Reflexões sobre o uso do mapa conceitual na disciplina de história

Maria Lima

Resumo


Neste artigo, com o intuito de refletir sobre o conceito de avaliação formativa, a autora apresenta um relato de experiência do uso do mapa conceitual na 8ª série do Ensino Fundamental (14 anos) da Escola da Vila (instituição particular sediada em São Paulo/Brasil), num curso de História do Brasil. Compõem o texto tanto a fundamentação teórica do mapa conceitual e da estratégia didática de utilização de eixo conceitual na prática reflexiva. Ficam evidenciadas as potencialidades deste instrumento, bem como algumas das dificuldades (dos alunos e alunas e da professora) que apareceram na sala de aula durante sua aplicação.


Palavras-chave


Avaliação formativa; Mapa conceitual; Ensino/aprendizagem por conceitos.

Texto completo:

PDF

Referências


ALARCÃO, Isabel (Org.). Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto Portugal: Porto Editora LDA, 1996.

ANDRÉ, Marli; PASSOS, Laurizete. Para além do fracasso escolar: uma redefinição das práticas avaliativas. In J. G. Aquino (Org.), Erro e fracasso na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1997. p. 111-123.

CARRETERO, M. Construir e ensinar - as Ciências Sociais e a História. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997

COLL, C.; MARCHESI, A.; PALACIOS, J.; COLS. Desenvolvimento psicológico e educação: transtornos de desenvolvimento e necessidades educativas especiais.. Porto Alegre, RS: Artmed, 1996. v. 2.

CORDEIRO, J. E P. A história no centro do debate: as propostas de renovação do ensino de História nas décadas de setenta e oitenta. Araraquara: Unesp, 2000.

HADJI, C. Avaliação desmistificada. Porto Alegre: Artes Médicas, 2001ª.

HADJI, C. Avaliar para melhor formar. Revista Educação, São Paulo, n. 237, jan. 2001b.

LA TALLE, Y. O erro na perspectiva piagetiana. In: AQUINO, J. G. (Org.). erro e fracasso na escola: alternativas teóricas. São Paulo: Summus, 1997.

MIRAS, M.; SOLÉ, I. A avaliação da aprendizagem e a avaliação no processo de ensino e aprendizagem. In: COLL, C.; MARCHESI, A.; PALACIOS, J.; COLS. Desenvolvimento psicológico e educação: transtornos de desenvolvimento e necessidades educativas especiais.. Porto Alegre, RS: Artmed, 1996.

MOREIRA, M. A.; BUCHWEITZ, B. Mapas conceituais: instrumentos didáticos de avaliação e de análise de currículo. São Paulo: Moraes, 1987.

MOREIRA, M. A. Mapas conceiturais e aprendizagem significativa. São Paulo: Congresso do Grupo, 2000. (Mimeo).

OLIVEIRA, M. K. Vygostsck: aprendiado e desenvolvimento um processosócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1993.

ONTORIA, A. et al. Mapas conceptuales: un tecnica para aprender. Madrid: Narcea, 1995.

POZO, J.I..; ASENSIO, M.; CARRETERO, M. Modelos de aprendizaje: enseñanza de la historia. In: POZO, J.I..; ASENSIO, M.; CARRETERO, M. La enseñanza de las ciencias socialies. Madrid: Visor, 1989.

SCHMIDT, M. A. Construindo conceitos no ensino de história: a captura lógica da realidade social. História e Ensino, Londrina, v. 5, p. 147-163, out. 1999.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

ZABALA, A. A prática educativa. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2001v7n0p167

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br