Reflexões sobre a Práxis: as vivências no Estágio Supervisionado em História

Aristeu Castilhos da Rocha, Maria Catharina Lima Pozzebon

Resumo


O trabalho tem como objetivo socializar algumas reflexões e vivências ocorridas em situação de estágio no curso de Licenciatura em História da Unicruz (Universidade de Cruz Alta, RS). A base teórica de tais reflexões são FONSECA (2004/2007/2011), CAIMI (2008), Barroso (2010), entre outros.  A pesquisa caracteriza-se pelo cunho descritivo-qualitativo, tendo como instrumentos a observação e os relatos de experiências.  As mesmas nos apontam que os estágios começam a ser vistos não apenas como eixo curricular, mas um espaço significativo na formação de professores.

 


Palavras-chave


Ensino – Teoria – Prática; Formação de Professores

Texto completo:

PDF

Referências


ABDALLA, M. de F. B.. A relação teoria e prática no campo de estágio. Revista de Educação. n. 26. Campinas: PUC / Campinas, jan./jun. 2009. p. 53-52. ABUD, K. M. et al (Org.). Ensino de História. Idéias em Ação. São Paulo: CENGAGE, 2010.

ANDRÉ, M. E. D. A. Ensinar a pesquisa: como e para quê. In: VEIGA, I. P. de A. (org.). Lições de didática. Campinas: Papirus, 2006. p. 123–134.

AIRES, J. A. Integração curricular e interdisciplinares: sinônimos? Educação e Realidade. Ensino de História. N. 1, v. 36, Porto Alegre: UFRGS, jan./abr., 2011.

ARRUDA, E. P. Na tessitura das tramas virtuais: entre histórias, tecnologias e aprendizagens. In: FONSECA, S. G.; GATTI JUNIOR, D. (org.). Perspectiva do ensino de história: ensino, cidadania e consciência histórica. Uberlândia: UFU / FAPEMIG, 2011. p. 131–153.

BASTOS, M. H. C.; QUADROS, C. História da formação docente no Brasil. In: QUADROS, C. (Org.). Histórias e memórias dos 50 anos de formação de professores do Centro Universitário Franciscano de Santa Maria. Santa Maria: Unifra, 2005. p. 34–55.

BEZERRA, H. G. Ensino de história: conteúdos e conceitos básicos. In: KARNAL, L. (Org.). História na Sala de Aula. Conceitos, Práticas e Propostas. São Paulo: Contexto, 2003, p. 37–48.

BITTENCOURT, C. M. F. Ensino de história: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2004.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE / CP9, de 8 de maio de 2001. Diretrizes Curriculares para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. DOU, Brasília, 18 / 1 / 2001. Seção 1, p. 31.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Parecer CNE / CP28, de 02 de outubro de 2001. Dá nova redação ao Parecer CNE / CP 21/2001, que estabelece a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da educação básica em nível superior. DOU, Brasília, 18 / 01 / 2001, c. Seção 1, p. 31.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Resolução CNE / CP 02, de 19 de fevereiro de 2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica e nível superior. DOU, Brasília, 4/03/2002b. Seção 1, p. 9.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Orientações Curriculares para o Ensino Médio. História. Ciências Humanas. v. 3. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2006. CAIMI, F. E. Aprendendo a ser professor de História. Passo Fundo: UPF, 2008.

CERRI, L. F. Ensino de História e consciência histórica. Implicações didáticas de uma discussão contemporânea. Rio de Janeiro: RGV, 2011.

CLOTET, J. A nobre tarefa de bem educar. Zero Hora, Porto Alegre. 02/03/2011, p. 5.

CHAVES-GAMBOA, M.; GAMBOA, S. S.; TAFFAREL, C. Prática de ensino: formação e emancipação. 3 ed., Macéio: EDUFAL, 2011.

CORSETTI, B.; CANAN, S. R. A formação docente na área de História: reflexões a partir da análise das diretrizes curriculares para a formação de professores da Educação Básica. In: BARROSO, V. L. M. et. al. (Org.). Ensino de história. Desafios contemporâneos. Porto Alegre: ANPUH-RS / EST / Esclamação, 2010, p. 41-55.

FAZENDA, I. Interdisciplinaridade: qual o sentido? São Paulo: Paulus, 2003. FONSECA, S. G. Didática e prática de ensino de história. 2 ed., Campinas: Papirus, 2004.

FAZENDA, I. A constituição de saberes pedagógicos na formação inicial do professor para o ensino de História na educação básica. In: MONTEIRO, A. M.; GASPARELLO, A. G.; MAGALHÃES, M. de S. (Org.). Ensino de história: sujeitos, saberes e práticas. Rio de Janeiro: Maud/FAPERJ, 2007, p. 149–156.

FAZENDA, I. Aprender a ensinar História em espaços intersticiais: reflexão sobre o papel formativo do “Perspectivas”. In: FONSECA, S. G.; GATTI JUNIOR, D. (org.). Perspectivas do ensino de história: ensino, cidadania e consciência histórica. Uberlândia: UFU/FAPEMIG, 2011, p. 275-283.

FAZENDA, I.; COUTO, R. C. de. A formação de professores de História no Brasil: Perspectivas desafiadoras do nosso tempo. In: ZAMBONI, E.; FONSECA, S. G. (Org.). Espaços de formação do professor de História. Campinas: Papirus, 2008, p. 101–130.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. 17 ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

GONÇALVES, J. W. Visões dos estagiários da escola. XVII Jornada de Ensino de História e Educação. Ensino de História no Cone Sul: Patrimônio Cultural, Territórios e Fronteiras. Jaguarão: UNIPAMPA / ANPUH-RS, 22 A 24 /08/2011.

