DISCUTINDO A MUDANÇA PARADIGMÁTICA DE THOMAS KUHN: UMA ANÁLISE INTRODUTÓRIA A PARTIR DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM CLIMATOLOGIA GEOGRÁFICA PUBLICADA NA REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA

Adriano Severo Figueiró

Resumo


O presente trabalho teve por objetivo proceder a uma análise epistemológica da produção científica brasileira, na área da Climatologia Geográfica, publicada na Revista Brasileira de Geografia, buscando avaliar a possibilidade de identificação de “comunidades” de pesquisadores formadas em torno de paradigmas definidos, tal como propõe Kuhn (1994) para explicar o processo de desenvolvimento científico. Uma análise de 58 artigos publicados entre os anos de 1939 e 1988 demonstrou, por um lado, a clara expressão da lenta mudança paradigmática na área da Climatologia Geográfica; por outro lado, foi impossível estabelecer limites mais precisos das comunidades de pesquisadores, dado o fato de não terem sido identificados momentos propriamente “revolucionários” de efetiva mudança paradigmática.


Palavras-chave


Climatologia, Epistemologia, Revolução científica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2011v20n1p146

Direitos autorais 2012 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com