Ensinar a escrever sobre história

Ivo Matozzi

Resumo


A produção de conhecimentos históricos não pode ser suficientemente incisiva - no que se refere aos jovens em formação - se a cultura que os historiadores produzem não se transfere, com suas próprias características, para os processos de ensino e aprendizagem, traduzindo-os em conhecimentos escolares. Para conseguir este objetivo é fundamental que os docentes tomem consciência da importância do texto na construção do saber. Na escola italiana nenhum docente, em seu trajeto de formação, teve a possibilidade de resolve problemas concretos que tiveram a ver com a construção do texto e com a sua estrutura e, em consequência, o texto é considerado somente um veículo de informação. Opondo-me a este modo de conceber a função de um texto, decidi investigar sobre o problema da escrita em função da aprendizagem. Minha intenção é argumentar sobre a necessidade de ensinar a desconstruir, a des-construir (não no sentido de destruir, mas de analisar as partes de um todo) os textos dos historiadores para que os estudantes consigam transportar estas partes, conquistando a capacidade de escrever sobre a história. Meu trabalho se deterá sobretudo na centralidade do texto e na importância de sua estrutura na investigação, no ensino e na aprendizagem em história.


Palavras-chave


Didática da história; História; Texto histórico; Consciência histórica; Estrutura do texto; Compreensão do texto histórico; Escrita do texto histórico.

Texto completo:

PDF

Referências


ARON, R. Lezioni sulla storia. Bologna: Il Mulino, 1997.

BARTHES, R. Il brusio delta lingua. Turim: Einaudi, 1988.

BROWN, G.; YULE, G. Analisi deI discorso. Bologna: Il Mulino, 1986.

DE CERTAD. M. La scrittura della storia. Roma: Il Pensiero Scientifico, 1977.

GARDIN, J. C.; BORGHEm, M. N. L'architetura di testo stotorico. Bologna: CLUEB, 1995.

GREIMAS, A. J. Del senso 2. Milano: Bompiani, 1984

GREIMAS, A. J. Semiotica escienze sociali. Thrim: Centro Scientifico Torinense, 1991.

KOSELLECK, R. Futuro passato. Genoa: Marietti, 1986.

LEVORATO, M. C. Raccontí, storie enarrazioni: i processi di compreenzioni dei testi. Bologna: Il Mulino, 1993.

LOZANO, J. II discorso storico. Palermo: Sellerio,1996.

PERELMAN, C. II campo delt'argomentazione. Nuova retorica e scienze humane. Parma: Pratiche, 1979.

RICOEUR, P. Tempo e racconto. Milano: Jaca Book,1985-88. 3 v.

RICOEUR, P. La memoria, la storia, l'oblio. Milano: Cortina editore, 2003.

ROSSI, P (org). La teoria delta storiografia oggi. Milano: II Sagiattori, 1983.

TODOROV. T. I generi del discorso. Firenze: La Nuova Itália, 1993.

TOPOLSKY. J Metodologia delta ricerca storica. Bologna: Il Mulino, 1975.

VEYNE, P. Come si scríve la storia. Bari: Laterza, 1973.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2008v14n0p7

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br