O que dizem os professores sobre o sistema de cotas para negros nas universidades públicas

Lorene dos Santos, Lana Mara de Castro Siman

Resumo


Este trabalho apresenta uma análise do conteúdo de um fórum de discussão, em meio virtual, onde um grupo de professores de uma rede pública de ensino, em Minas Gerais expressou, sob a forma de depoimentos, opiniões e posicionamentos, suas representações e saberes acerca do tema "cotas para negros em universidades públicas brasileiras". Para melhor compreender o que dizem os professores acerca deste tema traçamos, inicialmente, um brevíssimo panorama das discussões envolvendo a questão racial em nosso país para, em seguida, identificar e problematizar os argumentos que apóiam os posicionamentos dos professores, assim como os pontos sobre os quais se situam alguns dos embates, tensões e polêmicas em torno dessa questão.


Palavras-chave


Representações; Saberes docentes; Cotas raciais; Educação anti-racista.

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, C. M. M. Cota racial e estado: abolição do racismo ou direitos de raça? Cadernos de Pesquisa, v. 34, n. 121, jan./abr. 2004.

GUIARÃES, A. S. A. Racismo e anti-racismo no Brasil. ed. 34. São Paulo: Fundação de Apoio, 2005.

MAGGIE, Y. Políticas de cotas e o vestibular da UnB ou amarca que cria sociedades divididas. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 1, n. 23, jan./jun. 2005.

MAGGIE, Y.; FRY, P. Areserva de vagas para negros nas Universidade brasileim. Estudos Avançados, São Paulo, v. 18 n. 50, 2004.

MATTOS. H. M. Oensino de História e a luta contra a discriminação racial no Brasil. In: ABREU, M.; SOIHEI, R. (org.). Ensino de História: conceitos, temáticas e metodologia. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003.

SANTOS, S. A. (org.). Ações afirmativas ecombate ao racismo nasAméricas. Brasuia: ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005 (Coleção Educação para todos).

SCHWARCZ, L. M. Nem preto nem branco, muito pelo contrário: cor e raça na intimidade. In: SCHWARCZ, L. M. (org.) História da vida privada no Brasil: contmstcs da intimidade contemporânea. São Paulo Companhia das Letras. 1998.

SCHWARCZ, L. V. Racismo à brasileira. In: Ensino de História e Cultura africana e afro-brasileira - Livro-texto (vários autores). Belo Horizonte: PUC Minas Virtual, 2006.

TAEDIF. M. Saheres docenles & formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002

TARDIF, M.; LESSARD, C. Otrabalho docente: elementospara uma teoria da dochiCia como profissão de inlemções humanas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

TEIXEIRA, I. C. Os professores como sujeitos sócio-culturais. In: DAYRELL, Juarez (org.). Múltiplos olbares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1996.

VIANA. H. Mestiçagem Fora ele Lugar. Folba de São Paulo, Caderno Mais, 27/06/ 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2008v14n0p95

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br