Câmbio e Exportações de Santa Catarina: observações a partir do Plano Real (1994-2018)

Gislene Daiana Martins, Isa de Oliveira Rocha

Resumo


O artigo analisa a relação entre as taxas médias cambiais anuais e o volume das receitas anuais obtidas por meio das exportações do Estado de Santa Catarina a partir do Plano Real, período de 1994 até 2018. Para tanto utilizou-se pesquisa exploratória e descritiva com abordagem quantitativa realizada por meio de análise documental dos dados relativos às exportações catarinenses no recorte temporal em questão, os quais foram obtidos no portal do Ministério da Economia, Indústria, Comércio Exterior e Serviços – MIDIC, além dos dados das taxas de câmbio do referido período, obtidos no portal do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Verificou-se neste período analisado (1994-2018) que as diferentes gestões políticas em âmbito nacional desencadearam mudanças de fatores internos como políticas fiscais, monetárias e cambiais, influenciadas também por pressões externas, como as advindas dos organismos de Bretton Woods e das crises financeiras internacionais. No tocante ao comportamento das exportações, observou-se um aumento das receitas provenientes de produtos com baixo valor agregado em detrimento dos produtos de alto valor agregado, o que leva ao entendimento que estejam ocorrendo mudanças no parque fabril catarinense, cujas análises requerem estudos empíricos mais aprofundados.

Palavras-chave


Taxas de câmbio; Exportações; Santa Catarina.

Texto completo:

PDF

Referências


APEX BRASIL. Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos. Perfil exportador do Estado de Santa Catarina 2010. Brasília, DF, 2011. Disponível em www.apexbrasil.com.br/inteligenciaMercado/Downloads?cat=26 Acesso em 26 mar. 2019.

ALENCAR, JOSÉ JONHSON ALVES et al. Análise da condição de marshall-lerner e da curva j por categorias de uso no Brasil. 2014. 34 p. Monografia. Pós-Graduação em Economia (CAEN), Universidade Federal Do Ceará, Fortaleza, 2014. Disponível em: Acesso em 26 mar. 2019.

BCB. Banco Central do Brasil. Taxa de Câmbio. Disponível em: < https://www.bcb.gov.br/acessoinformacao/legado?url=https:%2F%2Fwww.bcb.gov.br%2Fpre%2Fbc_atende%2Fport%2FtaxCam.asp> Acesso em 11 mar. 2019.

BARENHO, Rodrigo Cruvinel. Política comercial do Governo Lula da Silva (2003-2010): preferências dos atores, condicionantes políticos e econômicos e desempenho,2017. Disponível em: Acesso em 26 jun. 2019.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Novo desenvolvimentismo e ortodoxia convencional. Globalização, Estado e desenvolvimento: dilemas do Brasil no novo milênio, p. 63-96, 2007. Disponível em: < https://pesquisa-eaesp.fgv.br/sites/gvpesquisa.fgv.br/files/arquivos/bresser_-_novo_desenvolvimento_e_a_ortodoxia.pdf> Acesso em 14 jun. 2019.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Rangel: ciclos longos e dualidade. 2012. Disponível em: < https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/9971/TD%20318%20-%20Luiz%20Carlos%20Bresser%20Pereira.pdf>

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. O governo Dilma frente ao" tripé macroeconômico" e à direita liberal e dependente. Novos estudos CEBRAP, n. 95, p. 5-15, 2013. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/nec/n95/01.pdf> Acesso em 14 jun. 2019.

CARCANHOLO, Marcelo et al. Crise Financeira Internacional-natureza e impacto. Ilegitimidade da Dívida Pública: quem deve a quem, p. 197-234, 2008. Disponível em: < http://biblioteca.pacs.org.br/wp-content/uploads/2016/11/PUB_RW-FB_2007_001.pdf> Acesso em 14 jun. 2019.

