A INCLUSÃO DO PERSONAGEM NEGRO EM LIVROS DIDÁTICOS DE GEOGRAFIA: QUANDO A DIFERENÇA É BANALIZADA?

Wellington Oliveira dos Santos

Resumo


Este artigo analisa o modo como os personagens negros são incluídos em livros didáticos brasileiros, a partir da análise de personagens negros e brancos presentes em ilustrações de livros didáticos de Geografia para o 2º ano do ensino fundamental recomendados pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) de 2010. Essa inclusão pode, em certos casos, contribuir para a estigmatização e racialização do negro no Brasil, quando ocorre de forma banalizada, isto é, de modo a tratar a diferença racial como uma diferença equivalente a diferenças construídas de maneira sociohistoricamente distintas, desconsiderando as relações de poder existentes entre os diferentes grupos raciais, ao mesmo tempo em que a presença negra é explicitamente inferior à presença de personagens brancos (foram 2,9 personagens brancos para cada personagem negro). Como parte de uma agenda antirracista em políticas educacionais do livro didático, além de uma maior participação de negros em ilustrações é preciso desconstruir a ideia de que o branco é o tipo normal, não racializado, o que inclui o espaço simbólico que esses personagens ocupam em livros didáticos de Geografia.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2013v22n1p39

Direitos autorais 2014 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com