Feliu; CARDONA, Francesc Xavier Hernández. 12 ideas claves: enseñar y aprender Historia. Barcelona: Graò, 2011.

TRÈPAT, Cristófol A. Procedimientos en História: un punto de vista didáctico. Barcelona: Graó, 1996.

VINCENT, Guy; LAHIRE, Bernard; THIN, Daniel. Sobre a história e a teoria da forma escolar. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 33, p. 7-47, jun. 2001.

VYGOSTY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Cortez, 2001




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2018v24n1p83

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br