Fonte judicial na pesquisa histórica: o crime de sedução

Edméia Aparecida Ribeiro

Resumo


Neste artigo discutimos a utilização de processos judiciais como documento histórico, em especial as ações de crime de sedução, ressaltando a viabilidade do estudo do imaginário social e de gênero.

 

 


Palavras-chave


Fontes judiciais; Processos de crime de sedução; Imaginário social; Mentalidades e gênero.

Texto completo:

PDF

Referências


BACZKO, B. Imaginação Social. Enciclopédia Einaudi. Trad. de Manoel Villaverde Cabral. Portugal: Imprensa Nacional- Casa da Moeda, 1985, v.5, p.296-332.

CHALHOUB, S. Trabalho lar e botequim.. São Paulo: Brasiliense, 1986.

CORRÊA, M. Morte em fam/1ia: representações jurídicas de papéis sexuais. Rio de Janeiro, Editora Graal, 1983.

ESTEVES, M. A. Meninas perdidas: os populares e o cotidiano no Rio de Janeiro da "Belle Époque". Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

GASQUE, M. A. S. Amores ilícitos: discursos sobre a moral e a sexualidade feminina em crimes de seduçãoComarca de Assis 1940/1968. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Campus de Assis, 1994.

GINZBURG, C. O inquisidor como antropólogo. Revista Brasileira de História, São Paulo: v. I, nQ 21, set 90/fev 91.

GINZBURG, C. O queijo e os vermes: o cotidiano e as idéias de um moleiro perseguido pela inquisição. São Paulo: Cia das Letras, 1987

GINZBURG, C. Sinais- Raízes de um paradigma indiciário. In: Mitos emblemas sinais. São Paulo: Cia das letras, 1989.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. In: Educação e rea/ídade, Porto Alegre, v.16, n.2, p.5-22, jul-dez/1990.

VOVEllE, M. Ideologias e mentalidades. 2.ed. São Paulo: Brasiliense, 1991.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.1997v3n0p57

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br