Outros corpos, outros discursos: A figura do Bufão como ferramenta de leitura para a poesia marginal

Lucas Matos

Resumo


A poesia marginal brasileira foi comumente lida a partir de um quadro teórico e estético, cujos conceitos e valores são incompatíveis com sua produção. Nesse sentido, é muito comum que críticos literários tenham regularmente identificado o que falta nela, ao invés de buscar compreender a positividade de suas propostas. Não à-toa, ela foi descrita como conjunto incoerente de poéticas que não poderia ser compreendido como um movimento pela falta de um programa, ou como de tentativas românticas de poema, sem uma reflexão crítica sobre a linguagem. Aqui, tentamos apresentar a figura do bufão como uma ferramenta de leitura para outra compreensão da poesia marginal.


Palavras-chave


Poesia marginal; Bufão; Crítica

Texto completo:

PDF

Referências


BERTHOLD, Margot. História mundial do teatro. São Paulo: Perspectiva, 2000.

CESAR, Ana Cristina. A teus pés. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 1992.

FERRAZ, Eucanaã (org.). Poesia marginal: palavra e livro. São Paulo: Instituto Moreira Salles, 2013. (Catálogo de exposição IMS).

LECOQ, Jacques. O corpo poético: uma pedagogia da criação teatral. São Paulo: Editora Senac São Paulo: Edições SESC SP, 2010.

SALDANHA, Carlos Felipe Alves. Ás de colete. 2. ed. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 1994.

SISCAR, Marcos. Poesia e crise: ensaios sobre a “crise da poesia” como topos da modernidade. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 2010.

SUSSEKIND, Flora. Hagiografias. Inimigo Rumor, São Paulo, v. 20, p. 28-65, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.