Entre o nada e o anódino: parâmetros, diretrizes e a reforma da educação nacional

José Miguel Arias Neto

Resumo


Este artigo tem por objetivo realizar uma crítica dos fundamentos dos Parâmetros Curriculares Nacionais tendo como referência o conceitual da filosofia política que propõe um julgamento das ações humanas mediante as relações entre ética, moral e política.


Palavras-chave


Parâmetros curriculares; Direitos humanos; Ética; Moral; Política.

Texto completo:

PDF

Referências


FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. 9 ed. Petrópolis: Vozes, 1991.

FURET, François. A oficina da História. Lisboa: Gradiva, s/do (Original francês é de 1979).

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. São Paulo: Círculo do Livro, s/do

LAMPREA, Luiz Felipe. Relatório Brasileiro sobre desenvolvimento social. Estudos Avançados. São Paulo, V. 9, n. 24, maio-agosto/95.

LEFORT, Claude. A invenção democrática: os limites do totalitarismo. 2 ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

LYOTARD, Jean-François. O pós-moderno. 3 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1998.

MATOS, limar. O tempo Saquarema. São Paulo: HUCITEC/INL, 1987.

NEVES, Joana. Proposta para parâmetros curriculares nacionais/ mec-área de História. Boletim da ANPUH. São Paulo, ano 6, n. 12, março-junho/98.

ONU. Relatório do desenvolvimento humano: 1997. Lisboa: Trinova, 1997.

RIBEIRO, Darcy. Carta: falas, reflexões, memórias. Brasília: Gabinete do Senador Darcy Ribeiro, 1991.

RICOEUR, Paul. Em torno ao político. São Paulo: Loyola, 1995. TODOROV, Tzvetan. As morais da História. Lisboa: EuropaAmérica, s/d (Original francês é de 1991).




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.1999v5n0p103

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br