A Cafeicultura no Sul de Minas e em Nepomuceno-MG entre as Décadas de 1950 e 1990

Lucas Guedes Vilas Boas

Resumo


A cafeicultura ganhou destaque na economia do Sul de Minas Gerais no século XIX. Na primeira metade do século XX tornou-se a atividade econômica de maior relevância em muitos municípios sul-mineiros. Considerando a importância do setor cafeeiro para a região Sul de Minas e o município de Nepomuceno, o artigo discute os principais elementos de sua cafeicultura entre as décadas de 1950 e 1990. Os procedimentos metodológicos adotados foram a pesquisa bibliográfica e a análise documental. Entre os decênios de 1950 e 1980, o Estado brasileiro, por intermédio de diversos órgãos, incentivou a modernização da cafeicultura sul-mineira, a adesão ao pacote tecnológico oriundo da Revolução Verde, a substituição dos cafezais pouco produtivos e a fundação de cooperativas privadas. Especialmente a partir do fim dos anos 1980 e início da década de 1990, as políticas neoliberais chegaram à cafeicultura e o papel estatal no setor foi diminuído. As cooperativas privadas passaram a desempenhar a função antes exercida pelo Estado. Destarte, houve aumento da volatilidade dos preços venais do café, prejudicando principalmente os pequenos cafeicultores.

Palavras-chave


Cafeicultura; Sul de Minas; Nepomuceno-MG.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, R. G. R. A Expansão da Cafeicultura em Minas Gerais: Da Intervenção do Estado A Liberalização do Mercado. 1994. 164 f. Dissertação (Mestrado em Economia) - Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1994.

ARAÚJO FILHO, J. R. O café, riqueza paulista. Boletim Paulista de Geografia, São Paulo, n. 68, p. 51-124, 1992.

BARONE, M. Circuito Espacial Produtivo e Círculos de Cooperação dos Cafés Especiais: Possibilidades e Limites do Salto de Escala das Cooperativas de Café do Sul de Minas Gerais. In: XII ENCONTRO NACIONAL DA ANPEGE, XII, 2017, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: ANPEGE, 2017. p. 13970-13982.

BROGGIO, C. ; DROULERS, M. ; GRANDJEAN, P. A Dinâmica Territorial da Cafeicultura Brasileira – Dois Sistemas de Produção em Minas Gerais. Revista TERRITÓRIO, Rio de Janeiro, v. 04, n. 06, p. 73-91, 1999.

CARVALHO, E. T. Fluidez Territorial e Logística da Produção Cafeeira no Sul de Minas. 2013. 90 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.

CASTILHO, F. F. A. Entre a locomotiva e o fiel da balança: a transição da mão de obra no Sul de Minas (1870-1918). 2009. 177 f. Dissertação (Mestrado em História) - Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2009.

COELHO, A. J. E. Sul de Minas – Excelência em Café. Varginha: Edições Alba, 2012.

COOPERATIVA REGIONAL DOS CAFEICULTORES EM GUAXUPÉ - COOXUPÉ. Preço Médio das Sacas de Café Vendidas na Cooxupé em US$. Cooxupé, 2018. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2019.

COULIS, J. E. Rooted in Coffee – Deregulation, Economic Crisis and Restructuring Power in the Brazilian Coffee Sector: How Small-Scale Coffee Producers Responded to the Coffee Crisis in Sul de Minas. 2011. 140 f. Dissertação (Mestrado em História) - Departamento de História, Universidade de Guelph, Ontario, Canadá, 2011.

DELFIM NETTO, A. O problema do café no Brasil. 3. ed. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

FREDERICO, S. Expansão da fronteira agrícola moderna e consolidação da cafeicultura científica globalizada no Oeste da Bahia. Boletim Campineiro de Geografia, Campinas, v. 02, n. 02, p. 279-302, 2012.

FREDERICO, S. Lógica das commodities, finanças e cafeicultura. Boletim Campineiro de Geografia, Campinas, v. 03, n. 01, p. 97-116, 2013.

FREDERICO, S. Globalização, competitividade e regionalização: a cafeicultura científica globalizada no território brasileiro. GeoUSP – Espaço e Tempo, São Paulo, v. 18, n. 01, p. 55-70, 2014.

