Trajetórias Migratórias na Voz dos Sujeitos, Trabalhadores do Setor Sucroalcooleiro em Ituiutaba, Minas Gerais

Daniel Féo Castro Araújo, Fernando Luiz Araújo Sobrinho

Resumo


O objetivo deste artigo é compreender a realidade dos (as) trabalhadores nordestinos no município de Ituiutaba (MG), para isto a análise se volta para a abordagem das trajetórias migratórias dos canavieiros. Nesse contexto, as narrativas deles foram fundamentais ao permitir reconstituir motivações, causas e desdobramentos. A partir da coleta de histórias de vida através de entrevistas e do uso da oralidade como ferramenta metodológica se entende como os relatos são essenciais para a compreensão desta modalidade migratória. Para alcançar os resultados desta pesquisa foi utilizada uma metodologia qualitativa composta por levantamento bibliográfico inerente ao tema e entrevistas semiestruturadas com trabalhadores migrantes nordestinos residentes no município de Ituiutaba, Minas Gerais. Destaca-se que as entrevistas bem como a identificação dos sujeitos e o uso de suas falas foi autorizado através de assinatura de termo de consentimento. A maioria dos entrevistados ocupa direta e indiretamente postos de trabalhos relacionados ao setor sucroalcooleiro. Como um dos principais resultados da pesquisa, foi possível constatar atributos e características da origem, as motivações para o engajamento no movimento migratório, redes geográficas envolvendo diversas localidades de origem e destino, bem como contatos sociais que viabilizaram as migrações, e as intenções e perspectivas para o futuro dos migrantes nordestinos residentes em Ituiutaba, Minas Gerais.

Palavras-chave


Migrantes; Nordestinos; Realidade; Ituiutaba.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah – Origens do Totalitarismo, 2ª Edição, São Paulo, Companhia das Letras, 2007.

BACCARIN, J. G. A constituição da nova regulamentação sucroalcooleira. São Paulo: Ed. UNESP ? Brasília, DF: Ed. UnB, 2002. (Cadernos do Cean, 22).

BECKER, Olga M. S. Mobilidade espacial da população: conceitos, tipologia, contextos. In: CASTRO, Iná E. et al. (Org.). Explorações geográficas: percursos no fim do século. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006. p. 320 – 367.

BOSI, Eclea. Memória e sociedade: lembranças de velhos . 14.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

BRANDÃO, C. A. Triângulo Mineiro: capital comercial, geopolítica e agroindústria.1989. 183 f. Dissertação. (Mestrado em Ciências Econômicas) – Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1989.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Identidade e etnia: construção da pessoa e resistência cultural. São Paulo: Brasiliense, 1986.

CARDOSO, Haroldo Junior Martins. Análise da mobilidade populacional entre os municípios de Carmo do Rio Claro – MG e Santaluz – BA. 2014. Disponível em: . Aceso em: 13 dez. 2014.

CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. Petrópolis: Vozes, 1998.

CASTELL, M. O poder da identidade: a era da informação: economia, sociedade e cultura. Tradução Gerhardt Klaussb. São Paulo: Paz e Terra, 1999. v. 2.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes

D’INCAO M. C. A questão do boia-fria. São Paulo: Brasiliense, 1984.

DELGADO, G. C. Do Capital Financeiro na Agricultura à Economia do Agronegócio: Mudanças Cíclicas em Meio Século: (1965-2012). 1a. ed. Porto Alegre- RS: Editora da UFRGS, 2012. v. 01. 142p.

DURHAM, Eunice. A caminho da cidade. A vida rural e a migração para São Paulo. São Paulo: Perspectiva, 1984.

ELIAS, D. Agronegócio e novas regionalizações no Brasil. R. B. Estudos Urbanos e Regionais. V. 13, N. 2, 2011. https://doi.org/10.22296/2317-1529.2011v13n2p153

ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1994.

FABRINI, João Edmilson. A posse da terra e o sem-terra no sul do Mato Grosso do Sul: o caso Itaquiraí. 1996. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Presidente.

FABRINI, João Edmilson. A posse da terra e o sem-terra no sul do Mato Grosso do Sul: o caso Itaquiraí. 1996. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Presidente.

FONSECA, R. G.; SANTOS, J.C.. Os Recentes Processos Migratórios em Ituiutaba (MG) e a Inserção Das Agroindústrias Canavieiras. Caderno Prudentino de Geografia, Presidente Prudente, v. 1, n. 33, p.24-49, jul. 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2020

G1 TRIÂNGULO MINEIRO. Usina em Canápolis é arrematada em leilão por mais de R$ 133 milhões. 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2020.

