Rilke traduzido no Brasil: um breve levantamento bibliográfico de antologias

Ana Maria Ferreira Torres, Mayara Ribeiro Guimarães

Resumo


O presente artigo realiza um breve levantamento bibliográfico das antologias brasileiras de traduções de poemas do escritor de língua alemã Rainer Maria Rilke (1875-1926) escritas por tradutores-poetas: Paulo Plínio Abreu, Geir Campos, Dora Ferreira da Silva, José Paulo Paes e Augusto de Campos, com ênfase nas compilações publicadas pelos dois últimos. O artigo se justifica por fazer um panorama geral da recepção de Rilke no Brasil a partir das traduções de seu trabalho poético, bem como por propor a análise e discussão acerca das traduções mais recentes de sua obra poética, trazendo à tona a questão da relevância, na contemporaneidade, do poeta de Praga.


Palavras-chave


Rilke; Tradução; José Paulo Paes; Augusto de Campos.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Paulo Plínio. Poesia. 2 ed. Belém: EDUFPA, 2008.

ANAN, Sylvia Tamie. Entre a pantera e o anjo: Geir Campos e a recepção de Rainer Maria Rilke no Brasil. Opiniães, n. 12, p. 50 – 62, 2018.

BAZAN, Mariana Marchi. Poesia-coisa: a poesia de Rilke em diálogo com a escultura e a pintura. 2018. Dissertação (Mestrado em Literatura) – Universidade Federal de Santa Catarina. 2018.

BERMAN, Antoine. A prova do estrangeiro, tradução e cultura na Alemanha romântica. Trad. de Maria Emília Pereira Chanut. Baurú: EDUSC, 2002.

BRITTO, Paulo Henriques. A tradução literária. 2 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016. (Coleção Filosofia, literatura e artes).

CAMILO, Vagner. Nota sobre a recepção de Rilke na lírica brasileira do segundo pós-guerra. Navegações, Porto Alegre, v. 10, p. 71-78, 2017.

CAMPOS, Augusto de. AUGUSTO DE CAMPOS: ESTOU INCONFORMADO COM A DEMOCRACIA MEIA BOTA NO BRASIL. Eleonora de Lucena e Rodolfo Lucena. Tutameia, 19 abr. 2019. Disponível em: https://tutameia.jor.br/augusto-de-campos-estou-inconformado-com-a-democracia-meia-bota-no-brasil/. Acesso em:20 ago. 2019.

CAMPOS, Augusto de. Coisas e anjos de Rilke. 2 ed. rev. e amp. São Paulo: Perspectiva, 2015.

CAMPOS, Augusto de. Coisas e anjos de Rilke. São Paulo: Perspectiva, 2001.

CAMPOS, Augusto de. “I Like Rilke”. RILKE, Rainer Maria. Rilke: poesia-coisa. Tradução de Augusto de Campos. Rio de Janeiro: Imago Ed., 1994.

CAMPOS, Haroldo de. Da Tradução como Criação e como Crítica. In: RILKE, Rainer Maria. Metalinguagem & outras metas: ensaios de teoria e crítica literária. 4 ed. São Paulo: Perspectiva, 2006.

CAMPOS, Haroldo de. Transcriação. São Paulo: Perspectiva, 2015. 256 p.

COSTA, Édison José da. A geração de 45. Letras, Curitiba, n. 49, p. 11-19. 1998.

DE MAN, Paul. Allegories of Reading: Figural Language in Rousseau, Nietzsche, RiIke, and Proust. New Haven and London: Yale University Press, 1979.

ERLICH, Victor. El formalismo ruso. Trad. Jem Cabanes. Barcelona: Seix Barral, 1974. 450 p.

GUEDES, Diogo. Rainer Maria Rilke traduzido por José Paulo Paes. Jornal do Commercio, Pernambuco, 22 mai. 2012. Literatura. Disponível em: https://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cultura/literatura/noticia/2012/05/22/rainer-maria-rilke-traduzido-por-jose-paulo-paes-42838.php. Acesso em: 06 set. 2019.

JAKOBSON, Roman. Lingüística e comunicação. Tradução de Izidoro Blikstein e José Paulo Paes. 19 ed. São Paulo: Cultrix, 2003.

LAGES, Susana Kampff. Walter Benjamin: Tradução e Melancolia. São Paulo: Eusp, 2007.

MILTON, John. Tradução: teoria e prática. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

MORAES, Vinícius de. A vida, o amor e a morte (A primeira “Elegia de Duíno” de Rainer Maria Rilke). A manhã, Rio de Janeiro, 14 jun. 1942. Suplemento literário, p. 307.

PAES, José Paulo. Tradução a ponte necessária: aspectos e problemas da arte de traduzir. São Paulo: Ática, 1990.

PRESSLER, Gunter Karl. “Elegias de Duíno – Original e Tradução como Identificação Transcultural da Modernidade em Paulo Plínio Abreu (1950, Belém) e Augusto de Campos (1990, São Paulo)”.

COSTA, Walter Carlos; GUIMARÃES, Mayara; LEAL, Izabela. No horizonte do provisório – ensaios sobre tradução e cultura. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2013. p. 115-129

POUND, Ezra. ABC da Literatura. Trad. A. de Campos e J. P. Paes. 11. ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

POUND, Ezra. Literary Essays. London: Faber, 1968. Disponível em: https://archive.org/details/in.ernet.dli.2015.458777/page/n1. Acesso em 14 out. 2019.

RILKE, Rainer Maria. Poemas: Rainer Maria Rilke. Trad. José Paulo Paes. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

RILKE, Rainer Maria. Rilke: poesia-coisa. Trad. Augusto de Campos. Rio de Janeiro: Imago Ed., 1994. 88p.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. O local da diferença. Ensaios sobre memória, arte, literatura e tradução. 2 ed. São Paulo: Editora 34, 2005.

VANSILER, João Jairo Moraes. A universalidade poética de Rilke na formação do Grupo dos Novos: Tradução e Confluências na Amazônia Brasileira. 2014. Dissertação (Mestrado em Letras) - Instituto de Letras e Comunicação, Programa de Pós-graduação em Letras, Belém, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.