Topologia das Agências Bancárias da Região Metropolitana de Manaus

Fredson Bernardino Araújo da Silva, Kamila de Oliveira Craveira, Tatiana Schor

Resumo


A topologia das agências bancárias permitiu compreender a lógica territorial mais visível da questão bancária e do acesso ao crédito, além de pontuar a distribuição das agências como produto de uma razão corporativa na atuação no espaço. Portanto, o objetivo é discutir a topologia das agências bancárias na Região Metropolitana de Manaus (RMM). Para isso, identificou-se brevemente as centralidades da atividade financeira no contexto nacional, destacando os recursos tecnológicos voltados para a atuação presencial. Tomando como estudo de caso a RMM, procuramos analisar a distribuição da rede bancária, tendo as agências como fixos geográficos principais; e, a partir do que foi levantado em teoria e empiricamente, verificou-se a hipótese de que a lógica territorial da rede bancária regional está associada à metropolização do espaço. O que se obteve como resultado é que ocorre uma concentração da atividade bancária no interior da metrópole (núcleo metropolitano), havendo a formação de um eixo financeiro para atender uma fração da população mais rica de Manaus. No quadro regional, Manaus concentra cerca de 70% das agências bancárias, tendo Manacapuru (eixo sul) e Itacoatiara (eixo leste) como subcentros da rede no que se refere à espacialização desse dado.

Palavras-chave


Topologia; Agência bancária; Região Metropolitana de Manaus; Metropolização do espaço.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Caio Zarino Jorge. A topologia dos bancos de investimento no Brasil: primazia urbana e formação do complexo corporativo metropolitano de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

ALVES, Juliana A.; OLIVEIRA, José Aldemir de; MOURA, Luciana Karoline F. de. A rede bancária no Estado do Amazonas: algumas notas sobre sua distribuição espacial. Revista Geográfica de América Central, Heredia, v. 2, n. 47E, p. 1-15, 2011.

AMAZONAS. Plano Diretor Integrado da Região Metropolitana de Manaus (PDIRMM). Manaus: [s. l.], 2010.

BRASIL. Ministério da Infraestrutura. Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. Sistema Nacional de Viação (SNV). 2015. Disponível em: http://servicos.dnit.gov.br/vgeo. Acesso em: 18 fev. 2020.

BRASIL. Ministério da Justiça e Segurança Pública. Fundação Nacional do Índio. Terras indígenas – Shape. 2020. Disponível em: Shape (funai.gov.br). Acesso em: 18 fev. 2020.

CATAIA, Márcio A. As desigualdades e a tecnificação do território brasileiro. In: CARLOS, Ana Fani Alessandri (org.). Ensaios de Geografia contemporânea. São Paulo: Hucitec, 2001. p. 170-177.

CATAIA, Márcio A. Alienação dos territórios frente aos processos de globalização econômica. In: ENCUENTRO DE GEÓGRAFOS DE AMERICA LATINA, 9., Mérida. Anais [...]. Mérida: [s. n.], 2003. p. 1-7.

CONTEL, Fabio Betioli. Espaço geográfico, sistema bancário e a hipercapilaridade do crédito no Brasil. Caderno CRH, Salvador, v. 22, n. 55, p. 119-134, 2009.

CONTEL, Fabio Betioli. Território e finanças. Técnicas, normas e topologias bancárias no Brasil. São Paulo: Annablume, 2011.

CORRÊA, Roberto Lobato. Concentração bancária e os centros de gestão do território. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 51, n. 2, p. 17-32, 1989. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/115/rbg_1989_v51_n2.pdf. Acesso em: 18 fev. 2020.

CORRÊA, Roberto Lobato. Corporação, práticas espaciais e gestão do território. Anuário do IGeo, Rio de Janeiro, v. 15, p. 35-41, 1992. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/aigeo/article/view/5934. Acesso em: 21 abr. 2020.

CORRÊA, Roberto Lobato. O espaço urbano. São Paulo: Ática, 2002.

COSTA, Cláudio R. C. A distribuição espacial dos equipamentos financeiros nas cidades situadas no interior do estado do Amazonas. Manaus: Universidade Federal do Amazonas, 2017.

EHNERT, Alexandre Ricardo von. A região metropolitana de Manaus e as migrações pendulares. 2011. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

FRESCA, Tânia M. Rede urbana, rede bancária e aspectos da topologia do sistema financeiro. Geousp: Espaço e Tempo, São Paulo, v. 21, n. 2, p. 443-461, ago. 2017.