G1 TRIÂNGULO MINEIRO. Usina em MG é arrematada por mais de R$ 206 milhões em leilão. 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2020.

GUILLEN, Isabel C. M. Seca e migração no Nordeste: reflexões sobre o processo de banalização de sua dimensão histórica. In: Helenilda Cavalcanti; Joanildo Burity. (Org.). Polifonia da miséria: uma construção de novos olhares. Recife: Editora Massangana, 2002.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Organização Liv Sovik. Belo Horizonte: Ed.UFMG; Brasília: Representação da UNESCO no Brasil, 2003.

IBGE, Censo Agropecuário 2006. Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/ituiutaba/pesquisa/24/76693?ano=2006>. Acesso em 20 fev. 2020.

IBGE, Censo Agropecuário 2017 - Resultados preliminares. Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/ituiutaba/pesquisa/24/76693>. Acesso em 20 fev. 2020.

LAGO, Paulo César. Participação Popular e Reforma Urbana: da Constituinte ao Estatuto da Cidade. Dissertação de Mestrado em Direito Político e Econômico. Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2010

MACHADO, Carlos. O migrante. 2008. Documentário. Disponível: Acesso em: 10 abr. 2019.

MARTINS, Dora; VANALLI, Sônia. Migrantes. São Paulo: Contexto, 1994.

MARTINS, J. S. O cativeiro da terra. São Paulo: Ciências Humanas, 1979.

MARTINS, José de Souza. A sociedade vista do abismo: novos estudos sobre exclusão, pobreza e classes sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

MARTINS, José de Souza. Capitalismo e tradicionalismo: estudos sobre as contradições da sociedade agrária no Brasil. São Paulo: Pioneira, 1975.

MASSEY, Douglas et al. Social structure, household strategies, and cumulative causation of migration. Population and Development Review, [s.n.], 1990, 128 p.

MATOS, Patrícia F. As tramas do agronegócio nas “terras” do Sudeste Goiano. 2011. 355 f. Tese (Doutorado em Geografia), Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2011.

MATOS, R.; BRAGA, F. Redes geográficas, redes sociais e movimentos da população no espaço. In: MATOS, R. E. da S. (Org.) Espacialidades em rede: população, urbanização e migração no Brasil contemporâneo. Belo Horizonte: C/Arte, 2005. p. 111-154.

MENDES, José Manuel Oliveira. O. O desafio das identidades. In: SOUSA SANTOS, Boaventura de (Org.). A globalização e as ciências sociais. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2005. p. 503-540.

MENDONÇA, Marcelo Rodrigues. A urdidura espacial do capital e do trabalho no cerrado do Sudeste goiano. 2004. 448 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, UNESP, Presidente Prudente, 2004.

MENDONÇA, Maria Luisa; PITTA, Fábio T; XAVIER, Carlos Vinicius. A agroindústria canavieira e a crise econômica mundial. In: Relatório da Rede Social de Justiça e Direitos Humanos. São Paulo: Outras expressões, 2012.

MENEZES, Marilda Aparecida de. Da Paraíba prá São Paulo e de São Paulo prá Paraíba: migração, família e reprodução da força de trabalho. 1985. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal da Paraíba, Campina Grande,1985.

MENEZES, Marilda Aparecida de. Da Paraíba prá São Paulo e de São Paulo prá Paraíba: migração, família e reprodução da força-de-trabalho. 1985. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal da Paraíba, Campina Grande,1985.

MORAES, M. A. F. D. Desregulamentação da agroindústria canavieira: novas formas de atuação do estado e desafios do setor privado. In: SHIKIDA, P. F. A. (Org.) Agroindústria canavieira no Brasil: evolução, desenvolvimento e desafios. São Paulo: Atlas, 2002. Cap. 1, p. 2141.

MUÑOZ, H.; OLIVEIRA, O. de. A migração interna na América Latina: exposição e crítica sobre algumas análises. Trad. Hélio A. de Moura. In: BANCO DO NORDESTE DO BRASIL. Migrações internas. Fortaleza: BNB, v.1, p. 577-609, 1980. (Original espanhol).

PEIXOTO, J. As teorias explicativas das migrações: teorias micro e macro-sociológicas. Socius Working Papers n.11. Centro de Investigação em Sociologia Econômica das Organizações (SOCIUS), Instituto Superior de Economia e Gestão, Universidade Técnica de Lisboa. Lisboa, 2004.

