Aula-oficina: uma proposta de utilização de documentos históricos em sala de aula

Amábile Sperandio, Ana Paula Anunciação

Resumo


O presente artigo é resultado de uma experiência vivenciada no PIBID - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência, o mesmo voltado para o incentivo a docência a alunos de graduação. O programa iniciou-se em 2011 na Universidade Estadual de Londrina, sendo composto por alunos do 2° e 3 ° ano do curso de licenciatura em História. Durante os meses de dezembro de 2011 e abril de 2012, foram desenvolvidas aulas-oficinas ( BARCA,2004 ) em escolas estaduais da cidade de Londrina. A aula-oficina em questão foi desenvolvida na Escola Estadual Doutor Gabriel Carneiro Martins direcionada para alunos do 7° ano, tendo como foco a utilização de diferentes documentos históricos na construção do conhecimento histórico, tendo como tema a escravidão negra no Brasil durante o século XVIII. Ao propor a utilização das diferentes fontes, optamos pelo uso de imagens do pintor francês Jean Baptiste Debret (PRADO,1990), suas obras são consideradas canônicas(Saliba 1999) no ensino de História, por estarem presentes em todos os livros didaticos de história brasileiro e também por representarem o papel desempenhado pelo escravo negro na sociedade daquele período além de revelar aspectos diversos do cotidiano negro. Ao adentrar o universo das fontes históricas, utilizou-se também músicas de cantores da cultura popular brasileira  tais como Jorge Ben Jor e Clara Nunes, além de vídeos e cantigas relacionadas a capoeira e a cultura negra. A metodologia desenvolvida procurou discutir junto aos alunos diferentes construções históricas acerca do tema , pautada no uso de fontes distintas que direcionam o aluno para o desenvolvimento do pensamento histórico  e a sua importância para a vida.


Palavras-chave


Aula-oficina; Documentos; Escravidão; Ensino de História; Fontes Históricas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCASTRO, L. F. O Trato dos Viventes. Formação do Brasil no Atlântico Sul. São Paulo: Cia das Letras, 2000.

BARCA, I. Aula Oficina: do Projeto à Avaliação. In. BARCA, I. (Org.) Para uma educação de qualidade. Braga: Instituto de Educação e Psicologia, Universidade do Minho, 2004. p. 131-144.

CAPELATO, M. H. et al. História e Cinema: dimensões históricas do audiovisual. São Paulo: Alameda, 2007.

DEBRET, J. B. Viagem pitoresca e histórica ao Brasil. São Paulo: Martins. Brasília: INL, 1975

FAUSTO, B. História Geral do Brasil. São Paulo: Edusp, 2000.

LIMA, V. Uma Viagem com Debret. RJ: Ed. Jorge Zahar, 2004.

PRADO, J. F. A. O artista Debret e o Brasil. São Paulo: Nacional, 1990. (Col. Brasiliana, v. 386).

REIS, D. A. Apresentação. In: ROCHA, H. A. B.; MAGALHÃES, M. S.; GONTIJO, R. A escrita da história escolar: memória e historiografia. Rio de Janeiro: FGV, 2009.

SCHMIDT, M. A. A formação do professor de História e o cotidiano da sala de aula. In: BITTENCOURT, C. (Org.). O saber histórico na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2002.

SCHMIDT, M. A.; CAINELLI, M. (Org.). Educação histórica: Teoria e pesquisa, Ijuí: Unijuí, 2011.

SCHMIDT, M. A.; CAINELLI, M.; Ensinar História. Pensamento e ação na sala de aula. 2. ed. São Paulo: Scipione, 2009.

SOARES, Carlos Eugênio Líbano. A negregada instituição: os capoeiras na corte imperial (1850-1890). São Paulo: Unicamp, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2012v18nespp131

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br