A formação de professores no Paraná na primeira república: a escola normal primária de Ponta Grossa

Vera Lucia Martiniak

Resumo


Este trabalho apresenta resultados de pesquisa sobre a institucionalização da Escola Normal no Paraná, no período que compreende a proclamação da República até a década de 1930. Buscou-se analisar as imbricações que deram origem à Escola Normal do Brasil, como fator primordial para justificar a formação de professores no país. Na estrutura burocrática e hierárquica da Escola Normal conviveram os princípios da racionalização que objetivavam a eficácia e a eficiência, sendo que os recursos empregados deveriam ser utilizados de forma econômica. A investigação baseou-se em análises de fontes, tanto primárias quanto secundárias, que possibilitaram a reconstrução da estrutura organizacional da Escola Normal bem como a possibilidade de disponibilizar fragmentos do cotidiano da instituição. Por meio das leis referentes à instrução pública, procurou-se entender como tais regulamentações representaram os princípios do Estado para com a educação paranaense e de que forma legitimaram a criação da Escola. Os resultados demonstram que o Estado do Paraná não se diferenciava dos outros Estados, do ponto de vista ideológico, quando assumiu no seu discurso os ideais liberais: gratuidade, liberdade de ensino, obrigatoriedade, ênfase no caráter nacionalista, entre outros. A Escola Normal teve sua trajetória marcada por leis e decretos, mas conseguiu manter-se como instituição formadora de professores. A partir do momento de sua criação, outras foram sendo criadas, acentuando-se seu crescimento no período republicano. Essas escolas surgiram no momento em que o país passava por uma transição política e a difusão dos ideais liberais ressaltava a educação como instrumento de consolidação do novo regime e manutenção da ordem social.

Palavras-chave


Formação de professores; Escola Normal; Legislação educacional

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, F. de et al. Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova: a reconstrução educacional do Brasil: ao povo e ao governo. Rio de Janeiro: [s.n.], 1932.

BRUSCHINI, C.; AMADO, T. Estudos sobre mulher e educação: algumas questões sobre o magistério. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 64, p. 4- 23, fev. 1988.

CAMPOS, M. C. S. S. Formação do magistério em São Paulo: do império a 1930. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 72, p. 5-16, fev. 1990.

FRESSATO, S. T. Pela catolicização da elite curitibana: o projeto intelectual do círculo de estudos “Bandeirantes” - CEB (1929-1945). 2003. 96 f. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2003.

FUSARI, J. C.; CORTESE, M. P. Formação de professores a nível de 2º grau. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 68, p. 70-80, fev. 1989.

KULESZA, W. A. A institucionalização da Escola Normal no Brasil (1870- 1910). Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 79, n. 79, p. 63-71, set./dez. 1998.

LUPORINI, T. J. De Escola Normal a Instituto de Educação: a trajetória de uma escola. Ponta Grossa: Imprensa Universitária/UEPG, 1994.

MARTINEZ, Cesar Prieto. Relatório do Inspetor Geral de Ensino, 1920. Curitiba: Typographia da Penitenciária do Estado, 1920. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2017.

MARTINEZ, Cesar Prieto. Relatório do Inspetor Geral de Ensino, 1921. Curitiba: Typographia da Penitenciária do Estado, 1921. MIGUEL, M. E. B. A formação do professor e a organização social do trabalho. Curitiba: Ed. UFPR, 1997.

NAGLE, J. Educação e sociedade na Primeira República. São Paulo: EPU, 1974.

PARANÁ. Decreto no 17, de 9 de janeiro de 1917. Aprova o Código do Ensino. Diário Oficial do Estado, Curitiba, 11 jan. 1917.

PARANÁ. Decreto n o 135, de 12 de fevereiro de 1924. Aprova o Regulamento das Escolas Normais Primárias. Diário Oficial do Estado do Paraná, Curitiba, 10 mar. 1924.

PARANÁ. Decreto nº 459, de 16 de fevereiro de 1933. Desdobra o plano de estudos das Escolas Normais em Curso Geral e Especial. Curitiba: Departamento Estadual de Arquivo Público, 1933.

PARANÁ. Mensagem do Governador do Estado: Congresso Legislativo do Paraná, 4 out. 1892. Curityba: Typographia d'A República, 1892. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2003.

PARANÁ. Mensagem do Presidente do Estado: Congresso Legislativo do Paraná, 1 fev. 1920. Curityba: [s.n.], 1920. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2017.

PARANÁ. Relatório da Secretaria Geral do Estado do Paraná. Curitiba: Typographia da Penitenciária do Estado, 1925-1926. RIBEIRO, M. L. S. História da educação brasileira. São Paulo: Moraes, 1986.

VILLELA, H. de O. S. A primeira Escola Normal do Brasil: uma contribuição à história da formação de professores. 1990. 125 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 1990.

VILLELA, H. de O. S. O mestre-escola e a professora. In: LOPES, E. M. T.; FARIA FILHO, L. M.; VEIGA, C. G. (Org.). 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p. 95-134.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2018v24n1p255

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br