PESSOA, Vera Lucia Salazar. Ação do estado e as transformações agrarias no Cerrado das Zonas de Paracatu e Alto Paranaíba - MG. Rio Claro: IGCE - UNESP, 1988.

RAMOS, N. P.; LUCHIARI JR., A. Cana-de-açúcar – Setor Sucroalcooleiro. 2008. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Disponível em:

http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/cana-de-acucar/arvore/CONT1.html. Acesso em 21/03/2020.

RIBEIRO, Hidelberto de Sousa.O Migrante e a cidade: dilemas e conflitos. 2000. Tese (Doutorado em Sociologia). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - Departamento de Sociologia. Araraquara: UNESP, 2000.

SILVA, Armando Corrêa da. O espaço fora do lugar. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 1988.

SILVA, Dalva M. De O. Memória: Lembrança e Esquecimento. Trabalhadores Nordestinos no Pontal do Triângulo Mineiro. (Décadas de 1950 e 1960) Dissertação de Mestrado: PUC. São Paulo, 1997.

SILVA, Dalva. M. de O. Memória: lembrança e esquecimento: trabalhadores nordestinos no Pontal do Triângulo Mineiro nas décadas de 1950 e 1960. Dissertação (Mestrado em Historia) - São Paulo, PUC-SP, 1997.

SILVA, J.G. A nova dinâmica da agricultura brasileira. Campinas: Ed UNICAMP, 1996.

SILVA, L.C. S.; SANTOS, J. C.. A cana-de-açúcar e o trabalho precário nas agroindústrias canavieiras da microrregião geográfica de Ituiutaba (MG). VI Congresso Ibero americano de Estudios Territoriales y Ambientales, São Paulo, p. 2169-2188, set. 2014. Disponível em: < https://docplayer.com.br/35964172-A-cana-de-acucar-e-o-trabalho-precario-nas- agroindustrias-canavieiras-da-microrregiao-geografica-de-ituiutaba-mg.html >. Acesso em: 05 mar. 2020.

SILVA, Maria Aparecida de Moraes. Errantes do Fim do Século. São Paulo: Ed. da UNESP, 1999.

SILVA, Maria Aparecida de Moraes; MENEZES, Marilda Aparecida de. Em busca do passado para reconhecer o presente. Disponível em: . Acesso em: 01 abr. 2020.

SILVA, Maria Aparecida Moraes. As andorinhas nem cá, nem lá: recursos visuais na pesquisa social. Caderno Ceru, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 29-45, 1988.

SILVA, Maria Aparecida Moraes. Contribuições metodológicas para análise das migrações. In: HEIDEMANN, Heinz Dieter; SILVA, Antonio da Silva. Migração: nação, lugar e dinâmicas territoriais. São Paulo: Associação Editorial Humanitas, 2007, p 67-78.

SILVA, Maria Aparecida Moraes. Trabalho e trabalhadores na região do mar de cana e rio de álcool. Encontro Trabalhadores Canavieiros: Educação, Direito, Trabalho. São Carlos, UFSCar, 2005.DOI: https://doi.org/10.11606/issn.1808-1150.v0i2p2-39.

SILVA, S. C.; SANTOS, J. C. A Mão de Obra temporária migrante empregada nas agroindústrias canavieiras no município de Ituiutaba-MG e seus impactos no comércio local. Horizonte Científico, Uberlândia, v. 9, n. 2, p.1-20, dez. 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2020.

SINGER, PAUL, Migrações internas: considerações teóricas sobre o seu estudo,1976, in Migração Interna, Textos Selecionados, tomo I, coordenador, MOURA, HÉLIO; Fortaleza, Banco do Nordeste, 1980.

THOMAZ JÚNIOR, A. O agrohidronegócio no Centro das Disputas Territoriais e de Classe no Brasil do Século XXI. Campo - Território, v. 5, p. 92-122, 2010.

MATOS, P. F.. Fundamentos teóricos metodológicos para compreensão da modernização da agricultura no Cerrado. Campo - Território, v. 2, p. 1-13-13, 2014.

WEIL, S. O desenraizamento operário. Em A condição operária e outros estudos sobre a opressão. Antologia organizada por Ecléa Bosi. 2.ed.ver. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1996, pp. 413-440.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2021v30n1p185

Direitos autorais 2020 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com