GEOGRAFIA, GEOTECNOLOGIAS E PLANEJAMENTO AMBIENTAL

Cláudia Sabóia Aquino, Gustavo Souza Valladares Souza Valladares

Resumo


O presente trabalho, fundamentado em revisão de literatura, aborda a relação existente entre Geografia e geotecnologias Sensoriamento Remoto e os Sistemas de Informação Geográfica (SIG), bem como o emprego destas na realização de estudos voltados para o planejamento ambiental. Considerando-se os problemas ambientais, especialmente de ordem climática do Nordeste brasileiro, foi realizado levantamento de alguns estudos nesta região, com o emprego das geotecnologias já citadas, objetivando o planejamento ambiental. Tendo-se em vista que o Nordeste abriga um dos maiores núcleos de desertificação do País – o Núcleo de Gilbués, foram também levantados e indicados alguns trabalhos realizados naquela localidade. É notória a importância do emprego dos princípios científicos da geotecnologia na contribuição ao desenvolvimento do ambiente social e natural, como suporte ao ordenamento, monitoramento e gestão ambiental; no entanto, os resultados obtidos devem ser transformados em ações concretas, que possibilitem, além de sobrevivência, uma relação harmoniosa entre o homem e a terra, visando ao desenvolvimento sustentável. Ressalte-se a necessidade de o profissional geógrafo dominar esta ferramenta tecnológica para melhor gerenciar o meio biótico e abiótico e suas respectivas dinâmicas.

Palavras-chave


Geografia Física; Sensoriamento Remoto; Sistemas de Informação Geográfica; Planejamento Ambiental.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2013v22n1p117

Direitos autorais 2014 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com