Do sonho à memória: Lívia de Oliveira e a geografia humanista no Brasil

Eduardo Marandola Jr, Lúcia Helena Batista Gratão

Resumo


Das três grandes orientações teórico-metodológicas da Geografia no início deste século, a que teve menor atenção dos geógrafos brasileiros, até agora, é a que se vincula à Geografia Humanista. Múltipla e de múltiplos significados, os geógrafos desta tendência ocupam-se com os fenômenos imateriais como indissociáveis dos fenômenos materiais. No Brasil, estes estudos tardaram alcançar a mesma envergadura que receberam em outros países, como nos Estados Unidos, por exemplo. Procuramos resgatar o desenvolvimento da Geografia Humanista no Brasil, a partir das memórias e da trajetória da principal precursora destes estudos no país: Lívia de Oliveira. A partir de seu relato e de sua obra, procuramos reconstituir alguns marcos deste evoluir e apontar algumas tendências e caminhos a trilhar neste campo de investigação.


Palavras-chave


Das três grandes orientações teórico-metodológicas da Geografia no início deste século, a que teve menor atenção dos geógrafos brasileiros, até agora, é a que se vincula à Geografia Humanista. Múltipla e de múltiplos significados, os geógrafos desta tendê

Texto completo:

PDF ()


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2003v12n2p5

Direitos autorais 2010 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com