A formação do professor de história e os desafios contemporâneos

Francisco Gleison da Costa Monteiro, Valdécio Sá Rocha

Resumo


Neste artigo procuramos discutir os desafios da formação docente na sociedade contemporânea. O mote das discussões são as atividades de monitoria realizadas na disciplina de Metodologia do Ensino de História, na Universidade Federal do Piauí, Campus Senador Helvídio Nunes de Barros. O texto procura expor as estratégias que mobilizamos para a construção da identidade docente e em tempo apontar a monitoria como espaço dinâmico para ampliarmos a formação e articular a teoria à prática. Esta relação entre teoria e prática é fundamental para ratificarmos a identidade docente e reavaliarmos os espaços da prática e a produção do conhecimento historiográfico.


Palavras-chave


Monitoria; Identidade; Docência; Ensino de História.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CES n. 1363/2001. Retificação do Parecer CNE/CES 492/2001, que trata da aprovação das Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Filosofia, História, Geografia, Serviço Social, Comunicação Social, Ciências Sociais, Letras, Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia. Brasília, 12 de dezembro de 2001.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 01/2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília, 18 de fevereiro de 2002.

FENELON, D. R. A formação do Profissional de História e a realidade do ensino. Tempos Históricos. v. 12, 1° semestre de 2008, p 23-35.

FONTANA, J. História depois do fim da História. Bauru, SP: EDUSC, 1998. (Coleção Essência) FREIRE, P. A Educação na Cidade. São Paulo: Cortez, 1991.

MACEDO, El. Currículo: Política, Cultura e Poder. Currículo sem Fronteiras, v. 6, n. 2, pp.98-113, Jul/Dez 2006.

MONTEIRO, F. G. da C. M. História e Memória em Álbuns de Famílias. In.: ARAÚJO, J. S.; LIMA, F. O. A. (Org.) História: entre fontes, metodologias e pesquisa. Teresina, PI: EDUFPI; Imperatriz, MA: Ética, 2011.

MUNAKATA, K. O livro didático e o professor: entre a ortodoxia e a apropriação. In. MONTEIRO, A. M. da C. GASPARELLO, A. M. MAGALHÃES, M. S. (Org.). Ensino de História: sujeitos, saberes e práticas. Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2007.

PIAUÍ. Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão da UFPI. Resolução nº 152/99, de 09 de setembro de 1999. PIAUÍ.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ. Curso de História. Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em História. Picos, 2007.

PIMENTA, S. G. (Org.). Formação de professores: identidade e saberes da docência. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1999.

RAMOS, F. R. L. A insustentável leveza do tempo: os objetos da sociedade de consumo em aulas de história. Educação em Revista. Belo Horizonte. n. 47, jun. 2008, p.179-196.

RIBEIRO, R. R. O saber (histórico) em parâmetros: O ensino da História e as reformas curriculares das últimas décadas do século XX. Mneme. Revista virtual de humanidades. n. 10, v. 5, abr./jun.2004. Disponível em: http://www.periodicos.ufrn.br/mneme/article/view/196. Acesso em: 12 jan. 2015.

ROCHA, H. A. B. A escrita como condição para o ensino e aprendizagem de história. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 30, n. 60, 2010, p. 121-142.

ROCHA, H. A. B. Por uma aula de história problematizadora. XII Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino. XII ENDIPE Conhecimento Local e Conhecimento Universal. Curitiba: Puc PR, 2004.

ROCHA, H. A. B.; REZNIK, L.; MAGALHÃES, M. de S. A história na escola: autores, livros e leitores. Rio de Janeiro; Editora FVJ, 2009. SANTOS, M. O professor como intelectual na sociedade contemporânea. Conferência pronunciada na abertura do IX Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino, realizado em Águas de Lindóia-SP. De 4 a 8 de maio de 1998.

SCHMIDT, M. A.; BARCA, Isabel (Org.). Aprender História: perspectivas da educação histórica. v. 3, Ijuí: Ed. Unijuí, 2009. (Coleção cultura, escola e ensino).

SILVA, M. A. da; ANTONACCI, M. A. M. Vivências na contramão: Produção de saber Histórico e Processo de Trabalho na Escola de 1º e 2 º Graus. Revista Brasileira de História. São Paulo. v. 9, n. 19, pp. 9-29, set. 89/fev. 90.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação do profissional. 2. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

TEIXEIRA, C. B. Ressignificação da identidade do professor na formação docente. Revista Eletrônica de Ciências da Educação. Paraná, v. 3, n. 1, 2004. Disponível em: http://revistas.facecla.com.br/. Acesso em: 21 de mar. 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2015v21n2p307

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br