Da colônia à reforma Francisco Campos (1931): análise histórica do ensino secundário no Brasil

Pedro Ernesto Fagundes

Resumo


Este trabalho estuda a trajetória histórica do ensino secundário no Brasil, especialmente, durante o período em que esteve em vigor a Reforma Francisco Campos, entre os anos de 1931 e 1942. A administração Vargas é um marco no sentido de ter criado o inédito Ministério da Educação e Saúde (MES), órgão que assumiu e desenvolveu suas ações no sentido de centralizar as questões educacionais do país. 


Palavras-chave


História da Educação; Reforma Francisco Campos; Ensino secundário

Texto completo:

PDF

Referências


CARVALHO, M. M. C. de. A escola e a República e outros ensaios. Bragança Paulista-SP: EDUSF, 2003.

CHERVEL, A. Quando surgiu o ensino “secundário”? Revista da Faculdade de Educação da USP, São Paulo, v.18, n. 1, p. 99-112, jan./jun. 1992.

FARIA FILHO, L. M. de (2000) Instrução Elementar no Século XIX. In: LOPES, E. M. T: FARIA FILHO, L. M.;: VEIGA, C. G. (Org.). 500 anos de educação no Brasil. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

FAUSTO, B. A Revolução de 1930. Historiografia e História. 10. ed. São Paulo: Brasiliense, 1986.

PILETTI, N. Evolução do currículo do curso secundário no Brasil. Revista da Faculdade de Educação da USP, São Paulo, v.13, n. 2, p. 27-72, 1987.

NAGLE, J. Educação e Sociedade. Na primeira república. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

NUNES, C. O “velho” e “bom” ensino secundário: momentos decisivos. Revista Brasileira de Educaçã,. São Paulo, maio/ago. 2000.

ROMANELLI, O. de História da Educação no Brasil (1930/1973). Petrópolis: Vozes, 1984.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2011v17n2p327

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br