O historiador na reflexão didática

Luis Fernando Cerri

Resumo


Considerando que o trabalho do historiador contém um elemento estritamente didático, como se explica o distanciamento e alguns antagonismos vigentes na atualidade entre o papel de historiador e o de professor? Reconstrói-se em linhas gerais, nesse texto, a conjuntura em que esses papéis eram vividos de forma relativamente harmônica inclusive pelos mesmos indivíduos, e indaga-se sobre os processos sociais e científicos que ocasionaram o antagonismo acima mencionado. Procura-se, com base em Bergmann e Rüsen, entre outros autores, definir a reflexão didática, seus componentes, suas características e alguns exemplos, e argumentar sobre a importância de reconhecê-la e favorecê-la tanto na produção de conhecimento histórico em geral quanto na formação de novos profissionais da História.


Palavras-chave


Didática da História; Consciência histórica; Formação de professores; Profissional da História

Texto completo:

PDF

Referências


AMÉZOLA, G. A. Esquizohistoria. La Historia que se enseña en la escuela, la que preocupa a los historiadores y una renovación posible de la historia escolar. Buenos Aires: Libros del Zorzal, 2008.

BERGMANN, K. A história na reflexão didática. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 9, n. 19, p. 29-42, fev. 1990.

BITTENCOURT, C. M. F. Os confrontos de uma disciplina escolar: da história sagrada à história profana. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 13 (25/26), p. 193-221, set.92/ago.93.

CERRI, L. F. Os historiadores precisam de formação pedagógica? Algumas reflexões a partir da didática da Hisória. In: TRAVERSINI, C.; OUTROS Trajetória e processos de ensinar e aprender: práticas e didáticas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. p. 342-358.

CHEVALLARD, Y. La transposición didáctica. Del saber sabio al saber enseñado. Buenos Aires: Aique, 2009.

CITRON, S. Le Mythe National. Paris: Éditions Ouvrières, 1987.

CONNERTON, P. Como as sociedades recordam. Oeiras: Celta, 1993.

ESPÍRITO SANTO, J. D. P. D. “No ciclo eterno das mudáveis coisas”: a proposta de história de Rocha Pombo e as relações com as obras didáticas atuais. Curitiba: Dissertação de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPR, 2005.

FALCON, F. J. C. A identidade do historiador. Estudos Históricos, v. 17, p. 7-30, 1996.

FERRO, M. A História Vigiada. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

MORADIELLOS, E. El oficio de historiador. 6. ed. Madrid: Siglo Vinteuno, 2008.

RÜSEN, J. Razão histórica. Teoria da História: os fundamentos da ciência histórica. Brasília: Editora da UnB, 2001.

RÜSEN, J. História Viva. Teoria da História III: formas e funções do conhecimento histórico. Brasília: Editora da UnB, 2007.

RÜSEN, J. Didática da História: passado, presente e perspectivas a partir do caso alemão. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 1, n. 2, p. 7-16, jul./dez. 2008.

WILSON, E. Rumo à estação Finlândia. São Paulo: Cia. das Letras, 1986.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2013v19n1p27

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br