CARVALHO, Maria Auxiliadora de; SILVA, César Roberto Leite da. Mudanças na pauta das exportações agrícolas brasileiras. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 46, n. 1, p. 53-73, 2008. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/resr/v46n1/a03v46n1.pdf> Acesso em 14 jun. 2019.

CLICKRBS. Disponível em: < http://clicrbs.com.br/pdf/1471626.pdf> Acesso em 22 mar. 2019.

DIEESE. Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. O câmbio e suas influências na economia. 2006. Disponível em: Acesso em 26 jun. 2019.

DWECK, Esther; TEIXEIRA, Rodrigo Alves. A política fiscal do governo Dilma e a crise econômica. Campinas: IE/Unicamp. Disponível em: http://www. eco. unicamp. br/docprod/downarq. php, 2017. Acesso em 12 jun. 2019.

ESPÍNDOLA, Carlos José. O impacto geoeconômico da reestruturação tecnico-econômica nas estruturas produtivas catarinenses. Formação (Online), v. 25, n. 44, 2018. Disponível em: Acesso em 14 jun. 2019.

FIESC. Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina. Análise do Comércio Internacional Catarinense. 2014. Disponível em: < www2.fiescnet.com.br/web/recursos/VUVSR05EWXlPQT09 > Acesso em 22 mar. 2019.

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. O que é? FOB. Disponível em: Acesso em 26 jun. 2019.

IPEADATA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Taxa de Câmbio Nominal. Disponível em: Acesso em 22 mar. 2019.

MAMIGONIAN, Armen. O Mundo no final do século XX e início do século XXI. Boletim Paulista de Geografia, n. 100, p. 173-205, 2018. Disponível em: < file:///C:/Users/Antonio/Downloads/1505-3882-1-PB%20(3).pdf> Acesso em 14 jun. 2019.

MARCONI, Nelson; ARAÚJO, Eliane. Cristina; OREIRO, José. Luis. Taxa de câmbio, elasticidades-renda e mudança estrutural: fundamentos teóricos e evidências empíricas. 2015. Disponível em: < https://cnd.fgv.br/sites/cnd.fgv.br/files/TAXA%20DE%20CA%CC%82MBIO%2C%20ELASTICIDADES-RENDA%20E%20MUDANC%CC%A7A%20ESTRUTURAL_0.pdf> Acesso em 14 jun. 2019.

MIDIC. Ministério da Economia, Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Disponível em: < http://www.mdic.gov.br/> Acesso em 14 mar. 2019.

MORAIS, Lecio; SAAD-FILHO, Alfredo. Da economia política à política econômica: o novo-desenvolvimentismo e o governo Lula. Brazilian Journal of Political Economy, v. 31, n. 4, p. 507-527, 2011. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rep/v31n4/01.pdf> Acesso em 14 jun. 2019.

MORTATTI, Caio Marcos; MIRANDA, Sílvia Helena Galvão de; BACCHI, Mirian Rumenos Piedade. Determinantes do comércio Brasil-China de commodities e produtos industriais: uma aplicação VECM. Economia Aplicada, v. 15, n. 2, p. 311-335, 2011. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/ecoa/v15n2/v15n2a07.pdf> Acesso em 14 jun. 2019.

PRATES, Daniela M.; FRITZ, Barbara; DE PAULA, Luiz Fernando. O desenvolvimentismo pode ser culpado pela crise? Uma classificação das políticas econômica e social dos governos do PT ao governo Temer, 2018. Disponível em: Acesso em 26 mar. 2019.

RANGEL, Ignacio. Obras reunidas. Rio de Janeiro: Contraponto, 2005.

REZENDE, Ricardo Pazzotti et al. Uma análise das políticas macroeconômicas do governo FHC, governo LULA. 2009. Disponível em: Acesso em 12 jun. 2019.

ROCHA, Isa de Oliveira. O dinamismo industrial e exportador de Santa Catarina. 2004. 418p. Tese (Doutorado em Geografia). Programa de Pós-graduação em Geografia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2021v30n1p167

Direitos autorais 2020 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com