Ensinar e aprender história com lições e testes Moodle

Armando Augusto Oliveira

Resumo


O trabalho que se apresenta visa partilhar de forma resumida a experiência de utilização de um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Moodle com cinco turmas de nono ano de escolaridade no ano letivo de 2009-2010. Recorrendo a lições e testes Moodle para o ensino e aprendizagem da disciplina de História em turmas do terceiro ciclo, registaram-se dados das suas implicações pedagógicas. A investigação efetuada recorreu a vários instrumentos de recolha de dados, entre os quais, registos do sistema Moodle, diários de bordo e questionários, cuja análise permitiu identificar potenciais aspetos justificativos sobre a perceção dos alunos. Seguindo um modelo sócio construtivista que potencia um papel mais ativo dos alunos no processo de ensino e aprendizagem efetua-se uma reflexão em torno da utilização das lições e testes Moodle e da propensão para utilização das Tecnologias da informação e comunicação (TIC) e das suas potencialidades pedagógicas.


Palavras-chave


História; Moodle; Lições; Testes; Ambiente Virtual de Aprendizagem

Texto completo:

PDF

Referências


ASTOLFI, J. P. L’erreur, un outil pour enseigner. Paris: ESF éditeur, 1977.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S.(1994). Investigação qualitativa e educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 2009.

CARVALHO, A. A.; AGUIAR, C.; SANTOS, H.; OLIVEIRA, L.; MARQUES, A. Podcasts in higher education: students’ and lecturers’ perspectives. Proceedings of the 9th WCCE IFIP World Conference on Computers in Education, Bento Gonçalves, RS, Brasil, 2009.

CARR, N. Is Google Making Us Stupid? Disponível em: http://www.theatlantic.com/magazine/archive/2008/07/is-google-making-usstupid/6868/. 2008. Acesso em 18/06/2012.

COATEN, N. Blended e-learning. Disponível em: http://www.educaWeb.com/esp/servicios/monografico/formacionvirtual/1181076 .asp 2003. Acesso em 18/06/2012.

CHURCHES, A. Bloom's Digital Taxonomy. Disponível em: http://edorigami.wikispaces.com/file/view/bloom's+Digital+taxonomy+v3.01.pdf . 2009. Acesso em 18/06/2012.

CRUZ, S. Blogue, Youtube, Flickr e Delicious: Software Social. In CARVALHO, A. A. (Org.). Manual de Ferramentas Web 2.0 para Professores. Lisboa: DGIDC, Ministério da educação, 2008.

DOWNES, S. E-learning 2.0. Disponível em: http://www.downes.ca/post/31741 2005. Acesso em 18/06/2012.

GARRISON, R.; A. TERRY. E-Learning in the 21st Century: A Framework for Research and Practice. Nova Iorque: Routledge, 2003.

HILL, M.; HILL A. Investigação por Questionário. 2 ed., Lisboa: Edições Sílabo, 2005.

JONASSEN, D. H.; PECK, K. L.; WILSON, B. G. Learning with Technology: A Constructivist Perspective. Columbus, OH: Prentice Hall, 1999.

JONASSEN, D.H. Computadores ferramentas cognitivas. Desenvolver o pensamento crítico nas escolas. Porto: Porto Editora, 2007

LESSARD-HÉBERT, M. Pesquisa em educação. Lisboa: Instituto Piaget, 1996.

MARTYN, M. The Hybrid Online Model: Good Practice. A hybrid approach to online learning offers important lessons for institutions entering the online arena. 2003. Disponível em: http://www.educause.edu/ir/library/pdf/EQM0313.pdf Acesso em 18/06/2012.

MARZANO, R. J.; PICKERING, D. J.; POLLOCK, J. E. Ensino que funciona: estratégias baseadas em evidências para melhorar o desempenho dos alunos. Porto Alegre: Artmed, 2008.

MOREIRA, J. Questionários: teoria e prática. Coimbra: Livraria Almedina, 2004.

MORGAN, A. Student learning and students’ experiences. Research, theory and practice. In: LOCKWOOD F. (Org.). Open and Distance Learning Today .London: Routledge, 1995.

PRENSKY, M. Do They Really Think Differently? In Digital Natives, Digital Immigrants, Part II: Published in On the Horizon. NCB University Press, v.9, n.6, Dec. 2001.

OLIVEIRA, A.;CARDOSO, E. Boas práticas com Moodle no ensino da História. Caldas da Rainha: Livro de Actas. Caldas Moodle`08. Comunidades de aprendizagem Moodle. Associação Portuguesa de Telemática Educativa, 2008.

ROLLINS, M. J. Moodle and Bloom's Taxonomy. E-TeachUK 2010. Disponível em http://muppetmasteruk.blogspot.com/2010/05/moodle-and-bloomstaxonomy.html Acesso em 18/06/2012.

SÁ, J. Renovar as práticas no 1.º Ciclo pela via da Ciência da Natureza. Porto: Porto Editora, 1994. SANTOS, A. Ensino a distância & Tecnologias de Informação. Lousã: Editora Lidel, 2000.

SANTOS, M. Desafios pedagógicos para o século XXI. Biblioteca do Educador. Lisboa: Livros Horizonte, 1999.

SHULMAN, L.; GROSSMAN, P. The Intern Teacher Casebook. San Francisco, CA: Far Wets Laboratory for Educational Research and Development, 1988.

SHULMAN, L. S. Knowledge and Teaching: Foundations of the New Reform. Harvard Educational Review, v.57, n.1, 1-22, 1998.

SINGH, H. Building Effective Blended Learning Programs. Educational Technology, v.43, n.6, p.51-54. 2003. Disponível em: http://www.faculty.english.ttu.edu/rice/blended-learning.pdf Acesso em 18/06/2012.

VALADARES, J.; MOREIRA, M. A teoria da aprendizagem significativa: sua fundamentação e implementação. Coimbra: Edições Almedina, 2009.

VILLATE, J. E-learning na Universidade do Porto. Caso de Estudo: Física dos Sistemas Dinâmicos 2004/2005. II Workshop E-learning da Universidade do Porto, 2005.

ZABALA, A. Planificação e desenvolvimento curricular na escola. Porto: ASA Editores, 1991.

ZABALA, A. A prática educativa. Como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

ZABALA, A. Os Pontos de Vista Didácticos. In ZABALA, A. O Construtivismo na Sala de Aula. Porto: ASA Editores, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2012v18n1p07

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br