FREDERICO, S. Território e cafeicultura no Brasil: uma proposta de periodização. GeoUSP – Espaço e Tempo, São Paulo, v. 21, n. 01, p. 73-101, 2017.

HARVEY, D. O Enigma do Capital e as crises do capitalismo. Tradução de João Alexandre Peschanski. São Paulo: Editora Boitempo, 2011.

HARVEY, D. Os Limites do Capital. Tradução de Magda Lopes. São Paulo: Editora Boitempo, 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Enciclopédia dos Municípios Brasileiros – XXVI Volume. Rio de Janeiro: IBGE, 1959.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. A Geografia do Café. Rio de Janeiro: IBGE/Coordenação de Geografia, 2016.

MARX, K. O Capital (Crítica da Economia Política) – Livro 3 - O Processo Global de Produção Capitalista. Volume VI. Tradução de Moacyr Félix. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira. 1983, p. 705-1079.

MARX, K. O Capital (Crítica da Economia Política) – Volume I. Tomo II. Tradução de Régis Barbosa e Flávio R. Koethe. São Paulo: Editora Abril Cultural, 1984.

MARX, K. Manuscritos Econômico-Filosóficos. Tradução de Alex Marins. São Paulo: Editora Martin Claret. 2006.

MERGULHÃO, A. D. Os Fluxos, as Relações e os Agentes Envolvidos na Produção e Comercialização do Café Produzido Atualmente no Brasil. Revista da Anpege, v. 13, n. 22, p. 57-85, 2017.

OLIVEIRA, A. U. Modo Capitalista de Produção, Agricultura e Reforma Agrária. 1. ed. São Paulo: FFLCH/ Labur Edições, 2007.

PELEGRINI, D. F. ; SIMÕES, J. C. Desempenho e Problemas da Cafeicultura no Estado de Minas Gerais: 1934 a 2009. Campo-Território, Uberlândia, v. 06, n. 12, p. 183-199, 2011.

PORTO-GONÇALVES, C. W. A nova questão agrária e a reinvenção do campesinato: o caso do MST. Geografias, Belo Horizonte, v. 01, n. 01, p. 07-25, 2005.

RICE, R. Coffee Production in a Time of Crisis: Social and Environmental Connections. SAIS Review, v. 23, n. 01, p. 221-245, 2003.

ROLLO, M. A. P. As Novas Dinâmicas do Território Brasileiro no Período Técnico-Científico-Informacional: O Circuito Espacial de Produção do Café e Respectivo Círculo de Cooperação no Sul de Minas. 2009. 128 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2009.

SOUZA, M. C. M. Cafés Sustentáveis e Denominação de Origem: A Certificação de Qualidade na Diferenciação de Cafés Orgânicos, Sombreados e Solidários. 2006. 192 f. Tese (Doutorado em Ciência Ambiental) - Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

VACA, S. T. A Aurora de Nepomuceno – Terceira Parte. Revista de Aniversário – Folha Independente em Revista, Nepomuceno. v. 09, n. 16, 2015.

VALE, A. R. ; CALDERARO, R. A. P. ; FAGUNDES, F. N. A Cafeicultura em Minas Gerais: Estudo Comparativo entre as Regiões Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba e Sul/Sudoeste. Campo-Território, Uberlândia, v. 09, n. 18, p. 01-23, 2014.

VILAS BOAS, L. G. Segurança Alimentar e Relações Capitalistas no Campo e na Cidade: O Exemplo de Nepomuceno-MG. 2016a. 233 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2016a.

VILAS BOAS, L. G. Renda da Terra Agrícola em Nepomuceno-MG. Sociedade e Território, Natal, v. 28, n. 01, p. 48-69, 2016b.

VILAS BOAS, L. G. A Questão Agrária no Município de Nepomuceno-MG. Campo-Território, Uberlândia, v. 11, n. 24, p. 344-373, 2016c.

WATSON, K. ; ACHINELLI, M. L. Context and contingency: the coffee crisis for conventional small-scale coffee farmers in Brazil. The Geographical Journal, Royal Geographical Society, v. 174, n. 03, p. 223-234, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2021v30n1p129

Direitos autorais 2020 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com