Viver e pensar a docência em história diante das demandas sociais e identitárias do século XXI

Nilton Mullet Pereira, Carla Beatriz Meinerz, Caroline Pacievitch

Resumo


Este artigo discute os desafios enfrentados pelo professor de História, diante de algumas das demandas sociais e identitárias do século XXI, em especial em relação ao diálogo intercultural, ao patrimônio cultural e aos passados imaginados nas mídias. O objetivo principal é refletir sobre o papel da formação acadêmica do professor de História diante destas problemáticas. Dialoga-se com perspectivas teóricas sobre formação de professores, memória e História, a partir de Antonio Nóvoa, Andreas Huyssen, Hayden White, entre outros, articuladas com experiências, observações e pesquisas desenvolvidas pelos autores. Argumenta-se que o ensino de História hoje consiste numa prática muito diversa em relação a tempos anteriores, uma vez que as demandas que a sociedade tem colocado aos currículos e ao papel dos professores se multiplicam e estão ligados a movimentos sociais, étnicos e culturais muito singulares, que questionam as relações entre historiografia, memória, identidades e sentidos na aula de História. Estes questionamentos demonstram a complexidade do trabalho docente dentro e fora da sala de aula, que extrapola a ideia de adaptação metodológica do conhecimento histórico acadêmico e se concretiza nas propostas de problematização e de diálogo entre muitas histórias e muitos passados.


Palavras-chave


Ensino de História; Formação de Professores; Demandas Sociais

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE JÚNIOR, D. M. Fazer defeitos nas memórias: para que servem o ensino e a escrita da história? In: GONÇALVES, M. de A. et al. Qual o valor da história hoje? Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2012, p. 21-39.

BENJAMIN, W. Teses sobre a história. In: BENJAMIN, W. Obras escolhidas. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo, Brasiliense, 1987, p. 197-232.

BERGAMASCHI, M. A. Povos indígenas e ensino de História: a lei 11.645/2008 como caminho para a interculturalidade. In: BARROSO, Vera Lucia Maciel et al. (Org.). Ensino de História e Desafios Contemporâneos. Porto Alegre: ST: Exclamação: Anpuh/RS, 2010. P. 151-166.

BRASIL. Presidência da República. Lei n. 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, e dá outras providências. Diário oficial, República Federativa do Brasil, Brasília/DF, 2003, p. 1. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/topicos/11691973/artigo-26-dalei-n-9394-de-20-de-dezembro-de-1996. Acesso em: 15 abr. 2015.

BRASIL. Presidência da República. Lei n. 11.645, de 10 de março de 2008. Altera a Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Diário oficial, República Federativa do Brasil, Brasília/DF, 2008, p. 1.

BRESCIANI, M. S.; NAXARA, M. (Org.). Memória e Res(sentimento): indagações sobre uma questão sensível. Campinas: Ed. da Unicamp, 2004.

FORQUIN, Jean-Claude. Escola e Cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

FOUCAULT, M. O pensamento do exterior. In: Estética: literatura e pintura, música e cinema. (Ditos e escritos, vol. III). 2 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001, p. 219-242.

FREITAS, L. C. de. Eliminação adiada: o ocaso das classes populares no interior da escola e a ocultação da (má) qualidade do ensino. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, p. 965-987, out. 2007.

GIL, C. Estágio de docência em história: saberes e práticas na educação para o patrimônio. In: GIL, Carmem; TRINDADE, Rhuan (Org.). Patrimônio Cultural e Ensino de História. Porto Alegre: Edelbra, 2014, p. 37-51.

HUYSSEN, A. Passados presentes: mídia, política, amnésia. In: Seduzidos pela Memória: arquitetura, monumentos, mídia. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2000, p. 9-40.

LAVILLE, C. A Economia, a Religião, a Moral: novos terrenos das guerras da história escolar. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 36, n. 1, p. 173-190, 2011.

MATTOS, H.; ABREU, M.; GURAN, M. Inventário dos Lugares de Memória do Tráfico Atlântico de Escravos e da História dos Africanos Escravizados no Brasil. LABHOI/UFF, 2013. Disponível em: http://www.labhoi.uff.br/sites/default/files/inventario_julho_2013.pdf. Acesso em: 13 jun. 2015.

MIRANDA, S.; PAGÈS, J. Cidade, Memória e Educação: conceitos para provocar sentidos no vivido. In: MIRANDA, S.; SIMAN, L. (Org.). Cidade, Memória e Educação. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2013, p. 59-92.

MUSEU AFRO-DIGITAL. Apresentação. Disponível em: . Acesso em: 13 jun. 2015.

MUSEU DE PERCURSO DO NEGRO EM PORTO ALEGRE. Inicial. Disponível em Acesso em 01 jul. 2015.

NÓVOA, A. Os Professores na Virada do Milênio: do excesso dos discursos à pobreza das práticas. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 25, n.1, jan./jun. 1999.

NÓVOA, A. Professor se forma na escola (entrevista). Revista Nova Escola, São Paulo, ed. 142, maio 2001.

PEREIRA, J. S. Do colorido a cor: o complexo identitário na prática educativa. In: GONCALVES, Marcia de Almeida et al. (Org.). Qual o Valor da História Hoje? Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2012, p. 307-322.

POLLAK, M. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p. 3-15, 1989. SILVA, T. T. da. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

THORNTON, S. Aspiration and Practice: teacher as curricular-instructional gatekeeper in social studies. In: ANNUAL MEETING OF THE AMERICAN EDUCATIONAL RESEARCH ASSOCIATION, 70. 1989, São Francisco. Anais… San Francisco, 1989, p. 1-15. Disponível em: . Acesso em: 22 maio 2015.

VIÑAO FRAGO, A. La historia material e inmaterial de la escuela: memoria, patrimonio y educación. Educação, Porto Alegre, v. 35, n. 1, p. 7-17, jan./abr. 2012.

WHITE, H. Trópicos do Discurso: ensaios sobre a crítica da cultura. São Paulo: Edusp, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2015v21n2p31

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br