Discussão sobre o envelhecimento como instrumento para educação em saúde no Ensino de História

Luciane Pedro

Resumo


A população brasileira alcança índices cada vez mais elevados de idosos. Este fato nos remete à reflexão sobre a importância desse tema nas abordagens de educação em saúde no ensino de História. Considerando-se saúde entendida como um direito humano fundamental e como algo que construímos ao longo de nossa vida, condicionada às condições sociais, econômicas e emocionais que nos acompanharam, o objetivo do presente artigo é apontar questões relativas à importância da discussão sobre o envelhecimento de forma associada à educação para a cidadania. Utilizamos como metodologia a revisão bibliográfica sobre o assunto, apoiando-nos na construção das categorias teóricas, saúde e educação para a cidadania, a partir dos referenciais desenvolvidos por Benevides e as propostas pedagógicas libertadoras, cuja construção teórica teve como referência o educador Paulo Freire. A inclusão da temática do envelhecimento como instrumento para Educação em Saúde no ensino de História possibilita pensarmos em indivíduos comprometidos com a sua saúde e da coletividade, bem como, com a afirmação da vida digna para todos e com a edificação de uma sociedade de respeito aos direitos humanos.


Palavras-chave


Envelhecimento; Educação em saúde; Cidadania; Ensino de história

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, H. A origem do Autoritarismo. São Paulo: Cia das Letras, 1980.

BEAUVOIR, S. de. A velhice. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

BENEVIDES, M. V. Cidadania Ativa. São Paulo: Ática, 1991.

BENEVIDES, M. V. Cidadania e Direitos Humanos. (Texto revisto de palestra na Universidade de São Paulo), USP, São Paulo, outubro de 2001.

BENEVIDES, M. V. Educação para a Democracia. Revista Lua Nova, São Paulo, n. 34, p. 46, out. 1996. BOURDIEU, P. A Juventude é apenas uma palavra. In: BENEVIDES, M. V. Questões de Sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

BRASIL. Lei Federal 10.741, de 1 de outubro de 2003. Estatuto do Idoso. Brasília: Congresso Nacional, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto- Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais- Terceiro e Quarto Ciclos: Temas Transversais. Brasília: Secretaria de Educação Fundamental, 1998.

BUSMANN, B. M. S. Projeto Envelhecer. Paraná, CEDI, 2009.

CHAUÍ, M. Conformismo e Resistência. São Paulo, Brasiliense, 1996.

EDA, E. de J. Procurando superar a modelização de um modo de envelhecer. Revista Movimento. Porto Alegre, v. 10, n.2, p.57-71, maio/agosto. 2004.

ELIAS, N. A solidão dos moribundos seguido de envelhecer e morrer. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

FREIRE, P. Ação Cultural Para a Liberdade e outros escritos. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.

FREIRE, P. Educação e Mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: um encontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2000.

FREIRE, P. Política e Educação. São Paulo: Cortez, 2001.

FREIRE, P. Conscientização: Teoria e Prática da Libertação. São Paulo, Centauro: 2001. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas- Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), 2012. Disponível em: www.ibge.org.br.

LOPES, S. G. Envelhecimento e Interdisciplinaridade: uma prática em construção. In: TRENCH, B., ROSA, T. E. (Org.). Nós e o Outro: envelhecimento, reflexões, práticas e pesquisa. São Paulo: Instituto de Saúde, 2011, p.21-34.

MAZUTTI, C.; SCORTEGAGNA, H. de M. Velhice e envelhecimento humano: concepções de pré-escolares do município de Tapejara- RS. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano. Passo fundo, n. 4, p.101- jul/dez. 2006.

MERCADANTE, E. Aspectos Antropológicos do Envelhecimento. In: NETTO, M. P. (Org.). Gerontologia: a velhice e o envelhecimento em visão globalizada. São Paulo: Atheneu, 1996.

MINAYO, M. C. Envelhecimento demográfico e o lugar do idoso no ciclo da vida brasileira. In: TRENCH, B., ROSA, T. E. (Org.). Nós e o Outro: envelhecimento, reflexões, práticas e pesquisa. São Paulo: Instituto de Saúde, 2011, p.7-16.

MUCIDA, Â. A velhice no mal-estar da cultura. In: MUCIDA, Â. O sujeito não envelhece: psicanálise e velhice. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

PEIXOTO, C. E. Entre o estigma e a compaixão e os termos classificatórios: velho, velhote, idoso, terceira idade. In: BARROS, Myriam M. L. de (org.) Velhice ou Terceira Idade? Estudos Antropológicos sobre identidade, memória e política. Rio de Janeiro: FGV, 1998.

PIRES, L. S.; LIMA, S A. de S. da C. O Pedagogo e a Pedagogia do Envelhecer. Revista Fragmentos de Cultura. n. 3-4, p. 403, mar/abr. 2007.

RODRIGUES, Horácio Wanderley. Educação Para a Terceira Idade. Revista Aprender. Marília, n.27, p.62, nov./dez., 2005.

ROSA, A. da S., BRÊTAS, A. C. P. Envelhecimento em situação de rua: a história de Maria Rosa. In: TRENCH, B., ROSA, T. E. (Org.). Nós e o Outro: envelhecimento, reflexões, práticas e pesquisa. São Paulo: Instituto de Saúde, 2011, p.183-198.

SACAVINO, S.; CANDAU, V. M. (Org.). Educação em Direitos Humanos: Temas, questões e propostas. Petrópolis: DP ET Alli Editora, 2008.

SANTOS, W. G. dos. Cidadania e justiça. Rio de Janeiro: Campus, 1979.

TODARO, M. DE A. Vovô vai à escola: a velhice como tema transversal no ensino fundamental. Campinas: Papirus, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2016v22n2p95

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br