O fracasso na escrita hemorrágica de Hilda Hilst

Rubens da Cunha

Resumo


Partindo das ideias de Blanchot a respeito da literatura como impossibilidade de morrer, da escrita como reviravolta radical, este artigo pretende apontar como a escrita de Hilda Hilst, é, ao mesmo tempo, uma tentativa contínua de entendimento do sentido da vida e da morte e um instrumento para Hilda comportar-se de maneira esdrúxula diante da relação conflituosa que existe entre o escritor, a obra e o mercado literário.

 


Palavras-chave


Hilda Hilst; Fracasso; Escrita; Mercado literário

Texto completo:

PDF

Referências


ANTELO, R. (org.) Crítica e ficção, ainda. Florianópolis: Pallotti, 2006.

BLANCHOT, M. A conversa infinita – a ausência do livro. São Paulo: Escuta, 2010.

BLANCHOT, M. A parte do fogo. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

BLANCHOT, M. El paso (no) más allá. Tradução: Cristina de Peretti. Barcelona: Paidós, 1994.

BLANCHOT, M. O espaço literário. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

BARTHES, R. A câmera clara: nota sobre a fotografia. Tradução: Júlio Castañon Guimarães. Rio de janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BARTHES, R. O neutro. Tradução: Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BATAILLE, Georges. A literatura e o mal. Porto Alegre: L&PM, 1989.

BATAILLE, Georges. O ânus solar. Lisboa, Portugal: Hiena Editora, 1985.

BATAILLE, Georges. O erotismo. Porto Alegre: L&PM, 1987.

BRADBURY, M. O mundo moderno. Tradução: Paulo Henriques Britto. São Paulo: Companhia das letras, 1989.

CIORAN, Emile M. Breviário da decomposição. Rio de Janeiro: Rocco, 1989.

COMPAGNON, A. Os cinco paradoxos da modernidade. Tradução: Cleonice P. Mourão, Consuelo F. Santiago, Eunice D. Galéry. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1996.

FREUD, S. Introdução ao narcisismo: ensaios de metapsicologia e outros textos (1914-1916).Tradução e notas: Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

HILST, Hilda. A obscena senhora D. São Paulo: Globo, 2001.

HILST, Hilda. Amavisse. São Paulo: Massao Ohno, 1989.

HILST, Hilda. Baladas. São Paulo: Globo, 2003.

HILST, Hilda. Cartas de um sedutor. São Paulo: Globo, 2002.

HILST, Hilda. Contos d´escárnio: textos grotescos. São Paulo: Globo, 2002b.

HILST, Hilda. Estar sendo. Ter sido. São Paulo: Globo, 2006.

HILST, Hilda. Exercícios. São Paulo: Globo, 2002c.

HILST, Hilda. Fluxo-Floema. São Paulo: Globo, 2003b.

HILST, Hilda. Fluxo-Floema. São Paulo: Perspectiva, 1970.

HILST, Hilda. Kadosh. São Paulo: Globo, 2002d.

HILST, Hilda. O caderno rosa de Lori Lamby. São Paulo: Globo, 2005.

HILST, Hilda. Rútilos. São Paulo: Globo, 2003b.

KAZANTZAKIS, N. Testamento para el Greco. Tradução: Clarice Lispector. Rio de Janeiro: Artenova, 1975.

LACAN, J. Seminário, livro 11: os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Texto estabelecido por Jacques-Alain Miller. Tradução: M. D. Magno. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

LISPECTOR, C. Um sopro de vida (pulsações). Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

MILLIET, Sérgio. Diário crítico. 2. ed. São Paulo: Martins, 1982.v. 3, 10

ROSENFELD, Anatol. Hilda Hilst: poeta, narradora, dramatura. In: HILST, H. Fluxofloema. São Paulo: Perspectiva, 1970.

SEUPHOR, Michel. Treinta y una reflexiones sobre un tema. In: SEUPHOR, Michel. El estilo y el grito. Caracas: Monte Ávila C.A, 1970.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.