Discursos em campo: Moacyr versus Zumbi ou quem é o quê no Ceará

Silviana Fernandes Mariz

Resumo


O presente artigo se propõe a mostrar, parcialmente, o embate travado entre as duas principais ideologias explicativas da identidade nacional brasileira; sobretudo, nos livros didáticos utilizados pela prefeitura da cidade de Fortaleza (CE). Entende que a partir de 1950 e de modo ainda mais intenso a partir de 1980, uma reviravolta na compreensão dos padrões das relações étnicorraciais brasileiras vem acontecendo em discursos que circulam pela sociedade.


Palavras-chave


Livros Didáticos. Identidade Nacional. Local. Mestiçagem. Afrodescendência.

Texto completo:

PDF

Referências


BESERRA, B. Cultural Imperialism and the transformation of race relations in Brazil. Latin American Perspectives, 38 (1). 2011.

BOURDIEU, P.; WACQUANT, L. Artimanhas da razão imperialista. Estudos AfroAsiáticos. v. 24. n. 1. 2002.

CATUNDA, J. Estudos da História do Ceará. Fortaleza: Tipolitografia Gadelha. 2 ed. 1919. p. 77 (original de 1886).

CARRETERO, M. et alli. Ensino da História e Memória Coletiva. Porto Alegre: Artmed, 2007.

COSTA, E. V. da. Da monarquia à república, momentos decisivos. São Paulo: Editora Unesp, 1998.

FREYRE, G. Casa Grande e Senzala. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1987.

FONSECA, P. N. B. Additamentos: Escrava Bonifácia e outros. Revista do Instituto do Ceará. Fortaleza: Typographia Econômica, 1894.

GIRÃO, R. A Abolição no Ceará. Fortaleza: Imprensa Universitária Cearense, 1988.

GRIN, M. G. Raça: Debate Público no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2010.

HANCHARD, M. G. Orfeu e o Poder: o movimento negro no Rio de Janeiro e São Paulo (1945 – 1988). Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001.

HASENBALG, C. Discriminação e Desigualdades Raciais no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

JAMESON, F. O marxismo tardio. Adorno, ou a persistência da dialética. São Paulo: BoiTempo / UNESP, 1997.

MAIO, M. C. O Projeto UNESCO e a agenda das Ciências Sociais no Brasil dos anos 40 e 50. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 14, n. 4, out. 1999.

MONTENEGRO, J. A. Historiografia do Instituto do Ceará. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2003.

NOBRE, G. O Ceará em Preto e Branco. Fortaleza: Gráfica Editorial Cearense, 1988.

NUDOC. Cadernos do NUDOC. Série: História. n. 1. Fortaleza: NUDOC / UFC, 1988.

OLIVEIRA, A. L. O Instituto Histórico, Geográfico e Antropológico do Ceará – memória, representações e pensamento social (1887 – 1914). São Paulo: Tese de Doutorado, Pontifícia Universidade Católica, 2001. 280p.

OLIVEIRA, A. L. Saber e poder – o pensamento social cearense no final do século XIX. São Paulo: dissertação de mestrado, Pontifícia Universidade Católica, 1998.

PAIVA, F. FORTALEZA de dunas andantes a cidade banhada de sol. São Paulo: Cortez Editora, 2005. Coleção Nossa Capital.

RIBEIRO, D. O Povo Brasileiro. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 1998.

REVISTA BRASILEIRA E HISTÓRIA. São Paulo, v. 24, n. 48. 2004.

REVISTA DO IHGB. Rio de Janeiro: IHGB, 1845. T. 8 e 34.

SCHWARCZ, L. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil 1870 0 1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SILVA, P. A. O. História da escravidão no Ceará. Das origens à extinção. Fortaleza: Instituto do Ceará / Imprensa Universitária, 2002.

SILVA, P. A. O O declínio da escravidão no Ceará. Recife: UFPE, dissertação de mestrado, 1988.

SOUZA, S. Uma Nova História do Ceará. Fortaleza: Fundação Demócrito Rocha, 2007.

SOUZA, S; STUDART, G. Datas e factos para a História do Ceará. Fortaleza: Typographia Studart, 1896.

TELLES, E. Race in another America: The significance of skin color in Brazil. USA: Princeton University Press, 2004.

THOMPSON, E. P. A Miséria da Teoria ou um planetário de erros – uma crítica ao pensamento de Althusser. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2011v17n2p307

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br