O mistério de Highmore Hall: a narrativa gótica de João Guimarães rosa

Adilson dos Santos, Rita das Graças Felix Fortes

Resumo


Embora seja reconhecido junto à crítica literária como um dos grandes representantes da vertente regionalista da literatura brasileira, João Guimarães Rosa, em suas primeiras produções, não extraiu do regional a matéria prima para a produção de suas narrativas. Pelo contrário, influenciado pela literatura europeia e norte-americana, seu exercício criativo se enveredou por terras e personagens estrangeiros e deu à luz contos que flertam com as vertentes do insólito ficcional. O objetivo do presente estudo é apresentar uma leitura do conto de estreia de Rosa, “O mistério de Highmore Hall”, e evidenciar as marcas de uma destas vertentes: o Gótico.

Palavras-chave


João Guimarães Rosa; Conto; Gótico

Texto completo:

PDF

Referências


BALBUENA, Monique Rodrigues. Poe e Rosa à luz da cabala. Rio de Janeiro: Imago, 1994.

FLORA, Fábio. Segundas estórias: uma leitura sobre Joãozito Guimarães Rosa. Rio de Janeiro: Quartet, 2008.

FRANÇA, Júlio (Org.). Introdução e Medo e literatura Guimarães Rosa: Poéticas do mal: a literatura do medo no Brasil (1840-1920). Rio de Janeiro: Bonecker, 2017a. p. 19-52.

FRANÇA, Júlio. O sequestro do Gótico no Brasil. In: FRANÇA, Júlio; COLUCCI, Luciana (Orgs.). As nuances do Gótico: do setecentos à atualidade. Rio de Janeiro: Bonecker, 2017b. p. 111-124.

GUIMARÃES, Vicente. Joãozito: infância de João Guimarães Ro

sa. Rio de Janeiro: José Olympio, INL, 1972.

LURKER, Manfred. Dicionário de simbologia. Trad. Mario Krauss e Vera Barkow. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

MENON, Maurício Cesar. Figurações do gótico e de seus desmembramentos na literatura brasileira de 1843 a 1932. Londrina, 2007. Tese (Doutorado em Letras – área de concentração em Estudos Literários) – Universidade Estadual de Londrina.

MOISÉS, Massaud. Dicionário de termos literários. 12. ed. São Paulo: Cultrix, 2004.

PALMÉRIO, Mário. Errância através do mundo roseano. In: PROENÇA, Ivan Cavalcanti (Org.). Seleta de Mário Palmério. Rio de Janeiro: José Olympio; Brasília: INL, 1973. p. 132-164.

PEREZ, Renard. Guimarães Rosa. In: COUTINHO, Eduardo F. (Org.). Guimarães Rosa. Rio de Janeiro: Civilização Brasiliera; Brasília: INL, 1983.

POE, Edgar Allan. Edgar Allan Poe: medo clássico. Trad. Marcia Heloisa Amarante Gonçalves. Rio de Janeiro: Darkside Books, 2017.

RIBEIRO, José Alcides. O romance de terror e seu padrão narrativo. In:RIBEIRO, José Alcides. Imprensa e ficção no século XIX: Edgar Allan Poe e A narrativa de Arthur Gordon Pym. São Paulo: Unesp, 1996. p. 51-64.

ROSA, Agnes Guimarães. Lembranças do “João Papai Beleza” (Entrevista a Benicio Medeiros e Miriam Leme). Revista do Livro, Rio de Janeiro, n. 45, p. 9-18, out. 2002.

ROSA, João Guimarães. Antes das primeiras estórias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2011.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. 22. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

ROSA, João Guimarães: correspondência com seu tradutor italiano Edoardo Bizzarri. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2003.

ROSA, João Guimarães. Tutaméia (terceiras estórias). 6. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

ROSA, Vilma Guimarães. Relembramentos: João Guimarães Rosa, meu pai. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

SÁ, Daniel Serravalle de. Gótico tropical: o sublime e o demoníaco em O guarani. Salvador: EDUFBA, 2010.

SOUSA, Maria Leonor Machado de. A literatura “negra” ou “de terror” em Portugal (séculos XVIII e XIX). Lisboa: Novaera, 1978.

TAVARES, Braulio. A pulp fiction de Guimarães Rosa. João Pessoa: Marca de Fantasia, 2008.

TEIXEIRA, Ivan. As primeiríssimas estórias de Guimarães Rosa. In: Para Segismundo Spina: língua, filologia, literatura. São Paulo: Editora da USP; Iluminuras, 1995. p. 151-155.

VIDAL, Ariovaldo José. Apresentação. In: WALPOLE, Horace. O castelo de Otranto. São Paulo: Nova Alexandria, 1996. p. 7-10.

WALPOLE, Horace. O castelo de Otranto. São Paulo: Nova Alexandria, 1996.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.