Fotografia e escravidão: uma proposta de utilização da produção de Victor Frond no ensino de história

Amanda Camargo Pereira, Jean Carlos Moreno

Resumo


O presente artigo é fruto do trabalho realizado pelo Grupo de Pesquisa Ensino de História (GPEH), da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), na intenção de propor, incentivar e desenvolver projetos de ensino de História que problematizem a experiência, a interpretação e a orientação como princípios norteadores para a atribuição de significados aos conteúdos escolares. Neste sentido, evoca o álbum Brasil Pitoresco contendo litografias produzidas por Victor Frond, em 1858, para discutir a construção discursiva de certa imagem do Brasil Imperial e as maneiras de lidar com o trauma da escravidão no passado e no presente. Aborda-se, ainda, as fotografias como instrumentos semióticos e elo importante para a construção das competências de aprendizagem histórica.


Palavras-chave


Ensino de História; Fotografia; Escravidão; Consciência histórica

Texto completo:

PDF

Referências


BORNE, D. Comunidade de Memória e Rigor crítico. In: BOUTIER, J., JULIA, Dominique. (Org.). Passados recompostos: campos e canteiros da História. Rio de Janeiro, Editora UFRJ: FGV, 1998.

CHALHOUB, S. Visões da liberdade: Uma história das últimas décadas da escravidão na corte. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

FERNANDES, F. Circuito Fechado: quatro ensaios sobre o “poder institucional”. São Paulo: Hucitec, 1975.

GUIMARÃES. M. L. S. O presente do passado: as artes de Clio em tempos de memória. In: ABREU, M.; SOIHET, R.; GONTIJO, R. (Org.). Culturas políticas e leituras do passado: historiografia e ensino de história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. p. 25-39.

KOSSOY, B. Fotografia e História. Série Princípios. São Paulo. Editora. Ática, 1989.

KOSSOY, B. Fotografia e memória: reconstituição por meio da fotografia. In: SAMAIN, Etienne (Org.). O fotográfico. São Paulo: Hucitec, 1998. p. 41-47.

MARTÍ, E. Desenvolvimento do pensamento e instrumentos culturais. In: CARRETERO, Mario; CASTORINA, José A. (Org.). Desenvolvimento cognitivo e educação: Processos do conhecimento e conteúdos específicos, vol.2. Editora Penso: Porto Alegre, 2014. p. 20-40.

MAUAD, A. M. Através da Imagem: Fotografia e História Interfaces; 1996. Revista Tempo, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, 1996, p. 73-98.

MENANDRO, H. F. Variações sobre um velho tema: o ensino de História. In: DAVIES, N. (Org.) Para além dos conteúdos no ensino de história. Rio de Janeiro: Access Editora, 2001.

MORENO, J. C. Quem Somos Nós? Apropriações e Representações Sobre a (s) Identidade(s) Brasileira(s) em Livros Didáticos de História (1971-2011). Jundiaí: Paco Editorial, 2014. 424p.

MORENO, J. C. Revisitando o conceito de identidade nacional. In: RODRIGUES, C. C.; LUCA, T. R. de; GUIMARÃES, V. (Org.). Identidades brasileiras: composições e recomposições. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2014. p. 07-29.

PAIVA, E. F. História & Imagens. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

RIBEYROLLES, C. Brasil Pitoresco: história, descrição, viagens, colonização, instituições. Ilustrado com gravuras de vistas, panoramas, paisagens, costumes, etc. por Victor Frond. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1980.

RÜSEN, J. Aprendizagem histórica: esboço de uma teoria. In: RÜSEN, J. Aprendizagem histórica: fundamentos e paradigmas. Curitiba: W. A. Editores, 2011. p. 69-112.

RÜSEN, J. Como dar sentido ao passado: questões relevantes de meta-história. História da Historiografia, n. 2, p. 163-209. mar.2009.

RÜSEN, J. Que es la cultura histórica?: Reflexiones sobre una nueva manera de abordar la historia. Tradução: F. Sánchez Costa e Ib Schumacher. Original em: FÜSSMANN, K.; GRÜTTER, H. T.; RÜSEN, J. (Ed.). Historiche Faszination, GeschichtsKultur Heute. Keulen, Weimar and Wenen: Böhlau, 1994, p.3-26. Disponível em www.culturahistorica.es. Acesso em 18 mar. 2015.

RÜSEN, J. Razão Histórica: Teoria da história: os fundamentos da ciência histórica. Editora UnB, 2001.

SCHMITD, M. A.; BARCA, I.; MARTINS, E. de R. (Org.). Jörn Rüsen e o Ensino de História. Curitiba: editora UFPR, 2011. 150 p.

SCHWARCZ, L. M. As barbas do imperador: D. Pedro II, um monarca nos trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

SEGALA, L. A Natureza Virgem e a Paisagem Humana no Projeto Fotográfico de Victor Frond (1857-1861). In: SALGUEIRO, H. A. (Org.). Paisagem e arte: a invenção da natureza, a evolução do olhar. São Paulo: Comitê Brasileiro de História da Arte, v.1, p. 129-138. 2000.

SILVA, M. A. C. História da arte e história da fotografia no Brasil do século XIX: análise de imagens de Victor Frond para o álbum Brasil Pitoresco. Anais do 16º Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisadores de Artes Plásticas Dinâmicas Epistemológicas em Artes Visuais. Florianópolis, set 2007.

SILVA, M. A. C. Um monumento ao Brasil: considerações acerca da recepção do livro: “Brasil Pitoresco”, de Victor Frond e Charles Ribeyrolles (1859-1861). Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Campinas, 2011.

SOUZA, E. R. de O. O Brasil pitoresco de Charles Ribeyrolles. Revista de literatura - Itinerários. Araraquara, n. 31, p. 205-221, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2015v21n1p115

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br