Avaliação das vertentes da bacia do igarapé Belmont, Porto Velho - RO

Salem Leandro Moura dos Santos, Maria Madalena Ferreira

Resumo


Este artigo é fruto de uma pesquisa que teve como objetivo principal analisar o relevo das vertentes do igarapé Belmont, utilizando a metodologia de Análise Integral da Paisagem, proposto por André Libault (1971). A bacia do Igarapé Belmont é um afluente direto do rio Madeira. Possui sua foz a jusante da mancha urbana da cidade de Porto Velho. Seus principais formadores de cabeceira encontram-se localizados em área urbanizada consolidada e estão modificados por terraplanagem para expansão urbana, assoreamento por depósito de entulhos e lixo doméstico, entre outros usos. No sentido da sua foz, está ocorrendo intenso desmatamento para instalação de loteamentos semi-rurais e de grandes condomínios de classe média, causado pela ausência de um plano diretor municipal para orientar um melhor crescimento urbano desta área. Foi possível também verificar que as vertentes são estáveis em relação à erosão e declividade do terreno, havendo poucas perturbações naturais com excesso de assoreamento de cabeceiras que favoreçam o colapso do sistema hídrico do igarapé.


Palavras-chave


Igarapé Belmont, Bacia Hidrográfica, Vertentes, Expansão Urbana, Porto Velho.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2010v19n2p85

Direitos autorais 2010 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com