Leitura dos textos históricos em sala de aula

Luisa Teixeira Andrade

Resumo


Esse artigo apresenta um estudo de uma aula de História acerca da temática da Antiguidade Indiana, extraída do banco de dados gerado pela pesquisa de doutorado, defendida em setembro de 2013, intitulada “Práticas de leitura em aulas de História: um estudo de caso etnográfico”, que buscou investigar como a leitura dos textos de História foi socialmente construída em uma sala de aula de História da 5a série/6o ano do ensino fundamental da Escola Municipal Eleonora Piurucetti da Rede pública de ensino de Belo Horizonte. Os princípios teóricos e metodológicos de análise se basearam em uma tendência contemporânea de análise das interações em sala de aula: a Etnografia Interacional. Nessa perspectiva, buscamos compreender como a leitura dos textos de História foi discursivamente construída pelos membros por meio de suas interações, verbais ou não verbais, e como essas construções influenciaram as oportunidades disponíveis aos estudantes de ler e aprender História na sala de aula observada.


Palavras-chave


Ensino-aprendizagem de História; sala de aula; Leitura

Texto completo:

PDF

Referências


AISENBERG, B. Una aproximación a la relación entre la lectura y el aprendizaje de la Historia. Revista Íber n. 43. Didáctica de Ciencias Sociales, Geografía, Historia. Barcelona: Editorial Grao, p. 94-104. 2005.

ANDRADE, L. T.; GREEN, J.; CASTANHEIRA, M. L. Becoming an ethnographer: exploring the power of different epistemological approaches to analysing literacy events in a History Class in Brazil In: Ethnography and Education Conference, University of Oxford, England. 2012.

ANDRADE, L. T. Praticas de Leitura em aulas de História: um estudo de caso etnográfico. Belo Horizonte: UFMG MG (Dissertação, Mestrado em Educação). 2006.

BLOCH, M. Apologia da história ou o ofício de historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 2002.

BLOOME, D.; EGAN-ROBERTSON, A. (1993). The social construction of intertextuality in classroom reading and writing lessons. Reading Research Quarterly. v. 4., n. 28, p. 305–333. 1993.

BLOOME, D.; BAILEY, F. A special issue on intertextuality. Linguistic and Education. v.4. 1992.

BRAICK; MOTA. História: das cavernas ao terceiro milênio, Editora Moderna. 2006. CARIE, N. S. de. Usos dos livros didáticos em sala de aula: a ortodoxia do professor. Monografia apresentada ao Curso de História da Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte. 2004.

CASTANHEIRA, M. L. Aprendizagem Contextualizada: discurso e inclusão na sala de aula. Belo Horizonte: Autêntica, v. 1. 2004.

CHOPAIN, F. A. História dos livros didáticos e das edições didáticas: sobre o estado da arte. Rev. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 3, p. 549-566, set./dez. 2004.

COELHO, A.; SIMAN, L. M. C. O papel da ação mediada na construção de conceitos históricos. Anais do II Encontro Internacional Linguagem, Cultura e Cognição: reflexões para o ensino - CD-ROM-, Campinas: Graf. FE. 2003.

COLLINS, E.; GREEN, J. Learning in Classroom Settings: making or breaking a culture. In: MARSHALL, H. (Ed.). Redefining Students Learning, p. 59-85. 1994.

DILTHEY, W. A construção do mundo histórico nas ciências humanas São Paulo, UNESP. 2010.

ESPÍNDOLA, D. P. A. O uso do livro didático em sala de aula: possibilidades para a prática do ensino de história. Dissertação, Mestrado em Educação), Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais. 2003.

FLORIANI, A. Negotiating what counts: Roles and relationships, content and meaning, texts and context. Linguistics and Education, 5 (3 & 4). Norwood, NJ: Ablex, p. 241-274. 1993.

GEE, J.; GREEN, J. Discourse Analysis, learning, and social practice: A methodological study. Review of Research in Education. American Educational Research Association. Washington, D.C., 23, p. 119-169. 1998.

GREEN, J. L; DIXON, C. N; & ZAHARLICK, A. Ethnography as a logic of inquiry. In: FLOOD, J; LAPP, D; SQUIRE, J. R; & JENSEN, J. M. Handbook of research on the teaching of the English language arts. 2nd ed. Lawrence Erlbaum associates, publishers, p. 201-224. 2002.

GUMPERZ, J. J. Contextualization and understanding. In: DURANTI, A. & GOODWIN, C., (eds.), Rethinking Context. Cambridge, UK: Cambridge University Press, p. 229-252. 1992.

LAUTIER, N. À la rencontre de l’ histoire. Presses Universitaires du Septentrion, Paris. 1997.

MENEZES, B. de. Fontes visuais, cultura visual, História visual: balance provisorio, propostas cautelares. Revista Brasileira de História; v. 23, n. 45, p. 11-36, jul. 2003.

MONTEIRO, A. M. A história ensinada: algumas configurações do saber escolar. História & Ensino. v. 9. p. 9-36. 2003.

PEREIRA, J. S.; CARVALHO, M. V. Sentidos dos tempos na relação museu-escola. Cadernos CEDES (Impresso), v. 30, p. 383-396. 2010.

ROCHA, H. A. B. O lugar da linguagem no ensino de história: entre a oralidade e a escrita. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal Fluminense. 2006.

SANTA BARBARA DISCOURSE GROUP. Constructing literacy in classrooms: Literate action as social accomplishment. In MARSHALL, H. (ed.), Redefining student learning: Roots of educational change (p. 119-150). Norwood, NJ: Ablex 1992.

SIMAN, L. M. C; ANDRADE, L. T. Aplicando principios y prácticas culturales de lectura del libro didáctico en la clase de historia. Revista Reseñas de Enseñanza de la Historia, v. 6, p. 193-213. 2008.

SIMAN, L.M.C; ANDRADE, L.T. O livro didático lido em sala de aula de história. São Paulo: Unicamp. 2010.

VILLALTA, L. O livro didático de história no Brasil: perspectivas de abordagem. Revista Pós-História, Assis, SP, v. 9, p. 39-59. 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2015v21n1p199

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br