Evasões em assentamentos da reforma agrária no estado do Paraná

Alberto Alves da Rocha, Selestina Silvia Hatsumi Ichikawa

Resumo


Este trabalho tem sua origem na necessidade de compreensão sobre o processo da evasão nos lotes nos projetos de assentamentos rurais criados pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) no Estado do Paraná. Após a conquista da terra, embora não seja recente no estado e muito menos no Brasil, a evasão é vista pela sociedade como uma parte comum de seletividade na reforma agrária. A pesquisa foi realizada entre 2008 a 2010, em 35 assentamentos rurais do Paraná, com capacidade para 2.100 famílias assentadas e destas descobriu-se que 798 famílias negociaram os lotes que receberam no programa da reforma agrária. Os motivos relatados para evasão são muitos, que mudaram a vida de toda uma família. É possível verificar que a negociação do lote para o assentado, no momento, pode parecer uma boa oportunidade, mas se revela uma perda. Os resultados mostram que a mulher demonstra um sentimento maior de perda quando a família se desfaz do lote, que o seu relacionamento com a terra está além de só um espaço para cultivar, é também um espaço para manter a família unida.


Palavras-chave


Reforma Agrária. Evasão. Assentamentos. Assentados

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2013v22n3p107

Direitos autorais 2014 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com