Lendo imagens criticamente: uma alternativa metodológica para a formação do professor de história

Maria Auxiliadora Schmidt

Resumo


O artigo apresenta os pressupostos epistemológicos referências da Prática de Ensino Supervisionado em História, do Departamento de Teoria e Prática de Ensino - UFPR, desde 1996.


Palavras-chave


Educação; Cultura; Sociedade do espetáculo; Imagens; Ensino de história.

Texto completo:

PDF

Referências


APPLE, M. W. Os professores e o currículo. Abordagens sociológicas. Lisboa: Educa, 1997.

BURKE, P. A fabricação do Rei. A construção da imagem pública de Luís XIV. Rio de Janeiro: Jorge Zahar ed., 1994.

BUSATO, L. R. Educação e Comunicação. Mimeo, Texto apresentado no seminário sobre educação e comunicação, realizado em Curitiba, de 5 a 9 de agosto de 1996.

CHARTIER, R. Cultura popular: revisitando um conceito historiográfico. In: Estudos Históricos n.16, 1995.

DEBORD, G. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

FERRÉS, J. Televisão e Educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

FERRO, M. A história vigiada. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

FORQUIN, J. C. Escola e cultura. As bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

FRONZA, M. A revolução industrial e a indústria cultural. O caso das histórias em quadrinhos. Curitiba: UFPR, 1997. (Projeto de prática de ensino de história).

GOUBERT, P. História local. In. Revista Arrabaldes. Por uma história democrática. Rio de Janeiro: UFF, n.1, maio/ag., 1988

GREEN, B.; BIGUN, C. Alienígenas na sala de aula. In: SILVA, Tomaz Tadeu da. Alienígenas na sala de aula. Uma introdução aos estudos culturais em educação.Petrópolis,RJ.: Vozes, 1995,p. 208-243.

HOBSBAWN, E. Século radical. Jornal Folha de São Paulo, São Paulo, 30 jul. 1995. Suplemento Mais

JACQUINOT. G. La escuela frente a las pantallas. Buenos Aires: Aique, 1996.

JAMESON, F. As marcas do visível. Rio de Janeiro: Graal, '1995.

KELLNER, D. Lendo imagens criticamente: em direção a uma pedagogia pós-moderna. In.: SILVA, T. T. Alienígenas na sala de aula. Petrópolis,RJ.: Vozes, 1995.

PENIN, S. T. S. A aula: espaço de conhecimento, lugar de cultura. Campinas.SP: Papirus, 1994.

ROCHA, J. M. A sociedade da informação.Curitiba: UFPR, 1997 (projeto de prática de ensino de história).

SACRISTÀN, J. G. Escolarização e cultura: a dupla determinação. In.: SILVA, L. H.; AZEVEDO, J. C.; SANTOS, E. S. Novos mapas culturais, novas perspectivas educacionais. Porto Alegre: Sulina, 1996.

SERRANO, J. Como se ensina História. São Paulo: Melhoramentos, s/d.

SERRANO, J. Metodologia do ensino de história. São Paulo: Melhoramentos, 1941.

SCHMIDT, M. A. O uso escolar do documento histórico. In.Caderno de História. Ensino e Metodologia. Curitiba: UFPRI PROGRAD, 1997. v.2,p.5-17.

SCHMIDT, M. A.; PEDROSO, L. C. Publicidade como documento. Caderno de História. Ensino e metodologia, Curitiba, v.2, p.25-38, 1997.

SILVA, L. H. (org.) Novos mapas culturais, novas perspectivas educacionais. Porto Alegre: Sulina, 1996.

SOUZA, M. O. A mulher na revolução industrial. Curitiba: UFPR, 1997. (projeto de prática de ensino de história).

SULTAN, J. Faire I image; une activité de connaissance. Elements pour un cadre théorique. In.: SULTAN, J.lPOIRIER, B. FaireNoir et savoir. Connaissance de I image, image et connaissance. Images technologiques en arts plastiques et en histoire. Paris,Fr: Institut National de Recherche Pédagogique.1992.

THOMPSON, E.P. A miséria da teoria. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

VENÂNCIO FILHO, F. A educação e seu aparelhamento moderno. São Paulo: Nacional, 1941.

WILLlAMS, R. Cultura e sociedade. 1780-1950. São Paulo; Nacional, 1969.

WILLlAMS, R. Cultura. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.1998v4n0p9

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br