Mudanças climáticas e movimentos sociais do campo

João Vitor Gobis Verges, João Osvaldo Rodrigues Nunes

Resumo


As mudanças climáticas têm se colocado como temática importante da pauta política de inúmeros países. A partir das necessidades deste contexto, torna-se preciso compreender as diferentes alocações no assunto provindas de múltiplos atores em sociedade, buscando contribuir com a delimitação de ações públicas menos excludentes. Por este viés, objetivou-se com este trabalho evidenciar os contornos propositivos e combativos dispostos por movimentos sociais do campo sobre a temática “mudanças climáticas”. Para isto, utilizou-se do aporte dialético para a análise de informações obtidas através de entrevistas com movimentos sociais, levantamento de dados em publicações científicas, mídias, preleções e informativos. Foram tomados como parâmetros três movimentos sociais significativos em escalas internacional e nacional, sendo eles: La Via Campesina; Movimento de Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST); Movimento de Mulheres Camponesas (MMC). Concluí-se que tais agentes sociais se colocam como importantes atores na temática, com proposições definidas e diferenciadas das abordagens provindas dos principais protocolos globais. Desse modo, a não conjugação de suas indicações pode gerar marginalização e processos de exclusão nas formatações de agendas específicas sobre o tema.

Palavras-chave


Políticas públicas ambientais; Territorialidades; Inserções sociais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2018v27n2p29

Direitos autorais 2018 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com