Relações entre civis e militares no Brasil: um esboço histórico

Francisco César Alves Ferraz

Resumo


Este artigo visa oferecer um esboço histórico das relações políticas entre as elites militares e civis no Brasil, bem como suas conseqüências e alguns de seus problemas contemporâneos.


Palavras-chave


Forças armadas; História do Brasil contemporâneo; Política brasileira.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, M. H. M. Estado e Oposição no Brasil (1964-1984). Petrópolis: Vozes, 1984.

ARAÚJO, B. J. Novos padrões do pensamento estratégico no Brasil? São Paulo: Núcleo de Análise Interdisciplinar de Políticas e Estratégias-Universidade de São Paulo, 1992.

BARROS, A. S. C. The Brazilian Military: professional socialization, political perfomance and State building. Chicago: University, 1998

BONALUME NETO, R. A Nossa Segunda Guerra: Os brasileiros em combate-1942-1945. São Paulo: Expressão e Cultura, 1995.

CARVALHO, J. M. Forças Armadas e política: 1930-1945. In: Revolução de 1930-Seminário Internacional. Brasília: Ed. da Universidade de Brasília, 1980.

CARVALHO, J. M. Forças Armadas na Primeira República: o Poder Desestabilizador. In: FAUSTO, B. (org.). História Geral da Civilização Brasileira. São Paulo: Difel, 1985, t.3, v.2.

CASTELO BRANCO, M. T. O Brasil na Segunda Guerra Mundial. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1960.

CASTRO, C. A origem social dos militares. Novos Estudos CEBRAP. São Paulo, n.37, nov 1993.

CASTRO, C. O Espírito Militar. Um estudo de Antropologia Social na Academia Militar das Agulhas Negras. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1990.

COELHO, E. C. Em busca de identidade: o Exército e a política na sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1976.

CONTREIRAS, H. Militares: Confissões: Histórias Secretas do Brasil. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.

CORDEIRO DE FARIAS, O. Meio Século de Combate: diálogo com Aspásia Camargo e Walder de Goes. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980

COSTA, V. P. A Espada de Dâmocles: o exército entre a Guerra do Paraguai e a República. São Paulo: Hucitec, 1996

DREIFUSS, R. A. 1964: a Conquista do Estado- ação política, poder e golpe de classe. Petrópolis: Vozes, 1981.

FERRAZ, F. C. À Sombra dos Carvalhos: Escola Superior de Guerra e política no Brasil (1948-1955). Londrina: Eduel, 1997.

FERRAZ, F. C. A. A política na caserna: a formação de uma ideologia intervencionista militar na crise do Império. História, São Paulo, n. 9, p.102-103, 1990

FLORES, M. C. Bases para uma política militar. Campinas: Unicamp, '1992.

FLORES, M. C. Preocupações militares do fim de século: ilações sobre o caso brasileiro. Premissas. n.13, ago 1996.

FORJAZ, M. C. S. Tenentismo e Forças Armadas na Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1981.

GEISEL, E.. Geisel. Entrevistas organizadas por Maria Celina de Araújo e Celso de Castro. Rio de Janeiro: Ed. da Fundação Getúlio Vargas, 1997.

HOLANDA, S. B. A fronda pretoriana. In: História Geral da Civilização Brasileira. São Paulo: Difel, 1972. t.2, v.5

JANOVITZ, M. O Soldado Profissional. Rio de Janeiro: Ed. GRD, 1967.

LEINER, P. C. Meia Volta, Volver: um estudo antropológico sobre a hierarquia militar. Rio de Janeiro: Ed da Fundação Getúlio Vargas, 1997.

LUDWIG, A. C. A Formação do Oficial Brasileiro e a Transição Democrática. 1992. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1992.

LUDWIG, A. C. Uma proposta de modernização para as Forças Armadas brasileiras. A Defesa Nacional. n. 766, out./dez. 1994.

MARTINS FILHO, J. R. O palácio e a caserna: a dinâmica militar das crises políticas na ditadura (1964-1969). São Carlos: Editora da Universidade Federal de São Carlos, 1995

MAXIMIANO, C. C. Onde estão nossos heróis: uma breve história dos brasileiros na 2ª Guerra. São Paulo: Edição do Autor, 1995.

Mc CANN, F. A Nação Armada: ensaios sobre a história do Exército Brasileiro, Recife, Guararapes, 1982

Me CANN, F. Aliança Brasil-Estados Unidos (1937-1945). Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Editora, 1995.

MIYAMOTO, S. Segurança e a Nova Ordem Internacional. Premissas. Campinas, Núcleo de Estudos Estratégicos, n.14, dez 1996.

MOURA, G. Sucessos e ilusões: relações internacionais do Brasil durante e após a Segunda Guerra Mundial. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1990.

OLIVEIRA, E. R. De Geisel a Collor: Forças Armadas, transição e democracia. Campinas: Papirus, 1994.

OLIVEIRA, E. R. Le participation politique des militaires au Brésil: 1945-1964. Paris: Institute des Études Politiques, 1980.

PEIXOTO, A. C. O Clube Militar e os confrontos no seio das Forças Armadas. In: ROUQUIÉ, A. (org.). Os Partidos Militares no Brasil. Rio de Janeiro: Record, 1993.

PROENÇA JÚNIOR, D.; DINIZ, E. Os caminhos de Marte. Novos Estudos CEBRAP, n.43, 1995.

SARDENBERG, R. M.; FUJITA, E.S. Uma Política de Defesa Nacional Sustentável. Política Externa. V. 5, n.3, dez-fev 1997.

SCHULZ, J. O Exército na política: origens da intervenção militar (1850-1894). São Paulo: Edusp, 1994

SILVA, F. C. T. (Coord.). Dicionário da Direita: Idéias, Personagens e Instituições (1920-1995). Rio de Janeiro: UFRJ, 1998

SIMONE, C. C. Exército Nacional e Pacificação: um estudo sobre Caxias (1839-1853). 1979. Tese (Mestrado) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1979.

TADOEI, J. O militare a ética: o sonho não acabou. Revista da Escola Superior de Guerra, v. 8, n.23, out. 1992.

ZAVERRUCHA, J. Rumor de Sabres: controle civil ou tutela militar? Estudo comparativo das transições democráticas no Brasil, Argentina e na Espanha. São Paulo: Ática, 1994




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.1998v4n0p115

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br