Práticas culturais e práticas escolares: aproximações e especificidades no ensino de história

Lana Mara de Castro Siman

Resumo


A educação escolar vem buscando cada vez mais estabelecer um diálogo com outros espaços culturais com vistas a explorar o que esses espaços oferecem para a aquisição de conhecimento por meio do emprego de outras linguagens e ferramentas. Ao aproximar os alunos desses espaços a escola espera também que os conhecimentos ali adquiridos e vivenciados contribuam para o desenvolvimento de uma atitude cidadã, ou seja, de problematização dos usos sociais da memória e das ações, relações e produções materiais e simbólicas do homem, ao longo do tempo, em diferentes sociedades e culturas. Neste trabalho, pretendemos oferecer algumas contribuições conceituais e metodológicas que possam orientar a prática educativa de professores de História e de educadores de museus na perspectiva da construção de conhecimentos histórico. No entanto, antes de apresentar essas possibilidades, problematizaremos a maneira como vem se dando essa relação de modo a lançarmos luzes para construção de novas relações.


Palavras-chave


Educação escolar; Memória; Museus; Conhecimento histórico.

Texto completo:

PDF

Referências


BARRETO, M. L. H. Guia Básico de Educação Patrimonial. Brasília: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Museu Imperial. 1999.

DUTRA, S. F. As crianças e o desenvolvimento da temporalidadehistórica. 2003. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2003)

LAVILLE, C.; MARTINEAU, R. L'histoire: voie royale vers la citoyenneté? Édllcation, n 16, out. 1998, p. 34

LAVILLE, C.; ROSENZWEIG, L. Teaching and leaming history developmental dimensions. In: ROSENZWElG, L. W. (dir.). Developmental perspectives of the social studies. Washington, Ness, 1982. p. 54-66.

LAVILLE, C. Psycologic de I' adolescent et l'enseignement historique: le problème de l'acces à la pensée formelle. Cahiers de Clio, n. 43-44, p. 33-34, 1975

DOWEY, M. T.; LEVSTIK, L. S. Teaching and learning History: research bas", Social Educatioll, n. 52, p.340, 1998.

MOLL, L. C. Vygotsky e a Educação: implicações pedagógicas da psicologia sóciohistórica. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

PAIVA, E. F. 500 anos de hibridismo e impermeabilidade culturais no Brasil: os passeurs culturels. IN: 1500/200: Trajetórias. Unicentro :Newton Paiva, Belo Horizonte, 1999

PIAGET, J. Le développement de la notion de temps chez l'enfant. Paris: Presses, 1973

SIMAN, L. M.C. Aconstrução do conhecimento, do raciocínio histórico e cidadania nas Crianças In: Anais do XX SIMPÓSIO NACIONAL DA ANPUR, 20., 1999, Florianópolis. Anais... Florianópolis: ANPUR, 1999. p.598-605

SIMAN, L. M. C. , COELHO, A R. Opapel da ação mediada na construção de conceitos históricos. MORTIMER, E.; SMOLKA, A M.B. (orgs.). Anais do II Encontro Internacional de Linguagem, Cultura e Cognição. Belo Horizonte, 2003, 19 P(CD-ROM, ISBN: 85-86091)

VIDAL, L.; SILVA, A. I. O sistema de objetos as sociedades indígenas: arte e cultura material. In: SILVA, A. I.; GRUPIONI, L. D. B. A temática indígena na escola: novos subsídios para professores de 1º e 2° graus. Brasília, MEC/UNESCO, 1995.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984

VYGOTSKY, L. S. El desarollo de los procesos psicológicos superiores.Barcelona: Crítica, 1979

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem, 2e edição. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

VYGOTSKY, L. S. Piensamento e Language. IN: Obras Escogidas -Tomo lI. Madri: Visor

WERTSCHI, J..; SMOLKA, A. L. B. Continuando o diálogo: Vygotsky, Bakthin e Lotman. In: Vygotsky em foco: Pressupostos e desdobramentos. Campinas: Papirus, 1994




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2003v9n0p185

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br