GUERIM, Thiago Gonçalves Marques. Território e regionalismo bancário: topologia e estratégica geoeconômica do Banestes/ES. 2017. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

HADDAD, Christian; HORNUF, Lars. The emergence of the global fintech market: economic and technological determinants. Small Business Economics, Dordrechtv, v. 53, p. 81–105, 2019.

IBGE. Regiões de influência das cidades: (REGIC). Rio de Janeiro: IBGE, 2007.

IBGE. Censo 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2010a. Disponível em: IBGE | Censo 2010. Acesso em: 18 fev. 2020.

IBGE. Malha municipal. Rio de Janeiro: IBGE, 2010b. Disponível em: Malha Municipal | IBGE. Acesso em: 18 fev. 2020.

IBGE. Gestão do território: 2014. Rio de Janeiro: IBGE, 2014. Disponível em: Gestão do Território | IBGE. Acesso em: 18 fev. 2020.

IBGE. Malha municipal. Rio de Janeiro: IBGE, 2017. Disponível em: Malha Municipal | IBGE. Acesso em: 18 fev. 2020.

IBGE. Malha territorial. Rio de Janeiro: IBGE, 2018a. Disponível: Malhas territoriais | IBGE. Acesso em: 18 fev. 2020.

IBGE. Regiões de influência das cidades (REGIC). Rio de Janeiro: IBGE, 2018b.

IBGE. Amazonas: unidades da Federação. Rio de Janeiro: IBGE, 2018c. Disponível: https://geoftp.ibge.gov.br/organizacao_do_territorio/malhas_territoriais/malhas_municipais/municipio_2010/am/am_unidades_da_federacao.zip. Acesso em: 18 fev. 2020.

IBGE. Regiões de influência das cidades (REGIC): resultados definitivos. 2019. Disponível em: Index of /organizacao_do_territorio/divisao_regional/regioes_de_influencia_das_cidades/Regioes_de_influencia_das_cidades_2018_Resultados_definitivos/base_vetorial (ibge.gov.br). Acesso em: 18 fev. 2020.

LIMA, Marcos Castro de. Quando o amanhã vem ontem: a institucionalização da região metropolitana de Manaus e a indução ao processo de metropolização do espaço na Amazônia ocidental. 2014. Tese (Doutorado em Geografia Humana) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

MONTENEGRO, Marina; CONTEL, Fabio B. Financeirização do território e novos nexos entre pobreza e consumo na metrópole de São Paulo. Eure, Santiago de Chile, v. 43, n. 130, p. 115-139, sept. 2017.

NOGUEIRA, Ricardo J. B. Amazonas: a divisão da “monstruosidade geográfica”. Manaus: Edua, 2007.

OLIVEIRA, Juliana S. de. O paradigma técnico bancário no século XXI: a rede de atendimento híbrida e as estratégias dos bancos na cidade de Campinas/SP. 2019. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2019.

ROBBINS, Eric. Location, location, location: has electronic banking affected the importance of bank location? Financial Industry, Pespectives, Kansas, p.1-12, Sept. 2006.

SANTOS, Fábio Brito dos. Topologia bancária e economia do setor público: a atuação do Banco do Brasil em Alagoas e a importância das folhas de pagamento das prefeituras. 2018. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

SANTOS, Milton. Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-científico-informacional. São Paulo: Hucitec, 1994.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Edusp, 2006.

SANTOS, Milton. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. São Paulo: Edusp, 2008.

SILVA, Fredson Bernardino Araújo da. Metropolização do espaço na Amazônia Ocidental: discurso no contexto da Região Metropolitana de Manaus. In: ENANPEGE, 1., 2019, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: [s. n.], 2019. p. 1-12. Disponível em: https://www.enanpege2019.anpege.ggf.br/resources/anais/8/1562523770_ARQUIVO_ENANPEGE_discurso_RMM1.pdf. Acesso em: 18 fev. 2020.

SILVEIRA, María Laura. Finanças, consumo e circuitos da economia urbana na cidade de São Paulo. Caderno CRH, Salvador, v. 22, n. 55, p. 65-76, 2009. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-49792009000100004. Acesso em: 18 fev. 2020.

SOUSA, Isaac. A ponte Rio Negro e a Região Metropolitana de Manaus: adequações no espaço urbano-regional à reprodução do capital. 2013. Tese (Doutorado em Geografia Humana) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

SOUZA, Crizam G. Produção da moradia social na cidade de Parintins-AM: da Cohab-AM ao Minha casa minha vida – 1969 a 2017. 2018. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Instituto de Filosofia, Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2018.

WARF, Barney. Digitalização, globalização e capital financeiro hipermóvel. GEOUSP: Espaço e Tempo, São Paulo, v. 21, n. 2, p. 397-406, out. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2022v31n1p137

Direitos autorais 2021 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com