As apropriações do saber histórico por meio do livro didático de história da rede salesiana de escola

Geane Kantovitz

Resumo


O presente artigo versa sobre o resultado da pesquisa de mestrado a qual procurou discutir as apropriações dos saberes históricos, no que concerne à temporalidade histórica, e a relação que os alunos estabelecem com a sua vida fora do contexto escolar. Utiliza-se o livro didático de História do ensino médio como propulsor e norteador das análises. Considera-se como os alunos compreendem a História pela leitura do livro didático e como estabelecem uma relação da disciplina de História com a vida. Ou seja, como os alunos se orientam no tempo pela disciplina de História. Nesse texto aborda-se, principalmente, a importância da disciplina de História para os alunos da terceira série do ensino médio da Rede Salesiana de Escolas (RSE) para a formação do pensamento histórico. Utiliza-se como percurso analítico as contribuições de Koselleck (2006), de Le Goff (2003), Hobsbawn (1998) e de Rüsen (2010).  Em relação ao percurso metodológico foram utilizadas respostas objetivas e discursivas de 173 alunos da terceira série do ensino médio, de quatro professores de História e dos autores da coleção de livros da RSE.

 


Palavras-chave


Ensino de História; Livro didático; Temporalidade histórica

Texto completo:

PDF

Referências


BISEWSKI, O. Práticas de formação continuada de professores: estudo de caso na rede Salesiana de Escolas. 2008. 100 f. Dissertação (Mestrado em Educação nas Ciências) – Universidade do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul.

BLOCH, M. Apologia da história, ou, O ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. Ed., 2001.

FONSECA, S. G. Didática e prática de ensino de história: Experiências, reflexões e aprendizados. Campinas, SP: Papirus, 2003.

GRANGEIRO, C. D.; MACHADO, R. R. História: ensino médio, 2º ano. Brasília: Cisbrasil – CIB, 2005.

GRANGEIRO, C. D.; MACHADO, R. R. História: ensino médio, 2º ano. Brasília: Cisbrasil – CIB, 2006.

HOBSBAWM, E. Sobre História. Tradução Cid Knipel Moreira. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

KOSELLECK, R. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Trad. Wilma Patrícia Maas e Carlos Almeida Pereira. Rio de Janeiro: Contraponto, Ed. PUC-Rio, 2006.

LAVILLE, C. A guerra das narrativas: debates e ilusões em tornodo ensino de História. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 19, n. 38, p. 125-138. 1999.

LE GOFF, J. História e memória. Trad. Bernardo Leitão et al. 5. ed. Campinas: Unicamp, 2003.

LOPES, A. C. Políticas curriculares: continuidade ou mudança de rumos? Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, n. 26, p. 109-118, maio /jun./jul./ago., 2004.

NADAI, E. O ensino de História e a “pedagogia do cidadão”. In: PINSKY, J. O ensino de história e a criação do fato. – ver. E atual. – São Paulo: Contexto, 2009.

CHARTIER, R. Cultura escrita, literatura e história. Trad. Ernani Rosa. Porto Alegre: ARTMED Editora, 2001.

ROTA, P. S. MACHADO, R. R. História: ensino médio, 1º ano. 2 ed., Brasília: Cisbrasil – CIB, 2009.

RÜSEN, J. Jörn Rüsen e o ensino de história. SCHMIDT, M. A.; BARCA, I.; MARTINS, E. de R. Curitiba: Ed. UFPR, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2014v20n1p171

Apontamentos



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br