HELFER, N. E. A formação continuada de professores de História da Educação Básica: o curso de Atualização em História e Geografia da UNISC. In: BARROSO, V. L. M. et. al. (org.). Ensino de história. Desafios contemporâneos. Porto Alegre: ANPUH-RS / EST / Exclamação, 2010. p. 73-86.

JARMENDIA, A. M. Aprender na prática: elementos para uma concepção. Revista Unicsul. Sociedade contemporânea. Novas dimensões em diálogo. Ano 10. N. 12. São Paulo: Universidade Cruzeiro do Sul, Junho, 2005. p. 117-125.

JAPIASSU, H. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

ISAIA, S. M. de A.; PIVETA, H. M. P. Aprender a ser professor: o desenvolver de um oficio. Educação, v. 31, n. 3. Porto Alegre: PUCRS, set/dez, 2008, p. 250- 257.

LAMBER, P; SCHOFIELD, P. História. Introdução ao ensino e a prática. Porto Alegre: Penso / Artmed, 2011.

LAUTIER, N. Os saberes históricos em situação escolar; circulação, transformação e adaptação. Educação e Realidade. Ensino de História. v. 36, n. 1, p. 39 – 58. Porto Alegre: UFRGS, jan/abr. 2011.

LAVE, J.; WENGER, E. Situated learning:legitimate peripheral participation. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 1991.

LIMA, C. R. E. Caminhos da Aprendizagem da Docência: Os Dilemas Profissionais dos Professores Iniciantes. In: VEIGA, I. P. A.; D’ AVILLA, C. (org.). Profissão docente: novos sentidos, novas perspectivas. Campinas: Papirus, 2008, p. 135- 150.

MARTINS, E. C. R. Historicidade e Consciência Histórica. In: SCHMIDT, M. A.; BARCA, I.; MARTINS, E. R. (org.) Jörn Rüsen e o ensino de história. Curitiba/Minho: UFPR/Universidade do Minho, 2010.

MARTINS, E. C. R. A exemplaridade da História: prática e vivência do ensino. In: FONSECA, S. G.; GATTI JUNIOR, D. (org.). Perspectivas do ensino de história: ensino, cidadania e consciência histórica. Uberlândia; UFU/FAPEMIG, 2011. p. 83–92.

MEINERZ, C. B. Ensino de História: A relação pedagógica em nossas práticas. BARROSO, V. L. M. et. al. (org.). Ensino de história. Desafios contemporâneos. Porto Alegre: ANPUH-RS / EST / Exclamação, 2010. p. 203-212.

MOREIRA JOSÉ, M. A. Interdisciplinaridade: e a interdisciplinaridade brasileira. In: FAZENDA, I. (org.). O que é interdisciplinaridade. São Paulo: Cortez, 2008, p. 85–95.

NÓVOA, A. (coord ). Os professores e a sua formação. 2 ed. Lisboa: Dom Quixote Ltda, 1995.

OLIVEIRA, A. E. Os valores, o processo educativo e a prática docente. Educativa. v. 9. N. 02. Goiânia: UCG, jul./dez. 2007. p. 305-313.

PEREIRA, N. M.; GRAEBIN, C. M. G. Abordagem temática no ensino de história In: BARROSO, V. L. M. et al (org.). Ensino de história. Desafios contemporâneos. Porto Alegre: ANPUH-RS / EST / Exclamação, 2010. p. 169-181.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004

PIMENTA, S. G.; (org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. 2 ed., São Paulo: Cortez, 2000.

RODRIGUES, M, M. Estágio Supervisionado: Licença concedida a realização da Práxis. Caesura. Revista Crítica de Ciências Sociais e Humanas. Especial Geografia. Canoas: ULBRA, jan/jun, 2004. p. 65-76.

ROSA, R. T. D.; VEIT, M. H. D. Estágio Docente: análise de interações sociais em sala de aula. Educação e Realidade. Ensino de História, Porto Alegre, v. 36, n. 1, p. 295–316, jan./abr. 2011.

ROSSATO, R. Práxis. In: STRECK, D. R.; REDIN, E.; ZITKOSKI, J. J. (org.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

SEFFNER, F. Saberes da docência, saberes da disciplina e muitos imprevistos: atravessamentos no território do ensino de história. In: BARROSO, V. L. M. et al (org.). Ensino de história. Desafios contemporâneos. Porto Alegre: ANPUH-RS / EST / Exclamação, 2010. p. 213-230.

SOARES, O. P. A atividade de ensino de História: processo de formação de professores e alunos. Araraquara: Junqueira e Marin Editores, 2008.

SOARES, S. R.; RIBEIRO, M. L. As representações sociais sobre a Prática Educativa de professores de cursos de Licenciatura. In: VEIGA, I. P. A., D’AVILA, C. (org.). Profissão docente: novos sentidos, novas perspectivas. Campinas: Papirus, 2008. p. 89-106.

TARDIF, M. Saberes Docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis: Vozes, 2005.

TRINDADE, D. F. Interdisciplinaridade: um novo olhar sobre as Ciências. In: FAZENDA, I. (org.). O que é interdisciplinaridade. São Paulo: Cortez, 2008. p. 65–83.

ZAMBONI, E.; MESQUITA, I. M. de. A Formação de professores de História no Brasil: perspectivas desafiadoras do nosso tempo. In: ZAMBONI, E.; FONSECA, S. G. (org.). Espaços de formação do professor de História. Campinas: Papirus, 2008. p. 131-162.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2013v19n1p71

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br