Eva está dentro de su gato, de Gabriel García Márquez: a aproximação entre homem e animal através de um caleidoscópio interpretativo

Raysa Barbosa Corrêa Lima Pacheco

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar o conto “Eva está dentro de su gato” (1947), do escritor colombiano Gabriel García Márquez, enfatizando a presença dos animais na narrativa e os possíveis efeitos de sentido causados por uma leitura aberta a diferentes interpretações. Para tanto, partiremos da análise simbólica dos insetos e do gato, duas espécies distantes dentro da cadeia evolutiva, que desencadeiam na narrativa a formação de uma situação insólita. Posteriormente, mostraremos possibilidades de interpretação do conto sob as perspectivas da metamorfose, da reencarnação, da experiência onírica/lancinante e do devir-animal.

Palavras-chave


Animalidade; Metamorfose; Devir-animal

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Formas de tempo e de cronotopo no romance: ensaios de poética histórica. In: BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. 6. ed. Tradução: Aurora Fornoni Bernardini (et. al.). São Paulo: Hucitec, 2010. p. 211-362.

CALVINO, Italo. Ovídio e a contiguidade universal. In: CALVINO, Italo. Por que ler os clássicos. 2. ed. Tradução: Nilson Moulin. São Paulo: Companhia das Letras, 2007. p. 31-42.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Diccionario de los símbolos. Tradução: Manuel Silvar e Arturo Rodríguez. Barcelona: Editorial Herder, 1986.

COPSTEIN, Liège; SILVA, Denise Almeida. Metáfora animal e especismo: retórica do poder no contexto pós-moderno. CASA: Cadernos de Semiótica Aplicada, v. 12, n. 1, 2014, p. 193-231, 2014. Disponível em: http://seer.fclar.unesp.br/casa/article/view/7123/5099. Acesso em: 24 dez. 2014.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Tradução: Suely Rolnik. São Paulo: Editora 34, 1997.

JOSET, Jacques. El bestiario de Gabriel García Márquez. Nueva Revista de Filología Hispánica, v. 23, n. 1, 1974, pp. 65-87. Disponível em: http://www.colmex.mx/. Acesso em: 24 abr. 2014.

MÁRQUEZ, Gabriel García. Eva está dentro de su gato. In: MÁRQUEZ, Gabriel García. Ojos de perro azul. 3. ed. Buenos Aires: Debolsillo, 2005. p. 21-37.

MÉNDEZ, José Luis. Como leer a García Márquez: una interpretación sociológica. 3. ed. San Juan: Editorial de la Universidad de Puerto Rico, 2000.

MUÑIZ, María Dolores-Carmen Morales. El simbolismo animal en la cultura medieval. Espacio, tiempo y forma, n. 9, 1996, p. 229-255. Disponível em: http://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=129060. Acesso em: 22 dez. 2014.

SANTIAGO, Silviano. O entre-lugar do discurso latino-americano. In: SANTIAGO, Silviano. Uma literatura nos trópicos: ensaios sobre dependência cultural. 2. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2000, p. 9-26.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Mal-estar na cultura: corpo e animalidade em Kafka, Freud e Coetzee. In: MACIEL, Maria Esther (Org.). Pensar/escrever o animal: ensaios de zoopoética e biopolítica. Florianópolis: Editora da USFC, 2011. p. 149-167.

SENE, Lígia Soares. As porcarias” das metamorfoses: um estudo da transformação homem-animal-homem na narrativa fantástica. Horizonte científico, v. 6, n. 1, 2012, p. 1-22. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/horizontecientifico/ article/view/812 1. Acesso em: 19 dez. 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.