Interpretações morfoestruturais da drenagem da bacia hidrográfica do Rio do Peixe - Minas Gerais

Isabela Belmira Santos Giarola

Resumo


A morfometria é fundamental para o entendimento da dinâmica ambiental de uma determinada área. A análise morfométrica e morfológica em bacias hidrográficas visa o compreendimento do modelado do relevo e da dinâmica fluvial local e regional. Através da aplicação de parâmetros morfométricos pode-se avaliar quantitativamente o comportamento das bacias hidrográficas. A bacia hidrográfica do rio do Peixe, situada no sudeste do Estado de Minas Gerais, apresenta especificidades morfométricas quando comparada às áreas circunvizinhas. Com o intuito de investigar as características morfométricas da bacia supracitada, este trabalho tem como objetivo correlacionar dados obtidos a partir de perfis longitudinais e do índice de Relação Declividade x Extensão (RDE) para identificação de áreas anômalas das sub-bacias da bacia hidrográfica do rio do Peixe. Foram selecionados vinte canais fluviais de 5ª, 6ª, 7ª e 8ª ordem e, ao todo, foram encontradas 126 anomalias nesses canais, indicando que eles possuem padrão geomorfológico incomum. Essa configuração auxilia na explicação das diferenças altimétricas e leva a considerar a desnudação diferencial e a ação neotectônica como elementos essenciais na compreensão do relevo desta bacia.

Palavras-chave


Morfometria; Geomorfologia; Relação declividade x extensão.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2018v27n2p131

Direitos autorais 2018 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com